Categoria

Gastronomia

Quer curtir a neve no Chile? Reunimos tudo o que você precisa saber para se planejar e se jogar nessa viagem! Então, veja como chegar, onde se hospedar, onde comer e como aproveitar o melhor do Valle Nevado.

Valle Nevado

Como chegar ao Valle Nevado?

Chegar ao Valle Nevado na Temporada de Neve pode não ser fácil, mas a paisagem compensa e muito. A estação de esqui está a cerca de 3000 metros de altitude, no alto da Cordilheira dos Andes, e a aproximadamente 60 km de Santiago.

O recomendado é contratar um transfer até o Valle Nevado. O serviço pode ser particular, dessa forma você controla seus horários, ou em grupo, com um roteiro mais restrito. Nada te impede de subir de carro a Cordilheira, porém durante o inverno, é preciso contar com as nevascas.

As empresas que fazem o trajeto Santiago – Valle Nevado costumam buscar os visitantes em seus hotéis, parar em uma locadora de roupa e equipamentos para esqui e depois iniciar a subida.

Na metade das 40 curvas mais sinuosas há outra parada. A ideia é admirar a paisagem, tentar evitar o enjoo e minimizar os efeitos da altitude. Você pode tomar um remédio contra o enjoo antes de sair da hospedagem, mascar chiclete durante o percurso, beber chá de coca e dizem ainda que cheirar limão também ajuda.

É importante saber que há horário de funcionamento da estrada para subidas e descidas durante sábados, domingos e feriados. Sendo a subida das 8h às 13h e a descida entre 15h e 20h.   

Chegue a Santiago voando com a Avianca Brasil! Há três opções de voos diários e diretos saindo de São Paulo. Os clientes possuem descontos na temporada de neve 2018 do Valle Nevado.

Onde se hospedar no Valle Nevado?

Valle Nevado

É possível se hospedar no Valle Nevado! O Ski Resort conta com três hotéis e apartamentos em edifícios nas montanhas que podem ser alugados. Veja a diferença:

  • Hotel Valle Nevado: é o que fica mais próximo às pistas e tem o serviço mais exclusivo. Aqui estão a academia e o spa do complexo. Todas as refeições estão inclusas na estadia e todos os quartos possuem varanda.
  • Hotel Puerta del Sol: está a 50 metros das pistas. Os quartos podem ser conectados, sendo assim ideal para as famílias. Algumas acomodações possuem varanda. Estão inclusos jantar e café da manhã. Aqui ficam a piscina aquecida, a sala de cinema e um espaço para jogos.
  • Hotel Três Puntas: fica a 150 metros das pistas de esqui e é considerado ideal para a hospedagem de amigos. Os quartos possuem uma maior quantidade de camas e podem ser conectados. Além de ser onde está localizado o pub do complexo.  Aqui o serviço é também de meia pensão.
  • Apartamentos: as acomodações proporcionam maior espaço, independência e privacidade. Nelas, você pode se sentir mais a vontade, fazer a sua própria comida e reunir os amigos e a família.

Os hóspedes dos hotéis têm livre acesso à área de esquis. Já os dos apartamentos precisam adquirir tickets a parte.

Onde comer no Valle Nevado?

Quando você vai passar o dia na estação de esqui, as empresas de turismo já avisam que comer e beber no Valle é caro. Por isso, elas recomendam levar água e lanches ao passeio. Mas, se você quiser ter a experiência de fazer sua refeição nas montanhas, o Ski Resort conta com 6 restaurantes.

  • Bajo Zero: é um fast food que fica no meio das pistas de esqui. É o mais em conta!
  • La Fourchette: restaurante francês com vista para a montanha.
  • Monte Bianco Ristorante: restaurante especializado em comida italiana próximo ao Valle Lounge.
  • Restaurant Sur: ótimo para quem quer degustar da culinária chilena. Fica no Hotel Tres Puntas.
  • Mirador del Plomo: buffet com opções de comidas da gastronomia internacional no Hotel Puerta del Sol.
  • La Leñera: ponto de encontro pós-esqui para curtir o pôr-do-sol com bebidas, petiscos e Djs.

Ao comprar o passe do dia, o Ski Day, é possível escolher uma opção de ticket que dá direito ao almoço na montanha ou um combo fast food.

Um dia no Valle Nevado

Valle Nevado

Quem faz o tradicional bate e volta, desembarca do transfer ou estaciona o carro na Praça da Gôndola, na Curva 17. Nesse espaço, o visitante pode alugar seus equipamentos e roupas, e contratar aulas de esqui ou snowboard. Além de comprar o ticket que dá acesso às pistas e demais atrações do resort e guardar seus pertences.

Se você não quiser esquiar, compre o ticket que dá acesso à Gôndola. Com ele, você sobe uma parte da montanha, chega ao Bajo Zero e pode curtir a neve. Este é o único teleférico que pode ser usado por quem não está com os equipamentos de esqui.

Além disso, um transporte gratuito do complexo faz o trajeto entre a Curva 17 e a área dos hotéis e dos restaurantes. Vale passear por lá também.

Como funcionam as pistas de esqui?

Na temporada de inverno, as pistas de esqui funcionam todos os dias das 9h às 17h. São 900 hectares de áreas esquiáveis, sendo a maior estação da modalidade do Hemisfério Sul.

Há opções para diferentes níveis de esquiadores: iniciante, intermediário, avançado e expert. Se quiser aprender ou se aperfeiçoar no esqui ou no snowboard, é possível fazer aulas em grupo ou particulares. Crianças de 4 a 11 anos podem ter atendimento personalizado com instrutores que as acompanham em todos os momentos.

Dicas Extras!

  • Passe protetor solar.
  • Leve óculos de sol.
  • Vá com uma bota impermeável mesmo se não for esquiar.
  • Leve água.
  • Contrate um seguro viagem que englobe acidentes com esportes.
  • Divirta-se como se fosse uma criança!

Compre suas passagens para Santiago com a Avianca Brasil para ter descontos na Temporada de Neve 2018 do Valle Nevado. 

Conheça o roteiro para conhecer o centro de Santiago a pé. 

Belém do Pará é uma cidade autêntica, com sabores únicos e grandes riquezas culturais, naturais e humanas. Por isso, criamos um roteiro de dois dias para você conseguir capturar ao menos a essência dessa terra brasileira tão peculiar.

Dia 1

Complexo Ver-o-Peso

Complexo Ver-o-Peso

Se você gosta de ver de perto a cultura de um lugar quando viaja, então, madrugue e vá à Feira do Açaí lá pelas 5 h. A experiência é única! Visto que consiste em observar o descarregamento e a comercialização do fruto amazônico.  Ele chega da floresta pela Baía do Guajará em diversas embarcações.

Continue o passeio indo ao Mercado do Peixe. Então, observe mais um ponto forte local: a pesca. Ainda no Complexo do Ver-o-Peso, você encontra o Mercado da Carne, barracas de farinhas, ervas, frutas, industrializados e refeições. Dessa forma, o roteiro é um mergulho na cultura de Belém.

