Categoria

Hospedagem

Quer curtir a neve no Chile? Reunimos tudo o que você precisa saber para se planejar e se jogar nessa viagem! Então, veja como chegar, onde se hospedar, onde comer e como aproveitar o melhor do Valle Nevado.

Valle Nevado

Como chegar ao Valle Nevado?

Chegar ao Valle Nevado na Temporada de Neve pode não ser fácil, mas a paisagem compensa e muito. A estação de esqui está a cerca de 3000 metros de altitude, no alto da Cordilheira dos Andes, e a aproximadamente 60 km de Santiago.

O recomendado é contratar um transfer até o Valle Nevado. O serviço pode ser particular, dessa forma você controla seus horários, ou em grupo, com um roteiro mais restrito. Nada te impede de subir de carro a Cordilheira, porém durante o inverno, é preciso contar com as nevascas.

As empresas que fazem o trajeto Santiago – Valle Nevado costumam buscar os visitantes em seus hotéis, parar em uma locadora de roupa e equipamentos para esqui e depois iniciar a subida.

Na metade das 40 curvas mais sinuosas há outra parada. A ideia é admirar a paisagem, tentar evitar o enjoo e minimizar os efeitos da altitude. Você pode tomar um remédio contra o enjoo antes de sair da hospedagem, mascar chiclete durante o percurso, beber chá de coca e dizem ainda que cheirar limão também ajuda.

É importante saber que há horário de funcionamento da estrada para subidas e descidas durante sábados, domingos e feriados. Sendo a subida das 8h às 13h e a descida entre 15h e 20h.   

Chegue a Santiago voando com a Avianca Brasil! Há três opções de voos diários e diretos saindo de São Paulo. Os clientes possuem descontos na temporada de neve 2018 do Valle Nevado.

Onde se hospedar no Valle Nevado?

Valle Nevado

É possível se hospedar no Valle Nevado! O Ski Resort conta com três hotéis e apartamentos em edifícios nas montanhas que podem ser alugados. Veja a diferença:

  • Hotel Valle Nevado: é o que fica mais próximo às pistas e tem o serviço mais exclusivo. Aqui estão a academia e o spa do complexo. Todas as refeições estão inclusas na estadia e todos os quartos possuem varanda.
  • Hotel Puerta del Sol: está a 50 metros das pistas. Os quartos podem ser conectados, sendo assim ideal para as famílias. Algumas acomodações possuem varanda. Estão inclusos jantar e café da manhã. Aqui ficam a piscina aquecida, a sala de cinema e um espaço para jogos.
  • Hotel Três Puntas: fica a 150 metros das pistas de esqui e é considerado ideal para a hospedagem de amigos. Os quartos possuem uma maior quantidade de camas e podem ser conectados. Além de ser onde está localizado o pub do complexo.  Aqui o serviço é também de meia pensão.
  • Apartamentos: as acomodações proporcionam maior espaço, independência e privacidade. Nelas, você pode se sentir mais a vontade, fazer a sua própria comida e reunir os amigos e a família.

Os hóspedes dos hotéis têm livre acesso à área de esquis. Já os dos apartamentos precisam adquirir tickets a parte.

Onde comer no Valle Nevado?

Quando você vai passar o dia na estação de esqui, as empresas de turismo já avisam que comer e beber no Valle é caro. Por isso, elas recomendam levar água e lanches ao passeio. Mas, se você quiser ter a experiência de fazer sua refeição nas montanhas, o Ski Resort conta com 6 restaurantes.

  • Bajo Zero: é um fast food que fica no meio das pistas de esqui. É o mais em conta!
  • La Fourchette: restaurante francês com vista para a montanha.
  • Monte Bianco Ristorante: restaurante especializado em comida italiana próximo ao Valle Lounge.
  • Restaurant Sur: ótimo para quem quer degustar da culinária chilena. Fica no Hotel Tres Puntas.
  • Mirador del Plomo: buffet com opções de comidas da gastronomia internacional no Hotel Puerta del Sol.
  • La Leñera: ponto de encontro pós-esqui para curtir o pôr-do-sol com bebidas, petiscos e Djs.

Ao comprar o passe do dia, o Ski Day, é possível escolher uma opção de ticket que dá direito ao almoço na montanha ou um combo fast food.

Um dia no Valle Nevado

Valle Nevado

Quem faz o tradicional bate e volta, desembarca do transfer ou estaciona o carro na Praça da Gôndola, na Curva 17. Nesse espaço, o visitante pode alugar seus equipamentos e roupas, e contratar aulas de esqui ou snowboard. Além de comprar o ticket que dá acesso às pistas e demais atrações do resort e guardar seus pertences.

Se você não quiser esquiar, compre o ticket que dá acesso à Gôndola. Com ele, você sobe uma parte da montanha, chega ao Bajo Zero e pode curtir a neve. Este é o único teleférico que pode ser usado por quem não está com os equipamentos de esqui.

Além disso, um transporte gratuito do complexo faz o trajeto entre a Curva 17 e a área dos hotéis e dos restaurantes. Vale passear por lá também.

Como funcionam as pistas de esqui?

Na temporada de inverno, as pistas de esqui funcionam todos os dias das 9h às 17h. São 900 hectares de áreas esquiáveis, sendo a maior estação da modalidade do Hemisfério Sul.

Há opções para diferentes níveis de esquiadores: iniciante, intermediário, avançado e expert. Se quiser aprender ou se aperfeiçoar no esqui ou no snowboard, é possível fazer aulas em grupo ou particulares. Crianças de 4 a 11 anos podem ter atendimento personalizado com instrutores que as acompanham em todos os momentos.

Dicas Extras!

  • Passe protetor solar.
  • Leve óculos de sol.
  • Vá com uma bota impermeável mesmo se não for esquiar.
  • Leve água.
  • Contrate um seguro viagem que englobe acidentes com esportes.
  • Divirta-se como se fosse uma criança!

Compre suas passagens para Santiago com a Avianca Brasil para ter descontos na Temporada de Neve 2018 do Valle Nevado. 

Conheça o roteiro para conhecer o centro de Santiago a pé. 

Não sabe o que fazer em Vitória? Acompanhe o roteiro detalhado que preparamos para você aproveitar 48 horas na capital do Espírito Santo. O passeio é perfeito para um final de semana ou um feriado prolongado.

O que fazer em Vitória?

Voo de ida/volta entre São Paulo e Vitória

A viagem começa com o voo da Avianca Brasil que parte de São Paulo no finalzinho da tarde, por volta das 17h35, e chega a Vitória ás 19h10. A volta é com o voo que parte de VIX cerca de 19h45 com destino a Guarulhos. Você pode ir visitar a cidade de diferentes locais do Brasil fazendo conexão em SP.

Onde se hospedar em Vitória?

A negócios ou a lazer? Não importa! As melhores regiões para se hospedar em Vitória são a Praia do Canto e a orla da Praia de Camburi. Nesses locais estão a maior oferta de hotéis, restaurantes e estabelecimentos comerciais.

 

Primeira Noite em Vitória

Para começar a sentir o clima da cidade, vá à Rua da Lama. O local reúne vários botecos e  restaurantes descontraídos de hambúrgueres, esfiha, pizza, panqueca, tapioca, crepes e waffles. O mais legal é que tem uma parte da rua que fica fechada para os carros durante a noite.

Dia 1 – Passeio por Vitória

Trem Vitória Minas

#1 Praias

O ideal seria conhecer os pontos históricos e depois passar a tarde nas praias, mas as visitas aos edifícios só podem ser feitas a partir das 13h. Sendo assim, acorde bem cedo e vá explorar a orla capixaba.

Comece o passeio pela Praia de Camburi, alugue uma bicicleta pública (Bike Vitória) ou caminhe pela orla em direção à Praia do Canto. Passe pela Praça dos Namorados, observe a Ilha do Frade e vá até a Curva da Jurema.

Você irá visualizar a Pedra da Ilha do Boi e o Hotel Senac. Seguindo por cerca de 650 metros pela Rua Renato Nascimento Daher Carneiro e virando a direita na Rua Kleber José de Andrade, é possível ter uma vista incrível da Terceira Ponte, do Morro do Moreno e do Convento da Penha. Capriche na foto!

Atravesse para o outro lado da ilha e se depare com as entradas para duas pequenas e lindas praias: a Praia da Direita e a Praia Grande.

Se ainda tiver tempo e disposição, você pode devolver a sua bike no ponto da Praça do Papa e dar uma esticada até o Projeto Tamar.

#2 Almoço

Quer apreciar uma boa moqueca capixaba? Vá à Ilha de Caieiras! Além do prato tradicional, os restaurantes que margeiam o Rio Santa Maria trazem outras delícias culinárias feitas de frutos do mar. Você pode fazer o seu pedido e passear pelo cais, observando as desfiadeiras de siri e os pescadores.

Os restaurantes mais famosos são o Caieiras e o Pirão da Ilha. Importante lembrar que os estabelecimentos são bastante simples. Na época que antecede a Páscoa o bairro fica bastante movimentado pelos locais e visitantes que querem degustar a Torta Capixaba.

#3 Paneleiras de Goiabeiras e Parque da Cebola

As Paneleiras de Goiabeiras se reúnem em um centro de produção das peças que são bastante usadas no preparo dos pratos típicos capixabas.

No local, é possível observar o preparo da argila que é extraída na própria região, o minucioso trabalho artesanal para modelar as panelas, a queima dos produtos e a pintura para impermeabilização.

Pegue um Uber ou um táxi e vá até o Parque da Cebola, aproveite o momento para ver a cidade do alto e fazer lindas fotos tendo como cenário pedras, flores, árvores e lagos.