Theatro da Paz

Se você pretende fazer a visitação guiada por dentro do edifício histórico, é melhor ir na parte da manhã ao Theatro da Paz. O espaço foi fundado durante o rico Ciclo da Borracha em 15 de fevereiro de 1878. O projeto arquitetônico foi inspirado no Teatro Scalla de Milão, na Itália. Sendo assim, é mais uma daquelas paradas obrigatórias.

Basílica Santuário Nossa Senhora de Nazaré

A única Basílica da Amazônia Brasileira começou a ser construída em 1909 no local em que a imagem de Nossa Senhora de Nazaré foi encontrada. A arquitetura da igreja é bastante eclética, reunindo o que os idealizadores acreditavam ser o melhor de cada estilo. O local é realmente muito bonito, espiritualizado e símbolo da fé local.

Museu Paraense Emílio Goeldi

Muito mais do que um museu, o Emílio Goeldi abriga um Parque Zoobotânico com mostras da fauna e da flora da Amazônia. Além de um importante centro de pesquisas da região vinculado ao Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação do Brasil.

Fundado em 1866, o espaço ainda promove atividades educativas e o contato com a natureza em meio à área urbana de Belém.

Parque Estadual do Utinga

Recém-revitalizado, o Parque Estadual do Utinga tem sido uma das grandes atrações para os moradores e os visitantes de Belém. O local é ideal para quem quer ficar mais próximo dos ecossistemas regionais. Além de ser um centro de pesquisa de espécies amazônicas, busca desenvolver o turismo ecológico.

Música Típica

Para quem quer conhecer os ritmos locais, como o carimbó, o brega, o tecno-brega, o calipso e a guitarrada, o ideal é procurar uma festa típica enquanto estiver por lá. Atualmente, a mais famosa é a Lambateria.

Verifique também a programação do Espaço Cultural Apoena e a programação de shows dos grandes cantores do brega.

Dia 2

Vista Mangal das Garças

Cidade Velha

Visite o Forte do Presépio! A vista das muralhas é incrível e contempla a Baía do Guajará, o Complexo Ver-o-Peso e a Estação das Docas.

Depois, conheça o Museu Casa das Onze Janelas. O centro cultural abriga obras de arte moderna, contemporânea e fotografias. As mostras destacam os olhares de artistas paraenses e brasileiros.

Continue o passeio caminhando pela Praça Frei Brandão. Aviste a Catedral da Sé Metropolitana de Belém. É dali que sai a procissão do Círio de Nazaré rumo à Basílica.

Saiba um pouco mais sobre a história sacra paraense no Museu de Arte Sacra que fica na Igreja Santo Alexandre. O mais interessante aqui é observar os ornamentos e as imagens de santos lapidadas em madeira.

Feche a visita à Cidade Velha com o Museu do Círio. O Círio de Nazaré uma das festas religiosas mais importantes do Brasil. Ela ocorre em outubro e deixa as ruas de Belém lotadas.

Mangal das Garças

O Parque Naturalístico Mangal das Garças é um passeio bastante interessante para quem quer ter uma vista panorâmica de Belém, relaxar e ter contato com a fauna e a flora local. O parque abriga o Memorial Amazônico da Navegação, o Farol de Belém, o Viveiro das Aningas, o Borboletário e mais. Vale conhecer!

Espaço São José Liberto

O Espaço São José Liberto foi originalmente construído para ser o convento de São José. Ele já foi olaria, quartel, depósito de pólvora, hospital, cadeia pública e por um longo período presídio.

Atualmente, o espaço é um Polo Joalheiro. O local abriga o Museu de Gemas do Pará e uma área de exposição e venda do artesanato regional, entre outras atrações.

Igreja de Nossa Senhora das Mercês

A Igreja de Nossa Senhora das Mercês passou por várias fases. Começou como um convento feito de taipa coberto por palha. Foi reconstruída em alvenaria de pedra. Ficou fechada por um longo tempo. Foi reaberta ao público e sofreu com um incêndio parcial.

Em 1986, foi restaurada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN. Atualmente recebe visitantes e fieis.

Estação das Docas e passeio de barco

A Estação das Docas é parada obrigatória para quem visita Belém. Provavelmente você irá visitá-la mais de uma vez durante a sua estadia na cidade.

No antigo porto fluvial estão reunidos ótimos restaurantes, a Sorveteria Cairu e alguns bares, como o Amazon Beer.

É daqui que sai o passeio de Barco mais tradicional de Belém, o Orla ao Entardecer. Nele, você observa em meio à Baía Guajará e o Rio Guamá as belezas históricas e naturais da cidade. Além do pôr do sol e a vida dos barqueiros. Tudo isso com apresentações da cultura local dentro da embarcação.

O Passeio dura cerca de 1h30 e tem saída de terça a domingo às 17h30. Na volta, você pode aproveitar o restinho da noite nos bares da Estação das Docas.

Onde comer em Belém do Pará?

O que fazer em Belém do Pará

Aposte nas delícias locais e peculiares do Pará! Coma um bom peixe com açaí no Point do Açaí ou no Ver-o-Peso – se você quer economizar e não tem muita frescura. Ou um prato com Filhote nos restaurantes da Estação das Docas. Delícias paraenses, como a maniçoba, também são servidas no Tomaz Culinária do Pará.

Na área dos petiscos, vá à Lanchonete Portinha que tem um dos melhores salgados assados de Belém. Prove o Tacacá do Renato ou o Tacacá da Dona Maria. Se jogue na Unha de Caranguejo na Tia Maria Doceria. No Amazon Beer peça pelo bolinho de pato no tucupi.

Ah, você não pode passar por Belém sem provar os sorvetes da Cairu. Peça para experimentar os vários sabores que valorizam as delícias locais e escolha o seu favorito.

Garanta agora mesmo a sua passagem aérea para Belém!

Confira dicas de viagem para outras capitais brasileiras!

Não sabe o que fazer em Vitória? Acompanhe o roteiro detalhado que preparamos para você aproveitar 48 horas na capital do Espírito Santo. O passeio é perfeito para um final de semana ou um feriado prolongado.

O que fazer em Vitória?

Voo de ida/volta entre São Paulo e Vitória

A viagem começa com o voo da Avianca Brasil que parte de São Paulo no finalzinho da tarde, por volta das 17h35, e chega a Vitória ás 19h10. A volta é com o voo que parte de VIX cerca de 19h45 com destino a Guarulhos. Você pode ir visitar a cidade de diferentes locais do Brasil fazendo conexão em SP.

Onde se hospedar em Vitória?

A negócios ou a lazer? Não importa! As melhores regiões para se hospedar em Vitória são a Praia do Canto e a orla da Praia de Camburi. Nesses locais estão a maior oferta de hotéis, restaurantes e estabelecimentos comerciais.