#4 Centro Histórico

Tirando a Catedral Metropolitana de Vitória, os prédios históricos da cidade tem como horário de visitação das 13h às 17h.  Vale a pena reservar umas duas horas para desbravar a região e conferir os seguintes pontos turísticos:

  • Palácio Anchieta – sede do Governo do Espírito Santo.
  • Igreja de São Gonçalo – tombada como patrimônio histórico, possui arquitetura barroca com entalhes em madeira pintados a ouro em sua fachada.
  • Catedral Metropolitana de Vitória – a planta da igreja é em forma de cruz latina e seu estilo arquitetônico faz referência ao gótico. Destaque também para os vitrais desenhados pelo italiano César Alexandre Formenti.
  • Capela Santa Luzia – erguida no século XVI, a igreja é a mais antiga de Vitória.
  • Convento São Francisco – uma das construções franciscanas mais antigas do país, atualmente abriga o núcleo principal da Igreja Católica no Espírito Santo.
  • Convento do Carmo – fundado por Carmelitas, atualmente o local divide-se entre uma Escola Municipal e uma igrejinha.
  • Teatro Carlos Gomes – o edifício tem como estilo predominante o neoclássico e foi construído tendo como inspiração o Teatro Scala, de Milão. A pintura do teto da plateia é de Homero Massena.

Dica: você pode subir até o último andar do Sesc Glória para observar o centro de uma forma panorâmica.

Segunda Noite em Vitória

O ponto mais famoso e badalado da noite de Vitória é o Triângulo das Bermudas. A área reúne diversos bares, restaurantes e casas noturnas. Vale andar pela região e escolher os lugares que mais combinam com você para aproveitar a vida noturna capixaba.

 

Dia 2 – Passeio por Vila Velha

O que fazer em Vila Velha

O segundo dia do roteiro é dedicado a Vila Velha. Não tem como ir a Vitória e não atravessar a Terceira Ponte para conhecer a cidade vizinha.

#1 Convento da Penha

O Convento da Penha é o ponto turístico mais visitado da Grande Vitória e não é para menos. A atração consegue reunir história, fé e uma vista incrível.

Do alto do monte, é possível observar o Forte São Francisco Xavier da Barra, a Prainha, o Morro do Moreno, a Terceira Ponte, Vila Velha e Vitória. O convento abre bem cedinho às 5h30 e conta com missas ao decorrer do dia.

#2 Fábrica da Garoto

Vale a pena fazer o Tour pela Fábrica da Garoto. O passeio tem que ser agendado com antecedência pelo site. Nele, você é guiado pelo processo de produção dos chocolates com degustação ao final e visita ao museu. Para esse roteiro de 2 dias, o ideal e ir às 9h – na primeira turma. Fique atento às exigências para a visita, como: ir de calça, tênis e camiseta.

#3 Museu Ferroviário – Vale

Próxima parada: Museu Vale! O Centro Cultural e de Exposição da Vale fica na antiga Estação Ferroviária Pedro Nolasco e tem vista para os portos de Vitória e de Vila Velha. O espaço reúne artigos, maquetes, fotos, maquinários e até mesmo uma Maria Fumaça que contam a história da Estrada de Ferro Vitória a Minas.

Fazer a visita com o Audioguia faz toda a diferença. Peça o seu, é gratuito!  O Café do Museu fica dentro de uma locomoção.

#4 Almoço

Aproveite a culinária local! Os restaurantes mais famosos de Vila Velha são os que possuem os caranguejos como carro-chefes. Entre eles estão o Caranguejo do Assis e a Ilha do Caranguejo. A estrutura deles é bastante completa, tendo até playground para as crianças. Os pratos variam entre peixes, moquecas e outros frutos do mar.

#5 Praias de Vila Velha

As praias de Itaparica, Itapuã e da Costa são as mais recomendadas para você aproveitar a linda costa de Vila Velha. A Praia de Itaparica tem estrutura de quiosques, a praia de Itapuã é dominada pelos pescadores e a Praia do Canto é a mais movimentada. Se tiver disposição, é possível caminhar ou andar de bicicleta pelo calçadão dessas três praias.

#6 Farol Santa Luzia

Quer uma vista diferente da Baía de Vitória? Vá ao Farol Santa Luzia. Ele fica em uma área militar e é preciso vestir roupas adequadas, ou seja, não pode ir só com traje de banho.

#7 Morro do Moreno

Se depois de tudo você ainda tiver tempo, vale encarar a subida ao Morro do Moreno. Vá de carro até a subida principal do morro, na Rua Xavantes, e depois é possível subir de 4×4, moto ou andando. Não é recomendado fazer o percurso com objetos de valor e sozinho. A vista é sensacional, principalmente para admirar o pôr do sol.

 

Compre sua passagem para Vitória!

Conheça mais destinos para visitar pelo Brasil!

A Baixa Temporada é a época do ano em que um destino é menos procurado pelos viajantes. O período é perfeito para quem quer aproveitar melhor o lugar visitado e economizar na viagem. Confira as vantagens de viajar na baixa temporada:

#1 Passagens aéreas em promoção

As companhias aéreas costumam realizar grandes saldões de passagens aéreas para a Baixa Temporada. Com exceção dos feriados, esse é geralmente o período de embarque determinado nas tarifas promocionais. Ideal para quem está “paquerando” aquele destino mais distante.

#2 Lugares mais vazios

Se você não gosta de pegar filas gigantes em atrações turísticas, disputar espaço na praia, não tem paciência de esperar para conseguir uma mesa no restaurante e prefere conviver mais com os moradores locais do que com outros turistas, essa é a época perfeita para você viajar!

#3 Fotos melhores

As fotografias ficam bem melhores quando não tem um monte de pessoas disputando espaço com os monumentos, as paisagens ou os edifícios. Será mais fácil conseguir capturar as imagens desejadas e achar o melhor ângulo para o clique.

#4 Refeições mais baratas

Os preços das comidas e bebidas geralmente aumentam na Alta Temporada. Sendo assim, na Baixa, é possível gastar menos nas refeições, comer nos restaurantes mais disputados e economizar nesse que é um dos maiores gastos de uma viagem.

#5 Economia na hospedagem

Hotéis, pousadas, aluguel de casas e até hostel ficam mais baratos na Baixa Temporada. O preço das diárias podem cair até 50% em comparação à época de grande procura por hospedagem.

#6 Queda no preço dos passeios

Os passeios turísticos ficam bem mais baratos quando a procura não é tão grande. Sem contar que é possível fazer melhores negociações de preço. Ideal para quem quer conhecer mais lugares, gastando menos.

Quando é a Baixa Temporada?

No Brasil, a Baixa Temporada acontece nos meses de março, abril, maio, agosto, setembro, outubro e novembro. Já a Alta Temporada ocorre nos meses de férias escolares: dezembro, janeiro, fevereiro, junho e julho.

 

Para onde viajar na Baixa Temporada?

Veja alguns exemplos de destinos que valem a pena ser visitados na Baixa Temporada: Porto de Galinhas, Maceió, Natal, Bonito, Serra Gaúcha, Fortaleza, Foz do Iguaçu, Balneário Camboriú, Caldas Novas, Campos do Jordão, Minas Gerais e Santiago.

Aproveite as ofertas de passagem aérea para Baixa Temporada!

Escolha o seu próximo destino!

DestinosHospedagemInternacionais

O que visitar em Madrid?

5 de janeiro de 2017 1 Comentário

Uma viagem a Madrid deve começar pela visita a Puerta del Sol, é o que dizem… Depois de seguir à risca esse conselho, discordo que seu roteiro também deva começar assim.

Madrid

Existe muita história por trás do burburinho de um dos pontos mais movimentados de Madrid. Em formato circular e com várias ruas saindo como raios em direção à cidade – daí vem o nome Puerta del Sol –, a praça tem duas estátuas importantes: a de Carlos III, sempre lembrado pelas melhorias que fez por Madrid durante seu reinado da Espanha, entre 1759 e 1788; e o famoso monumento “El Oso y el Madroño”, símbolo madrilenho que representa a fertilidade e as terras de cultivo com a imagem de uma ursa e um arbusto.

Também é aqui que fica a Casa de Correios e o emblemático relógio que dá as 12 badaladas à meia-noite do 31 de dezembro, quando muitos festejam a chegada do ano novo com o curioso ritual espanhol de comer 12 uvas nos primeiros 12 segundos – uma a cada campanada. Um olhar atento para as laterais da Puerta del Sol também revela uma placa que faz referência à batalha dos mamelucos de 1808 e outra em agradecimento às ajudas recebidas após o atentado de março de 2004 na estação de trem Atocha.

Madrid

A Plaza Mayor

Com uma importância histórica sem igual, a Puerta del Sol é um ícone de Madrid, mas está longe de ser o passeio mais apaixonante para a estreia da visita à cidade. O charme das construções antigas, da efervescência cultural, dos jardins bem cuidados e da rica gastronomia está em outro lugar. A própria Plaza Mayor, que fica a uma rápida caminhada da Puerta del Sol, ganha a cena com seus prédios baixos de arquitetura barroca pintados de vermelho e branco, rodeando toda a praça e acolhendo restaurantes com mesas na rua e guarda-sóis.

Criada para ser um mercadão do século 16, a Plaza Mayor teve seus dias de zona comercial de pães, carnes, legumes, verduras e frutas. Hoje, por trás de cada janelinha vivem famílias – à exceção da pequena fachada de desenhos coloridos que abriga a secretaria de turismo. De todos os lados, o acesso à Plaza Mayor é feito por arcos e passarelas, que levam em direção a esse marco madrilenho já reconstruído três vezes por conta de incêndios. Não há dúvidas de que, vira e mexe, suas andanças pela capital desembocarão – quase sem querer – na Plaza Mayor.

 

Madrid
Da Plaza Mayor à realeza

Caminhando para o outro lado de Madrid, o Palácio Real fica a menos de 1km de distância da Plaza Mayor.  Carlos III foi o primeiro rei a morar no suntuoso palácio de mais de 4 mil cômodos. A visita pelo interior impressiona pela riqueza dos quartos. Eles são excessivamente decorados com tapeçarias, porcelana e obras de arte de artistas, como Goya, Velázquez e Caravaggio. Ao lado do Palácio estão a Catedral de la Almudena, construção em homenagem a uma santa árabe, inaugurada em 1983, e os Jardins de Sabatini, tão bem cuidados quanto o francês de Versalhes.