 

Primeira Noite em Vitória

Para começar a sentir o clima da cidade, vá à Rua da Lama. O local reúne vários botecos e  restaurantes descontraídos de hambúrgueres, esfiha, pizza, panqueca, tapioca, crepes e waffles. O mais legal é que tem uma parte da rua que fica fechada para os carros durante a noite.

Dia 1 – Passeio por Vitória

Trem Vitória Minas

#1 Praias

O ideal seria conhecer os pontos históricos e depois passar a tarde nas praias, mas as visitas aos edifícios só podem ser feitas a partir das 13h. Sendo assim, acorde bem cedo e vá explorar a orla capixaba.

Comece o passeio pela Praia de Camburi, alugue uma bicicleta pública (Bike Vitória) ou caminhe pela orla em direção à Praia do Canto. Passe pela Praça dos Namorados, observe a Ilha do Frade e vá até a Curva da Jurema.

Você irá visualizar a Pedra da Ilha do Boi e o Hotel Senac. Seguindo por cerca de 650 metros pela Rua Renato Nascimento Daher Carneiro e virando a direita na Rua Kleber José de Andrade, é possível ter uma vista incrível da Terceira Ponte, do Morro do Moreno e do Convento da Penha. Capriche na foto!

Atravesse para o outro lado da ilha e se depare com as entradas para duas pequenas e lindas praias: a Praia da Direita e a Praia Grande.

Se ainda tiver tempo e disposição, você pode devolver a sua bike no ponto da Praça do Papa e dar uma esticada até o Projeto Tamar.

#2 Almoço

Quer apreciar uma boa moqueca capixaba? Vá à Ilha de Caieiras! Além do prato tradicional, os restaurantes que margeiam o Rio Santa Maria trazem outras delícias culinárias feitas de frutos do mar. Você pode fazer o seu pedido e passear pelo cais, observando as desfiadeiras de siri e os pescadores.

Os restaurantes mais famosos são o Caieiras e o Pirão da Ilha. Importante lembrar que os estabelecimentos são bastante simples. Na época que antecede a Páscoa o bairro fica bastante movimentado pelos locais e visitantes que querem degustar a Torta Capixaba.

#3 Paneleiras de Goiabeiras e Parque da Cebola

As Paneleiras de Goiabeiras se reúnem em um centro de produção das peças que são bastante usadas no preparo dos pratos típicos capixabas.

No local, é possível observar o preparo da argila que é extraída na própria região, o minucioso trabalho artesanal para modelar as panelas, a queima dos produtos e a pintura para impermeabilização.

Pegue um Uber ou um táxi e vá até o Parque da Cebola, aproveite o momento para ver a cidade do alto e fazer lindas fotos tendo como cenário pedras, flores, árvores e lagos.

#4 Centro Histórico

Tirando a Catedral Metropolitana de Vitória, os prédios históricos da cidade tem como horário de visitação das 13h às 17h.  Vale a pena reservar umas duas horas para desbravar a região e conferir os seguintes pontos turísticos:

  • Palácio Anchieta – sede do Governo do Espírito Santo.
  • Igreja de São Gonçalo – tombada como patrimônio histórico, possui arquitetura barroca com entalhes em madeira pintados a ouro em sua fachada.
  • Catedral Metropolitana de Vitória – a planta da igreja é em forma de cruz latina e seu estilo arquitetônico faz referência ao gótico. Destaque também para os vitrais desenhados pelo italiano César Alexandre Formenti.
  • Capela Santa Luzia – erguida no século XVI, a igreja é a mais antiga de Vitória.
  • Convento São Francisco – uma das construções franciscanas mais antigas do país, atualmente abriga o núcleo principal da Igreja Católica no Espírito Santo.
  • Convento do Carmo – fundado por Carmelitas, atualmente o local divide-se entre uma Escola Municipal e uma igrejinha.
  • Teatro Carlos Gomes – o edifício tem como estilo predominante o neoclássico e foi construído tendo como inspiração o Teatro Scala, de Milão. A pintura do teto da plateia é de Homero Massena.

Dica: você pode subir até o último andar do Sesc Glória para observar o centro de uma forma panorâmica.

Segunda Noite em Vitória

O ponto mais famoso e badalado da noite de Vitória é o Triângulo das Bermudas. A área reúne diversos bares, restaurantes e casas noturnas. Vale andar pela região e escolher os lugares que mais combinam com você para aproveitar a vida noturna capixaba.

 

Dia 2 – Passeio por Vila Velha

O que fazer em Vila Velha

O segundo dia do roteiro é dedicado a Vila Velha. Não tem como ir a Vitória e não atravessar a Terceira Ponte para conhecer a cidade vizinha.

#1 Convento da Penha

O Convento da Penha é o ponto turístico mais visitado da Grande Vitória e não é para menos. A atração consegue reunir história, fé e uma vista incrível.

Do alto do monte, é possível observar o Forte São Francisco Xavier da Barra, a Prainha, o Morro do Moreno, a Terceira Ponte, Vila Velha e Vitória. O convento abre bem cedinho às 5h30 e conta com missas ao decorrer do dia.

#2 Fábrica da Garoto

Vale a pena fazer o Tour pela Fábrica da Garoto. O passeio tem que ser agendado com antecedência pelo site. Nele, você é guiado pelo processo de produção dos chocolates com degustação ao final e visita ao museu. Para esse roteiro de 2 dias, o ideal e ir às 9h – na primeira turma. Fique atento às exigências para a visita, como: ir de calça, tênis e camiseta.

#3 Museu Ferroviário – Vale

Próxima parada: Museu Vale! O Centro Cultural e de Exposição da Vale fica na antiga Estação Ferroviária Pedro Nolasco e tem vista para os portos de Vitória e de Vila Velha. O espaço reúne artigos, maquetes, fotos, maquinários e até mesmo uma Maria Fumaça que contam a história da Estrada de Ferro Vitória a Minas.

Fazer a visita com o Audioguia faz toda a diferença. Peça o seu, é gratuito!  O Café do Museu fica dentro de uma locomoção.

#4 Almoço

Aproveite a culinária local! Os restaurantes mais famosos de Vila Velha são os que possuem os caranguejos como carro-chefes. Entre eles estão o Caranguejo do Assis e a Ilha do Caranguejo. A estrutura deles é bastante completa, tendo até playground para as crianças. Os pratos variam entre peixes, moquecas e outros frutos do mar.

#5 Praias de Vila Velha

As praias de Itaparica, Itapuã e da Costa são as mais recomendadas para você aproveitar a linda costa de Vila Velha. A Praia de Itaparica tem estrutura de quiosques, a praia de Itapuã é dominada pelos pescadores e a Praia do Canto é a mais movimentada. Se tiver disposição, é possível caminhar ou andar de bicicleta pelo calçadão dessas três praias.