A guia brasileira Andrea Lima nos acompanha por essas andanças. Mostrou o prédio onde morava Velázquez, pintor oficial da corte espanhola nos anos 1620.

“É do lado do Teatro Real, onde acontecem apresentações de ópera, por isso é comum ver pessoas com roupas de gala e segurando seus binóculos passando por aqui”. Explica Andrea, fundadora da empresa de turismo Descubra Madrid que, há cinco anos, oferece tours para brasileiros. Podem ser feitos a pé ou de carro e incluem passeios de um dia para as cidades vizinhas.

Clássico madrilenho

Para fechar uma autêntica viagem madrilenha, o roteiro inclui a “hora do vermute”. A bebida é à base de vinho, vodca, ervas e especiarias. Voltou à moda e virou a queridinha para começar o dia “tapeando”. As tapas viraram verbo  e motivo para seguir de bar em bar no sábado ou domingo à tarde.

“A hora do vermute começa ao meio-dia. Vamos indo pela rua em vários bares, até terminar o dia em uma balada, teatro ou jantar”. Conta Carlos Calvo, gerente do hotel ME Madrid, revelando que a Calle Ponzano é o destino preferido para a noite.

Aos domingos à tarde, é a região La Latina que vibra com bares e mesas ao ar livre. Muitas pessoas “salindo de caña” – outra expressão importantíssima, que significa sair para beber cerveja. Os domingos também são movimentados nessa região. El Rastro é uma feirinha de rua que acontece aos domingos há 400 anos na rua Ribera de Curtidores. Vendedores de antiguidades e quinquilharias se reúnem entre fotogênicos prédios baixos com sacada de ferro. Atraindo milhares de pessoas para suas barraquinhas. Uma muvuca boa para deixar lembranças animadas de Madrid.

Hotel Ritz - Madrid
Onde ficar

No palácio da Belle Époque, o hotel Ritz nos leva de volta aos tempos de sua inauguração. Nesta época, ela foi exclusiva para os convidados do rei Afonso XIII. Muitos detalhes são preservados: os tapetes persas feitos à mão, a fachada de pedra branca, os lençóis de linho. Além do deslumbrante jardim que fazia parte do Real Jardim Botânico. Hoje recebe eventos, jantares e o tradicional brunch de domingo.

As 108 suítes já hospedaram celebridades, como Nelson Mandela, Frank Sinatra e Eva Perón. Elas têm decoração palaciana e varandinha com vista para o Museu do Prado e Triângulo de Ouro da Arte. O hotel foi comprado pelo grupo Mandarin Oriental em 2015 e passará por uma restauração em breve.

Como chegar

A Avianca Brasil tem acordo de codeshare com a Air Europa, companhia aérea espanhola. Com isso, o bilhete aéreo pode ser comprado pelo site da Air Europa ou da própria Avianca Brasil. Operado diariamente em um avião Boeing 777-300, o voo é direto.

Voo para Madrid (MAD): 16:05 São Paulo (GRU) – 05:30 Madrid (MAD)

Por Camila Silva Balthazar

Abu Dhabi é um constante encontro entre o passado e o futuro. Veja quais lugares conhecer no destino.

abu-dhabi3

Menos de 50 anos atrás, apenas beduínos habitavam a imensidão de dunas de areia da desértica Abu Dhabi e arredores. A descoberta do petróleo na península do Oriente Médio motivou sheiks da família real a transformarem o skyline da cidade com construções bilionárias, circuito de fórmula 1 e atraç̧ões culturais.

Passado e Futuro

A capital dos Emirados Árabes Unidos faz fronteira com Omã e Arábia Saudita, perto do Iraque e Irã, e tem 2,6 milhões de habitantes, sendo que mais de 80% deles são estrangeiros.
O skyline de prédios modernosos que beiram o calçadão da avenida principal e famosa “praia” de Corniche, bem como todos os empreendimentos futuristas que estão por vir, contrastam com o passado recente da imensidão desértica de Abu Dhabi. Até o final dos anos 1960, os 46 mil árabes que viviam por ali se espalhavam sobre a areia, em casas de bambu ou barro, vivendo da pesca e do comércio de pérolas.

abu-dhabi4

A autêntica experiência árabe está no dia a dia. Nas conversas com quem mora em Abu Dhabi para entender mais dessa cultura tão distante da nossa. Alguns locais são bastante frequentados por Emirati, como o souk – nome dado aos mercados árabes – localizado ao lado do hotel Shangri-La. Com restaurantes, lojas de artesanato mais sofisticadas e supermercado. Nossos olhos brilham com tapetes persas, almofadas, joias e objetos de design.

abu-dhabi
A viagem é um mergulho nas tradições de uma região. As diferenças vão muito além de um alfabeto indecifrável ou de questionamentos sobre a vida dos muçulmanos. Como a exigência das roupas que escondem o corpo, o papel da mulher na sociedade e o funcionamento do governo. A grande lição é que não podemos avaliar outra cultura utilizando nossa própria cultura. Nossos valores de machismo, feminismo ou capitalismo, por exemplo, não valem para esse lado do mundo. A mente viaja aberta para admirar as belezas da vida no Oriente.

abu-dhabi2

Para ler a matéria completa sobre Abu Dhabi, acesse a Avianca em Revista online.

DestinosHospedagemInternacionais

Um dia de Rei

8 de julho de 2015 0 comentário

Screen Shot 2015-03-25 at 16.44.10

Viajar não é só uma realocação física. Viajar muitas vezes é como se transportar para um outro tempo. É incrível passear por entre resquícios de monumentos históricos, ruínas de templos espetaculares ou galerias com artefatos milenares, é como ter uma amostra do que nossos antepassados vivenciaram séculos atrás. Mas nada pode ser mais decepcionante do que após um dia inteiro passeando pelas raízes históricas de nosso mundo, ser trazido de volta a realidade ao voltar para um hotel . Quartos funcionais com decoração asséptica, lobbys moderninhos deslocados de seu cenário, tentativas de luxo que resultam na tradução mais perfeita da cafonice… são um choque para o imaginário de qualquer viajante. Mas há um lugar onde esse drama não só é evitado como a experiência lúdica de sua viagem ainda é elevada a décima potencia: o Four Seasons Hotel emFlorença, na Itália.

Screen Shot 2015-03-25 at 16.44.57

Poucos países do mundo permitem ao turista ter a sensação de atravessar uma fenda temporal como na Itália. E, entre tantas cidades e regiões italianas belíssimas e ricas em história, Florença consegue ter um lugar especial. O charme de uma das mais bonitas e antigas cidades do mundo, capital da bela região da Toscana.  Um dia passeando pela histórica Ponte Vecchio ou degustando um Gelattoapreciando a inigualável fachada da Catedral Duomo só poderia ficar ainda mais especial quando seu porto seguro é uma das luxuosas suítes do Four Seasons local.

Screen Shot 2015-03-25 at 16.44.28

Você se sente como um Rei medieval adentrando seu palácio do momento que pisa no lobby do hotel. Até porque o hotel fica de fato em um palácio Renascentista com mais de quinhentos anos totalmente reformado.  O luxo característico da rede de Four Seasons ganha aqui uma decoração de época que parece um passaporte para um dos quadros de Michelangelo pendurado nas paredes da Galeria Uffizi. Você sente um membro da nobreza real italiana adentrando seus aposentos alguns séculos atrás. Mas tudo com os serviços e amenidades dos reis modernos: wifi, spa, restaurante quatro estrelas Michelin e etc.

A cada manhã era difícil acordar naquele quarto de delicada opulência digna de Luís XIV e deixar a cama que parecia um ninho gigantesco de edredons brancos. O esforço era recompensado quando você chegava no banheiro e se deparava com uma banheira branca daquelas que Maria Antonieta devia tomar seus banhos de leite. O café da manhã era outra dificuldade, dessa vez para escolher entre as opções dos melhores queijos, prosciutos locais, bolos, paninis e sucos feitos na hora. Se você preferisse não deixar o hotel, poderia aproveitar para percorrer um dos maiores jardins particulares de Florença, decorado com obras de arte modernas e uma vista privilegiada da cúpula do Duomo ao entardecer. As diversas opções de massagem no SPA só reforçam seu imaginário de sultão renascentista, enquanto cada nó de seu corpo é desfeito por uma profissional massoterapeuta em um ambiente decorado com esculturas e afrescos que remetem a Itália de reis e rainhas.

Screen Shot 2015-03-25 at 16.45.29

Mais do que todo esse luxo e cuidado arquitetônico, o que encanta no Four Seasons de Firenze é a forma como ele se insere no imaginário de uma Florença antiga, uma das cidades mais ricas da Europa medieval e berço da Renassença. Não que Florença hoje esteja em decadência, pelo contrário. A cidade permanece uma das grandes atrações da Europa para quem procura história, cultura, beleza clássica, boa cozinha e ambientes cosmopolitas. Mas nada como, mesmo que por uma dia, poder viajar no tempo para um ambiente de luxo e nobreza. Nada como morar em um castelo medieval, mesmo que n centro da moderna Florença. E nada como se sentir como um Rei, mesmo sendo… bom, sendo você! 😉

hoteluruguai_ok

 

Eu já disse no meu livro e não canso de repetir, uma das dicas mais importantes ao traçar um roteiro de viagem é: qualidade de internet. Não vamos ser hipócritas de dizer que na viagem queremos nos desconectar, que na hora da refeição o importante é a companhia, que mais importante é curtir o passeio do que registra-lo… bla, bla, bla. Ok, grande parte disso é verdade, mas hoje em dia já aprendemos a (com uma boa dose de bom senso) saber utilizar o melhor da internet para o nosso proveito. Óbvio que não estou aconselhando alguém a ficar checando o Twitter durante um jantar romântico, mas de volta ao hotel após um dia intenso de passeios também é legal editar e selecionar fotos para mostrar a amigos e parentes.