#6 Farol Santa Luzia

Quer uma vista diferente da Baía de Vitória? Vá ao Farol Santa Luzia. Ele fica em uma área militar e é preciso vestir roupas adequadas, ou seja, não pode ir só com traje de banho.

#7 Morro do Moreno

Se depois de tudo você ainda tiver tempo, vale encarar a subida ao Morro do Moreno. Vá de carro até a subida principal do morro, na Rua Xavantes, e depois é possível subir de 4×4, moto ou andando. Não é recomendado fazer o percurso com objetos de valor e sozinho. A vista é sensacional, principalmente para admirar o pôr do sol.

 

Compre sua passagem para Vitória!

Conheça mais destinos para visitar pelo Brasil!

A Baixa Temporada é a época do ano em que um destino é menos procurado pelos viajantes. O período é perfeito para quem quer aproveitar melhor o lugar visitado e economizar na viagem. Confira as vantagens de viajar na baixa temporada:

#1 Passagens aéreas em promoção

As companhias aéreas costumam realizar grandes saldões de passagens aéreas para a Baixa Temporada. Com exceção dos feriados, esse é geralmente o período de embarque determinado nas tarifas promocionais. Ideal para quem está “paquerando” aquele destino mais distante.

#2 Lugares mais vazios

Se você não gosta de pegar filas gigantes em atrações turísticas, disputar espaço na praia, não tem paciência de esperar para conseguir uma mesa no restaurante e prefere conviver mais com os moradores locais do que com outros turistas, essa é a época perfeita para você viajar!

#3 Fotos melhores

As fotografias ficam bem melhores quando não tem um monte de pessoas disputando espaço com os monumentos, as paisagens ou os edifícios. Será mais fácil conseguir capturar as imagens desejadas e achar o melhor ângulo para o clique.

#4 Refeições mais baratas

Os preços das comidas e bebidas geralmente aumentam na Alta Temporada. Sendo assim, na Baixa, é possível gastar menos nas refeições, comer nos restaurantes mais disputados e economizar nesse que é um dos maiores gastos de uma viagem.

#5 Economia na hospedagem

Hotéis, pousadas, aluguel de casas e até hostel ficam mais baratos na Baixa Temporada. O preço das diárias podem cair até 50% em comparação à época de grande procura por hospedagem.

#6 Queda no preço dos passeios

Os passeios turísticos ficam bem mais baratos quando a procura não é tão grande. Sem contar que é possível fazer melhores negociações de preço. Ideal para quem quer conhecer mais lugares, gastando menos.

Quando é a Baixa Temporada?

No Brasil, a Baixa Temporada acontece nos meses de março, abril, maio, agosto, setembro, outubro e novembro. Já a Alta Temporada ocorre nos meses de férias escolares: dezembro, janeiro, fevereiro, junho e julho.

 

Para onde viajar na Baixa Temporada?

Veja alguns exemplos de destinos que valem a pena ser visitados na Baixa Temporada: Porto de Galinhas, Maceió, Natal, Bonito, Serra Gaúcha, Fortaleza, Foz do Iguaçu, Balneário Camboriú, Caldas Novas, Campos do Jordão, Minas Gerais e Santiago.

Aproveite as ofertas de passagem aérea para Baixa Temporada!

Escolha o seu próximo destino!

Já pensou em passar um fim de semana em Nova York? Preparamos um roteiro completo para que você possa aproveitar as principais atrações da cidade em dois dias.

Pegue o voo direto do Aeroporto Internacional de Guarulhos (São Paulo) da sexta-feira no fim da noite e chegue ao JFK, em Nova York, de manhã cedinho. A volta é no domingo às 23h30 com chegada prevista no Brasil às 12h30. Compre agora sua passagem! 

Roteiro de Dois Dias em Nova York

Sábado

#1 Columbus Circle (Café da Manhã)

Comece a visita por Nova York em uma das praças mais movimentadas da cidade, a Columbus Circle. A rotatória possui um monumento em homenagem a Cristóvão Colombo e bons lugares para tomar café da manhã ao seu arredor. Você pode escolher entre o requintado Bouchon Bakery & Café, o  francês Maison Kayser ou as cafeterias instaladas em um mini shopping subterrâneo, o Underground Market.

#2 Central Park

Não importa a época do ano ou quantas vezes você vá a Nova York, o Central Park sempre será um passeio obrigatório. Aproveite para andar pelo parque e se deparar com diferentes atrações, como: a Bethesda Fountain, a Strawberry Field, o Belvedere Castle e o Shakespeare Garden. Aproveite o inverno e o período da manhã, que é mais vazio, para patinar no gelo na Wollman Rink.

#3 Museus

Infelizmente, quando se está sem muito tempo em Nova York, você precisa escolher bem o museu em que deseja visitar. Eles são grandes, bastante interessantes, diferentes entre si e merecem sua total atenção. Próximo ao Central Park temos os três museus mais famosos: o Museu de História Natural, o Metropolitan (MET) e o MoMA.  O primeiro é mais antropológico, o segundo de artes clássicas e o terceiro de arte moderna.

#4 Rockefeller Center (Almoço)

Caminhe até o Rockefeller Center pela quinta avenida e repare nas lindas vitrines das lojas de grifes mundialmente conhecidas. Admire a arquitetura neogótica da Saint Patrick Cathedral e chegue a praça. Mesmo para os adultos, vale entrar na loja da Lego. Almoce no The Sea Grill do ladinho da pista de patinação que é bastante disputada durante todo o inverno.  Não deixe de subir ao topo do prédio, a experiência é sensacional e a vista também!

#5 Bryant Park e Grand Central Station

Se tiver tempo e não gostar muito de compras, caminhe até o Bryant Park. A praça que já bonita, fica ainda mais encantadora no inverno. Aproveite para entrar na Biblioteca Pública de Nova York. Ande mais um pouquinho e chegue a um dos locais que mais servem de cenário para filmes, a estação Grand Central.

#6 Times Square e Broadway (Jantar)

Antes de desbravar a Times Square e seus arredores, vá a TKTS e garanta o seu ingresso para o musical da sua preferência com descontos que variam de 20% a 50%.  As lojas da região ficam abertas até bem tarde, elas fecham por volta da 1h da manhã. Escolha uma hamburgueria para jantar, as principais são: Shack Shack, Five Guys e Schnippers.

Domingo

#7 High Line (Brunch)

O High Line é um parque linear suspenso. Ele fica em uma antiga zona industrial e era uma ferrovia. Vale passear por ele e observar de um lado o Chelsea (bairro) e do outro o Rio Hudson. Se você gosta de arte contemporânea e de protesto, aproveite para visitar o Whitney Museum. Domingo é dia de Brunch (café da manhã + almoço), escolha um dos restaurantes próximos: Santina, Bubby´s, Sugar Factory e Wild Son para degustar as delícias locais.