 

A internet móvel então se tornou uma mão na roda que pode inclusive otimizar a sua viagem em 90% (números não-oficiais oriundos de nenhum estudo, apenas chute meu)! Ninguém quer perder tempo perdido na estrada quando poderia ter um GPS na palma da mão? Google Maps e Waze estão aí para isso. Porque jantar em uma lanchonete sem graça de uma cadeia de restaurante sem personalidade só porque não sabia que bem ao lado havia uma descolada e convidativa taverna com o melhor da comida típica do país que você está visitando? Foursquare pode te salvar de uma enrascada como essa. Está rodando há horas atrás daquele local especial e escondido que seus amigos reais lhe recomendaram só porque não consegue pedir informação no idioma local? Language Translator. Perdeu grana na conversão do seu dindin em moeda local? XE Currency.

 

Por esses e muitos outros motivos eu tento sempre incluir passeios interessantes, visitas culturais, museus inovadores, restaurantes imperdíveis e…. um hotel com acesso bom e rápido a internet. Por mais que não tenha como ou eu não esteja a fim de pagar as taxas exorbitantes para ter acesso a internet celular no estrangeiro, ao menos no hotel eu quero poder checar meus e-mails e fazer uso dos benefícios que a grande rede pode trazer para a minha viagem (seja ela de mochilão ou de casal ou aventureira ou cultural…).

 

E o grande destaque dessa coluna é o site que descobri recentemente e que muito tem me ajudado nessa tarefa. Hotel WiFi Speed Test (http://www.hotelwifitest.com/). A função do site é simplesmente elencar um ranking de hotéis baseados na qualidade de seus WiFis. Você entra nas principais cidades turísticas do mundo e em cada uma delas tem um ranking listando seus hotéis de acordo com o poder de suas conexões. Você pode também procurar por hotel e fazer a sua avaliação. O site recomenda que se todos compartilharmos nossas avaliações nas redes sociais estaremos forçando os hotéis e garantirem um bom serviço de internet. Eu vou fazer a minha parte! E você? J

Hospedagem

Entrando no Clima

16 de março de 2014 0 comentário

Tivoli Ecoresort Praia do Forte

O nosso Blog está agora na Praia do Forte, onde organiza junto com o Tívoli Ecoresort a Press Trip Esportiva.

Para essa missão, foram escalados alguns  dos principais veículos esportivos do Brasil como: Rede Globo, Rede Record, SBT, Globo.com, ESPN Brasil, IG, Terra, Jornal A Tarde, LANCE!, Panrotas e claro o nosso Blogger Jamelli!

O objetivo é apresentar o hotel Tívoli Ecoresort Praia do Forte, que receberá a Seleção da Croácia durante o mundial (Primeira adversária do Brasil), o Centro de Treinamento que está sendo construído para a Seleção e o novo estádio da Fonte Nova.

Ficou curioso para saber como é o hotel, como está o CT e o estádio? Não perca essa semana o post do Jamelli contando a experiência.

Enquanto ele não chega, aqui vai um aperitivo

foto 2 (3)

foto 4

foto 3 (1)

Cidade

Nesse fim de semana, acompanhados dos blogs:  A Janela Laranja, 360 Meridianos, Jeguiando, Pé na Estrada, Meus Roteiros de ViagemRapha no Mundo, Viaje na Viagem e do Mercado e Eventos, fomos conhecer Balneário Camboriú.

Nossa primeira parada foi no simpático e diferente Restaurante Porto Cabral. Com um cardápio variado e garçons muito gentis, o restaurante é a pedida certa para quem quer ter uma experiência diferente, comer bem e ainda ter uma vista privilegiada da orla de Balneário Camboriú. Eu digo diferente pois o restaurante é flutuante, fica ancorado na parte sul da praia de Balneário!

Porto Cabral

Passado o almoço, fomos conhecer um pouco da cidade. A estrutura, segurança e limpeza impressionam. Foi muito legal perceber o quanto a cidade está preparada para receber todos os tipos de turistas. Na Avenida Atlântica, a principal da cidade, existem diversos restaurantes, bares, baladas e lojas que certamente agradarão a todos os turistas.

Turma 2

Outro ponto alto é o teleférico, que te leva da Praia Central até a Praia de Laranjeiras e te proporciona uma vista privilegiada e única das praias da cidade. Para os mais radicais, existe também o ZipRider, uma espécie de tirolesa de240 metros de altura que te leva a 60 km/h do alto do morro até a Praia de Laranjeiras em menos de 1 minuto. http://www.unipraias.com.br

Existem também diversos passeios de barcos e escunas que te levam até a Ilha das Cabras, considerada uma das mais belas ilhas do litoral catarinense. O passeio dura em média 1 hora e meia e permite que você tenha uma visão diferente de toda a cidade.

Barco

Cidade 2

Fomos então, para o nosso hotel. Isolado da cidade por dois morros que preservam a vegetação nativa, o Infinity Blue é a pedida certa para quem quer conforto e sofisticação. Ele oferece uma estrutura completa para os hóspedes dos seus 122 quartos que tem à disposição: piscinas (coberta e descoberta), spa, bistrô, tenda de massagem no meio da mata,  quadra poliesportiva, sala de ginástica e muito mais.

hotel2

Piscina

A praia na frente do hotel é praticamente exclusiva para os hóspedes, é praticamente impossível não passar algumas horas por lá, aproveitando a vista e petiscando as boas opções que o cardápio do hotel oferece.