#8 One Trade Tower e Memorial

Pegue o metrô até o One World Observatory e suba até o topo de um dos edifícios mais altos do mundo. O prédio foi construído no lugar das antigas torres gêmeas do World Trade Center. Vá pelo subterrâneo, que abriga uma estação moderna e lojas, em direção ao Memorial do 11 de setembro.  Não tem como não sentir o clima de tristeza e melancolia do local que foi cenário de um dos maiores ataques terroristas da história.

#9 Financial District e Estátua da Liberdade

Seguindo o passeio por Lower Manhattan, chegue ao centro financeiro da cidade. Você pode começar admirando a arquitetura neogótica da Igreja da Trindade e conhecer a antiga Bolsa de Valores da Wall Street. Tire foto com as esculturas do touro, o Charging Bull, e da destemida Fearless Girl.  Caminhe até o Battery Park para admirar a famosa Estátua da Liberdade.

#10 Brooklyn Bridge

Termine o dia, e essa maravilhosa viagem, admirando a Brooklyn Bridge. Se ainda tiver tempo, atravesse-a e aproveite os cafés e os restaurantes do outro lado da ponte. A melhor parte é a vista de Manhattan. Uma despedida de respeito!

Gostou do roteiro? Compre agora sua passagem! 

Vai durante as festas de final de ano? Confira as principais atrações dessa época do ano.

Vai a trabalho, a lazer ou é morador e não sabe o que fazer em Goiânia? Vamos te ajudar a conhecer a capital de Goiás com 10 atrações imperdíveis para quem quer visitar o melhor da cidade.

O que fazer em Goiânia

#1 Desbravar o Centro da Cidade

Comece o passeio pela Catedral Metropolitana de Goiânia e caminhe até a Praça Cívica. Conheça um pouco da história e da cultura da cidade visitando o Museu Goiano Professor Zoroastro Artiaga e o Palácio das Esmeraldas. Admire os monumentos às Três Raças e do Dr. Pedro Ludovico Teixeira, fundador de Goiânia. Indo em direção ao Bosque dos Buritis, faça uma pausa no Museu do Pedro Ludovico e no Monumento aos Desaparecidos Políticos. No parque, o destaque é o Monumento à Paz Mundial.

#2 Notar as construções em Art Déco

Goiânia é a capital da Art Déco. O estilo foi o escolhido como diretriz para os primeiros prédios construídos na cidade. Há roteiros prontos de tours que contemplam o movimento artístico, mas se você quiser fazer por conta própria visite o Coreto, o Grande Hotel e a Torre do Relógio na Avenida Goiás, os prédios da Praça Cívica, a Estação Ferroviária, a Praça do Trabalhador, o Teatro Goiânia e a Avenida Tocantins no centro. Há ainda edificações no bairro Campinas e no Setor Oeste.

#3 Relaxar ou se exercitar nos Parques

Quer um passeio típico goiano? Compre uma água de coco, sente em uma cadeira com vista para o parque e admire a paisagem que é um contraste da natureza com prédios ao fundo. Os parques mais visitados são o Flamboyant, o Vaca Brava e o Areião. Vale ainda passear pelo Parque Zoológico de Goiânia e pelo Lago das Rosas.

 

#4 Passear no Shopping

Os shoppings de Goiânia são pontos de encontro e de entretenimento para os moradores e agradam os visitantes que buscam bons restaurantes e lojas conhecidas. Os designs de alguns desses centros de comércio também chamam a atenção.  Entre os queridinhos do público estão o Passeio das Águas, o Flamboyant, o Goiânia Shopping e o Buriti.

#5 Comer bem

As comidas típicas goianas são deliciosas e possuem influências indígenas e europeias. Os pratos mais tradicionais são a galinhada, o empadão, a pamonha, o arroz-de-puta-rica e o peixe na telha. A dica para comer bem em Goiânia é ir aos restaurantes Mau Nenhum,       Chão Nativo, Baru e Banana Menina. A cidade ainda abriga restaurantes com culinária de diversas partes do Brasil e do mundo.

Memorial do Cerrado

#6 Viajar no tempo no Memorial do Cerrado

Se existe um passeio obrigatório em Goiânia, é visitar o Memorial do Cerrado. O museu fica dentro do Campus II da PUC Goiás, que por si só já é bem bonito, e reúne cultura, história e natureza. Um lindo lago recepciona os visitantes, o Museu de História Natural leva à história da Terra e do cerrado, a Vila Cenográfica de Santa Luiza é uma volta ao tempo, junto com às réplicas da aldeia indígena Timbira e de um quilombo do cerrado.

#7 Curtir sertanejo e/ou rock

Sim, você leu certo, Goiânia também é terra de rock. Engana-se quem acha que a cidade é somente a capital do sertanejo. Os dois estilos musicais estão presentes em bares, festas e casas noturnas. Gosta de sertanejo? Vá ao Villa Mix, ao Alabama e ao Bahrem. Curte um rock? Conheça o Bolshoi Pub, o Rocket 07, Mönch Bier Pub e o Woodstock Rock Bar.

#8 Fazer compras nas feiras especiais

De terça a domingo feirinhas especiais agitam o comércio popular de Goiânia e fazem da cidade a capital brasileira das feiras. Os produtos vendidos são os mais diversificados, como: alimentos, roupas, acessórios, calçados, artesanato e mais.  As mais famosas são a Feira Hippie, a Feira da Lua, a Feira do Sol e a Feira do Cerrado. Confira a programação completa no site da prefeitura.

#9 Refrescar-se nos clubes

Os goianos costumam se reunir nos clubes da cidade para amenizar o calor, aproveitar as piscinas e aproveitar outras atividades de lazer. Alguns deles não são exclusivos para sócios e permitem que visitantes passem o dia. É preciso pagar taxas de entrada que variam de acordo com o local e o dia da semana. Entre eles estão o Clube Jaó, o Três Ilhas e o Goiânia Park.

#10 Admirar o céu do cerrado

O céu do cerrado merece destaque e atenção de visitantes e locais. Arrume um tempinho na correria do dia a dia somente para observar essa imensidão azul. Quer um espetáculo ainda maior? Então, vá a um ponto alto da cidade para admirar o pôr-do-sol com suas diferentes cores e efeitos.  A dica é o Morro do Além, lá fica o Mirante Bar.

Ficou com vontade de conhecer Goiânia? Compre aqui suas passagens aéreas!

Confira mais dicas de destinos nacionais e internacionais!

Reunimos as 10 dicas de André Fran sobre o que fazer em João Pessoa em 48 horas. Confira e aproveite bem o seu final de semana na capital da Paraíba!

 

 

#1 Passeio pelo Picãozinho

Aproveite a maré baixa para mergulhar pelas piscinas naturais em meio aos seus lindos peixes e corais.

 

#2 Mercado Público de Tambaú

Encontre em um só lugar comidas típicas, frutas, verduras, roupas, redes, artesanato e lembrancinhas.

 

#3 Cozinha Roccia

Almoce no restaurante do chef Onildo Rocha que valoriza ingredientes frescos e a cultura paraibana.

 

#4 Casa da Pólvora

Aprecie esse marco histórico e a linda vista da cidade de João Pessoa. Um ótimo ponto para tirar fotos!

 

#5 Centro Cultural São Francisco

Visite o complexo que inclui a Igreja de São Francisco, o Convento de Santo Antônio, o Museu de Arte Sacra e capelas.

 

#6 Restaurante Gulliver Mar

Jante em um dos mais tradicionais restaurantes de João Pessoa. O local é especializado em frutos do mar e está localizado na frente da praia do Cabo Branco.

 

#7 Confeitaria Phelipea

Tome café nessa encantadora confeitaria que fica em um charmoso casarão no centro histórico. O destaque são os bolos e o cappuccino.

 

#8 Praias

Escolha e aproveite uma das lindas praias de Jampa. As mais disputadas são: Tambaú, Manaíra e Cabo Branco. Ao norte estão as praias com mais ondas e ao Sul as mais selvagens.

 

#9 Restaurante Mangai

Deguste pratos da comida nordestina e brasileira em um ambiente rústico e acolhedor. O restaurante é bastante elogiado não só pela qualidade dos pratos, mas também pelo bom atendimento aos clientes.

 

#10 Praia do Jacaré

Curta o pôr do sol mais famoso de João Pessoa escutando o Bolero de Ravel do Jurandir do Sax. Experiência incrível!

 

Quer ir a João Pessoa? Garanta a sua passagem aérea.   

Confira dicas sobre outros destinos nacionais e internacionais. 

Hotel Belmond

Imagina um final de semana hospedado em um hotel bacana com jantares harmonizados, degustações, aulas de culinária e coquetéis. Legal, né? Agora una isso a presença de ícones da gastronomia mundial e as quedas das Cataratas do Iguaçu como cenário. Incrível!

Essa é a experiência que o Festival Foz Gastronômico propõe aos visitantes nos dias 8, 9 e 10 de setembro. O evento no Belmond Hotel das Cataratas irá reunir chefs renomados, alguns com estrelas Michelin, ao lado de uma das Sete Novas Maravilhas da Natureza.

A programação conta com aulas de coqueteleira e de culinária. Degustação de cachaças, vinhos, chocolates e queijos. Além de jantares de degustação harmonizados de seis pratos preparados pelos estrelados da alta gastronomia.

Chefs Renomados

Conheça os superespecialistas que participarão do Festival Foz Gastronômico:

  • Benoid Vidal: chef no restaurante Atleier D’Edmond, na França. Duas estrelas no Guia Michelin.
  • Kazuo Harada: chef no restaurante MEE, no Rio de Janeiro. Uma estrela no Guia Michelin.
  • Gabriel Matteuzzi: chef no restaurante Tête-à-Tête, em São Paulo. Uma estrela no Guia Michelin.
  • Guilherme Vinha: chef do restaurante Tête-à-Tête, em São Paulo. Uma estrela no Guia Michelin.
  • Edmundo Santos: chef no Huto restaurante, em São Paulo. Uma estrela no Guia Michelin.
  • Pedro Siqueira: chef no restaurante Puro, no Rio de Janeiro. Chef Revelação 2017 pelo Prêmio Prazeres da Mesa.
  • Jean-Paul Barbier: chef do Restaurante Tragaluz, em Lima/Peru.
  • Clayton Aguiar: chef do Restaurante Itaipu, em Foz do Iguaçu.
  • Antonia Gomez: chef no restaurante Sax Palace , no Paraguai.
  • Jéssica Sanchez: Bartender do Ano 2017, do Prêmio Veja Rio Comer & Beber.
  • Nacir Zadona: chefe de bares do Belmond Hotel das Cataratas.

Serviço

Quando: de 8 a 10 de setembro

Onde: Belmond Hotel das Cataratas, Parque Nacional do Iguaçu

Conheça os pontos turísticos de Foz do Iguaçu!

A Avianca Brasil oferece voos diários com destino a Foz do Iguaçu. Confira!

Sanduíche de atum empanado

 

O Rodrigo Hilbert preparou uma receita de sanduíche de atum empanado com gergelim especialmente para os leitores do blog da Avianca Brasil.

O modelo, ator e apresentador de um programa de culinária no GNT, o “Tempero de Família”, ensinou passo a passo como fazer esse lanche que é fácil, rápido e delicioso. Confira!

 

Sanduíche de Atum Empanado

Tempo de preparo: 20 minutos.

Rendimento: 1 sanduíche.

Ingredientes:

  • 1 peça de atum de 250 g
  • Gergelim para empanar
  • 1/2 cebola roxa
  • 3 colheres de sopa de molho shoyu
  • 1 colher de café de óleo de gergelim
  • Sal e pimenta do reino a gosto
  • Coentro a gosto
  • Raiz forte a gosto
  • 1 colher de café de melado
  • 2 fatias do pão que preferir

Modo de preparo:

  1. Corte a cebola em rodelas bem finas e cubra-a com água gelada por 10 minutos para retirar a acidez.
  2. Faça um molho misturando shoyo, raiz forte, óleo de gergelim, coentro picado e melado ou teriyaki e reserve.
  3. Após 10 minutos da cebola na água, retire toda a água e coloque as rodelas de cebola para marinar no molho. Reserve.
  4. Tempere a peça de atum com sal a gosto.
  5. Empane completamente o atum com gergelim misturado à pimenta do reino moída.
  6. Coloque um fio de azeite na frigideira para grelhar o atum. Cada lado deve grelhar por aproximadamente 2 minutos.
  7. Coloque as fatias de pão na frigideira para dar uma leve tostada.
  8. Retire o atum da frigideira, corte em fatias de mais ou menos 1 cm. Junte a cebola temperada junto com um pouco de molho e sirva.

Bom apetite!

Fez a receita do sanduíche de atum empanado? Posta uma foto e marca a Avianca Brasil no Instagram! Queremos saber como ficou o seu lanche. #aviancabrasil @aviancabrasil

Rodrigo Hilbert foi capa da Avianca em Revista. Leia a entrevista!

GastronomiaNovidades

Wraps Quentes no Serviço de Bordo

16 de dezembro de 2016 2 Comentários

Wraps Quentes serão servidos a partir de hoje no serviço de bordo de SP para RJ

O cardápio consiste em quatro sabores de wraps quentes com recheios finos, que serão alternados duas vezes por semana. A novidade estará disponível nas viagens a partir das 11:00 nos voos que partem de São Paulo (Congonhas) com destino ao Rio de Janeiro (Santos-Dumont).

“Renovar o serviço de bordo é uma estratégia de surpreender o nosso cliente. Temos muitos passageiros frequentes e queremos que tenham sempre variedades saborosas quando voarem conosco”, destaca Flavia Zulzke, gerente geral de Marketing da Avianca Brasil.