Praia Hotel 2

Praia Hotel

A parte gastronômica do hotel é um capítulo a parte. Você sempre fará a escolha certa independente de onde você escolha comer, e olha que opções não faltam! Menções honrosas ao Bistrô, ao restaurante do SPA e claro, ao café da manhã.

SPA

SPA 2

Café

Dizem que tudo o que é bom dura pouco né? Chegou a nossa hora de voltar pra casa.

Avião 3

Confira nossos voos para Florianópolis aqui ao lado e garanta já a sua passagem!

MOVICH CHICO 97 - Bogotá

Hotel Movich Chicó 97 – Bogotá Colombia

 

Ficar em hotéis de aeroporto é sempre a última solução. Além de serem totalmente provisórios, a própria noção de que são a única opção do viajante extenuado os torna incrivelmente caros. Sem graça e sem luxo, geralmente apenas a possibilidade do viajante em escalas longas e cansados de voos em sequencia poder tomar uma chuveirada razoavelmente decente e deitar em algo que não seja os assentos do aeroporto ou o chão.

 

Mas hoje em dia alguns aeroportos e cadeias de hotel veem essas estalagens provisórias com mais carinho. Uma forma inteligente de criar um diferencial onde a maioria não se esforça muito em oferecer algo mais do que o básico.

 

Colômbia- Ao lado do aeroporto de El Dorado, em Boigotá, há um hotel Aloft que prima pelo design moderno, cores fortes e ambientes dignos de um longe super cool! Descanso em ambiente agradável que pode render até uma diversão no movimentado bar durante a noite.

 

Chile– Considerados um dos hotéis de aeroporto mais bonitos do mundo, o Hilton Garden Inn, de Santiago, combina uma decoração de pedras e madeira criando um ar rústico e ao mesmo tempo elegante para quem precisa de nada além de um pouso seguro para o pernoite. Tem até lareira!

 

MOVICH CITY BUSINESS - Bogotá CAPA

Hotel Movich City Business – Bogotá Colombia

 

Nova Zelândia– O Novotel do aeroporto de Aukland tem decoração no estilo Maori, em homenagem a cultura local. Além de usar várias espécies de plantas em sua decoração. Mas o que faz a diferença mesmo são os vidros especiais reforçados que não deixam passar o barulho infernal dos aviões que pousam e decolam por ali.

 

Coreia do Sul– O hotel interno do aeroporto de Seoul tem um shopping temático e todos os seus quartos tem entretenimento particular com telas de touch screen. Coisa rara de ver nos melhores hotéis em qualquer cidade!

 

Los Angeles– O Custom Hotel a minutos do famoso LAX se destaca pelo design divertido de sua arquitetura, decoração e até o uniforme dos funcionários que faz referencia à clássica indumentária das aeromoças da PanAm.

 

Berlim– Inaugurado no início desse ano, o  Steingerberger Hotel talvez seja o ápice dos hotéis de aeroporto. São mais de 300 quartos, piscina de fundo infinito, salão de ginástica, sauna, restaurantes… É para dar vontade de nem sair dali.

 

 

André Fran é um dos criadores/apresentadores da série de TV “Não Conta lá em Casa” (Multishow), onde quatro amigos encaram os roteiros mais polêmicos do planeta e semanalmente escreve aqui no nosso blog!

HospedagemRelatos

#FunTripAviancaTivoli

1 de julho de 2013 7 Comentários

Blogueiros Teatro

 

A Avianca e o hotel Tivoli Mofarrej, organizaram na última sexta e sábado, uma divertida e luxosa Fun Trip para os blogueiros do segmento viagens e turismo do Brasil!

Estiveram presentes: Gabriel Dias e Fernanda Chaves do blog “Falando de Viagem”; Diego Fontele do “Blog de Viagens”; Érika Oliveira do ” Outros Ares”; Eliane Ceccon ” 1001 Roteirinhos” e Natália Gastão do “Ziga da Zuca”.

 

Blogueiros 2

Todos na plateia do Teatro Bradesco – Alo Dolly!

 

Os blogueiros, que vieram de vários estados do Brasil tiveram a oportunidade de conhecer os nossos aviões e desfrutar de todos os nossos diferenciais. Além disso, ficaram hospedados no Tivoli Mofarrej e ainda assistiram ao musical Alo Dolly com Miguel Falabella e Maríla Pêra, uma das peças em cartaz na capital paulista que tem o nosso patrocínio.

Quer saber como foi? Dê uma olhada nas fotos aqui embaixo!

 

Blogueiros

Café da Manhã Tivoli Mofarrej

 

Batatas Brava

Batatas Brava – Restaurante Arola

1001 roteirinhos

Welcome Kit!

 

Continuem acompanhando o nosso blog! Em breve postaremos mais detalhes da Fun Trip e muito mais novidades pra você!