O menu estreia com wraps quentes de lombo canadense e queijo muçarela, pasta de mostarda e molho branco. Em seguida, serão oferecidos wraps de peito de peru com muçarela e patê de tomate seco. Na sequência, entrarão wraps de frango desfiado temperado com queijo muçarela, azeitona e molho de tomate. Por fim, a companhia servirá wraps quentes de presunto, queijo prato e tomate assado. O serviço inclui bombons e uma seleção de bebidas, com sucos e refrigerantes variados, café e água.

Wraps Quentes Avianca - Serviço de Bordo

Nos voos entre Santos-Dumont e Congonhas, também em viagens a partir das 11:00, oferecemos um serviço que varia entre sanduíches e empanadas. Nas demais operações domésticas, são servidos por padrão sanduíches com recheios variados, quentes ou frios. Nos trechos mais curtos são servidos bombons ou bolinhos. Todas as refeições são uma cortesia da empresa aos passageiros.

Opções do Serviço de Bordo em agosto incluem quatro sabores de quiches quentes e frutas ou muffins

Serviço de Bordo Avianca

Temos novas opções do serviço de bordo em agosto, nos voos de São Paulo (Congonhas) para Rio de Janeiro (Santos-Dumont). O cardápio, que ficará disponível pelos próximos dois meses, inclui quatro sabores de quiches quentes e serão alternados semanalmente. Como sobremesa, oferecemos frutas da estação ou muffins variados, além de uma seleção de bebidas, como sucos, refrigerantes e café.

“Nosso time gosta muito do que faz, porque parte do trabalho envolve buscar formas de encantar nossos clientes. Estamos sempre pensando em novas ações que aprimorem cada vez mais a sua experiência de viagem. O cardápio da temporada é um pequeno gesto de carinho, a nossa forma de dizer ‘muito obrigado por ter escolhido voar com a gente’”. Destaca Flavia Zülzke, gerente geral de Marketing da Avianca Brasil.

Na primeira seleção do novo cardápio do serviço de bordo terá quiches de queijo. Em seguida, entrarão no ciclo quiches Lorraine (com pedaços de bacon e recheio cremoso de queijo), de escarola e de ricota com blanquet de peru.
Serviço de Bordo Avianca - Quiche
Nos voos entre Santos-Dumont e Congonhas e nas demais operações domésticas com mais de uma hora de duração, oferecemos sanduíches com recheios variados, quentes ou frios no serviço de bordo. Nos trechos mais curtos, com menos de uma hora, são servidos bombons ou bolinhos. Todas as refeições do serviço de bordo são uma cortesia da empresa aos passageiros.

Saiba mais sobre o serviço de bordo oferecido pela Avianca aqui.

Gastronomia

Novas opções do nosso Serviço de Bordo

19 de abril de 2016 2 Comentários

Veja quais foram as escolhas de novas opções no serviço de bordo neste novo ciclo.

O serviço de bordo é um dos principais diferenciais reconhecidos e elogiados pelos clientes da Avianca. Por causa disso, a área responsável está sempre pensando em formas de surpreender e proporcionar boas experiências para os paladares dos nossos passageiros.

Periodicamente a área traz nova opções para o cardápio de bordo e, desde o dia 16 de abril,  reformulou o cardápio de café da manhã e as refeições servidas nos voos da ponte área São Paulo (Congonhas) ao Rio de Janeiro (Santos Dumont) e São Paulo (Congonhas) a Brasilia.

Os novos cardápios envolvem deliciosos sanduíches quentes, pães de batata, frutas da estação picadas ou muffins variados. Confira abaixo algumas das novas opções:

Serviço de Bordo -Pão Australiano

Pão australiano, queijo mussarela, lombo canadense e pasta de queijo cremoso com salsinha

Serviço de Bordo - Pão de Beterraba

Pão bisnaga de beterraba, queijo prato, presunto cozido e pasta de tomate seco

Serviço de Bordo - Pão de Cenoura

Pão bisnaga de cenoura, blanquet de peru, queijo mussarela e pasta de queijo cremoso com salsinha

Serviço de Bordo - Pão de Centeio

Pão bisnaga de centeio, lombo canadense, queijo prato e pasta de cenoura

Como é o processo de escolha do Serviço de Bordo?

Você sabe quem são todos os envolvidos no processo de escolha de tudo o que é servido para os nossos passageiros? Nós vamos te contar.

• Catering: A palavra parece difícil, mas sua definição é bem simples. Uma empresa de catering é a parceira responsável por alimentação coletiva, entrega e logística dos produtos servidos a bordo. Nós contamos com parceiros com anos de tradição nesta área em todo Brasil. Além de contar sempre com produtos previamente selecionados.

• Ciclos e serviços: Quando o assunto é serviço de bordo, dividimos cada voo feito por uma de nossas aeronaves como um ciclo. Por exemplo: se temos um voo do Rio de Janeiro até Brasília e de lá ele segue viagem até São Paulo, as refeições servidas serão diferentes. É preciso levar em conta também o horário das refeições. Pela manhã, geralmente até às 11h, são servidos sanduíches mais leves. Após esse período, as refeições são mais consistentes. Além disso, para voos com mais de 1 hora de duração, os passageiros que não comem carne podem solicitar, com 48h de antecedência, uma opção Ovo-Lacto Vegetariana para o seu serviço de bordo.

• Diretoria de Serviço ao Cliente: A Avianca Brasil conta com uma equipe de profissionais altamente qualificados. Alguns dedicados exclusivamente a todos os serviços fornecidos àqueles que optaram por voar conosco. Por isso, todos os produtos servidos passam pelo crivo de qualidade desta área. Da mesma forma, periodicamente são feitas reuniões com as empresas parceiras. Nessas ocasiões, produtos e cardápios são cuidadosamente discutidos e escolhidos por especialistas. Tanto da culinária quanto da nossa área de Serviço ao Cliente.

Serviço de Bordo - seleção

Gastronomia

Rio Burger Tour

26 de junho de 2015 0 comentário

RBT2 (1)

Depois da onda das temakerias, das iogurterias e, mais recentemente, das gelatterias (sorveterias metidas a chique) parece que o queridinho dos chefs é o bom e velho hamburger! A moda agora no Rio e no Brasil são as hamburguerias!

Sendo assim, eu e mais uma confraria de amigos glutões nos reunimos com o objetivo de fazer análises divertidas e criteriosas desses grandes expoentes burgerísticos de nossa cidade. Na verdade, o objetivo é se empanturrar de hamburger, mas tudo bem. O resultado acabou virando o Instagram @RioBurgerTour, onde depositamos belas fotos e nossas críticas sinceras, por vezes duras ,mas sempre bem-humoradas!

RBT1 (1)

Para vocês terem uma noção desse árduo trabalho, segue nosso Top 3 até o momento!

Meating Homemade Burgers (Gávea)
O hamburger, ponto central do tipo de sanduba em questão, deixa um pouco a desejar. A suculência orgásmica está lá, mas meio aguado e de sabor pouco marcante (retrogosto fraco). O pão é saboroso na medida certa, não ofuscando a harmonia do “prato” e contribui muito para o sabor geral da refeição. Amarelo, gostoso e fofo como um filhote de labrador. O queijo, apesar de ser um esnobe Ementhal, poderia ter mais personalidade, parece um mero acompanhamento obrigatório. O bacon caramelado e curado no whisky Jack Daniels é delicioso e eleva a nota geral, mas poderia contribuir ainda mais se tivesse presença mais generosa e não uma mísera tirinha depressivamente solitária. O molho é interessante e bem servido. O tamanho não é grande de assustar mas é suficiente para deixar o comensal satisfeito. Ah, apesar de não entrar na avaliação, os milk-shakes de “pumpkin” (a boa e velha abóbora) e “cheesecake” nos fizeram gemer de prazer tão alto que fomos expulsos da casa por atentado violento ao pudor.
Nota: 7,1

– Puro Restaurante (Jardim Botânico)
Nossa renomada equipe de especialistas foi conhecer hoje o Puro, no JB (RJ). Sei que nossa missão é exclusivamente focar e destrinchar os mistérios dos burgers cariocas, mas é impossível não mencionar a decoração, atendimento e, principalmente, a apresentação dos pratos. É tudo tão bem pensado e perfeito que a própria cozinha do estabelecimento fica à mostra. E uma casa tem que se garantir muito pra exibir sua cozinha. Porque todo mundo sabe, né? Cozinha de restaurante é que nem passado de mulher: se você conhece, acaba não comendo. Mas vamos às burguesas.
O Puro Burger é bem servido, o pão é macio e saboroso, o tomate vem cozido e temperadinho, as cebolas são caramelizadas, a carne é bem alta e vem no ponto certo, até o queijo mineiro, que poderia ser simples, tem sabor especial. Única observação talvez seja a ausência de um molho especial para dar uma graça.
Um burger correto tem que ter uma presença maior (tamanho x-large! Não regulem miséria, burger chefs!) e um gourmet burger precisa ter uma graça a mais (#ficaadica).
Nota: 7,7

– Hellish Pub (Tijuca)
Tamanho que impressiona e sabor do hamburger digno de um churrasco nos pampas! O pão é generoso mas podia puxar um pouco mais no sabor (mtas hamburgerias consideram o pão um mero invólucruo do sanduíche-iche-iche). O queijo é derretido no ponto e vem em quantidade, um charme especial para esse ingrediente fundamental do clássico x-burgui. Tem que ser aquela lava amarela derretendo-se para fora, tal e qual nos anúncios de burger americanos. Os acompanhamentos variados e bem feitos (com direito a Onio Rings do tamanho do pneu de um pequeno veículo automotor) tornam esse espécime de burger um verdadeiro caso de amor!
Nota: 8,0

– Hamburger do Kabeça: esse é só para convidados. Em se tratando de hamburger não poderia deixar de mencionar o cheeseburger do meu amigo Ricardinho Cabeça. Economista metido a chef, ele recebe um seleto grupo de amigos em sua piscina e prepara na churrasqueira um hambúrguer que leva gema de ovo, cebola, molho inglês e queijo ementhal entre outros ingredientes secretos. O tamanho é grosseiro (não cabe na boca) e o sabor é incomparável! Mas, como eu disse, é só para VIPs: vocês vão ter que confiar na minha palavra. 😉

Nota: 10!

Se quiser conferir mais dicas, fotos e reviews divertidíssimos: @RioBurgerTour! 😉

 

gelato2

Como disse no enunciado de minha última coluna, é difícil comprimir, organizar e sintetizar um roteiro de viagem pela maravilhosa região da Toscana, na Itália. Dei uma pincelada rápida no texto anterior (AQUI) mas, obviamente, impossível ser 100% completo ao escrever sobre uma viagem por mais de uma dezena de cidades, museus incríveis, restaurantes deliciosos, vinhos, cidades medievais, obras de arte… Por isso, resolvi dedicar essa coluna apenas aos restaurantes maravilhosos que conheci nas diversas cidades que visitei pela Toscana!

Restaurantes:

Cacio e Pepe- o restaurante fica no simpático bairro cool de Trastevere e seu destaque é o tradicional prato italiano: Cacio e Pepe, o macarrão com queijo e pimenta. Parece básico, mas o preparo impecável mostra como é possível

 

Trattoria Mario- Uma típica trattoria italiana no coração de Florença. Salão pequeno e abarrotado de clientes espalhados pelas mesas comunitárias. Faz parte da tradição do lugar esperar na fila do lado de fora (que anda rapidinho). A decoração mostra a paixão dos donos e cozinheiros da casa pelo time local, a Fiorentina. A cozinha ocupa o canto do salão, onde é possível ver os simpáticos chefs cozinhando bistecas de 1 kg e tirando fotos divertidas com os clientes. Cardápio simples e experiência tradicional e imperdível.

Osteria Spirito Santo- Uma osteria super rústica em uma parte moderninha de Florença. Ambiente parece casa de uma vozinha, com pratos de tamanhos variados, paredes descascando contrastando com quadros modernos. O nhoque com queijo gratinado vem fumegando e uma das grandes atrações da casa. O preço é justo e a meia porção dos pratos é IMENSA!

Gelateria Dondoli- San Gimignano é uma das cidades favoritas de quem passa pela Toscana. Uma pequena e aconchegante cidade medieval, espetada por diversas torres (é conhecida como a “Manhattan Medieval”), uma praça central que parece uma viagem no tempo e… o melhor sorvete do mundo! As casquinhas variam de $2,50 a $5,00 (gigante e com cobertura de chocolate e amenoim) e os sabores fogem ao creme ou morango tradicionais e são mais na linha: Gorgonzola, Açafrão com Mel, Chocolate Branco com Pimenta… e a tradicional Nutella! A sensação é de morder uma saborosa nuvem que derrete na boca.

Fries Trastevere- Essa é pra larica da noite. Frequentado pelos jovens que saem e seguem para diferentes casas noturnas, essa lanchonete que serve apenas batatas fritas em um saquinho em formato de cone consegue se destacar. Um: pelas batatas fresquinhas feitas na hora no ponto certinho, dois: pela variedade de molhos (mais de 50 tipos). Vale a pena pra comer sentado na calçada vendo o povo italiano passar em um fim de noite qualquer.

Divina Pizza- Pizzaria familiar feita só com produtos orgânicos de produtores locais. Sabores variados e combinações criativas. Assim como diversas casas italianas, um restaurante familiar comandado pelo pai (cozinha), filho (ajudante de cozinha) e a Mãe (atende com simpatia contagiante os clientes e apresenta o perfil da casa e as variedades incríveis). Melhor pizza que comi na Itália.

Foquei mais nas diversas dicas e não me dei ao trabalho de colocar os endereços ou sites porque viajante que se preze sabe mexer no Google e GPS, né, gente? 😉