Categoria

Relatos

Bastidores - Quem Voa, Ama

A Avianca Brasil transformou a experiência de voar com a companhia aérea em um grande musical. Foram muitos dias e madrugadas de trabalho para alcançar o resultado bastante elogiado pelos clientes, colaboradores e especialistas. Veja o que rolou nos bastidores da campanha “Quem voa, ama”.

Concepção da campanha: “Quem voa, ama”

A inspiração da nova campanha surgiu dos clientes Lovers da marca que amam e não poupam elogios para Avianca Brasil nas redes sociais. Além dos passageiros, a ideia era homenagear os funcionários que prestam um serviço com excelência e fazem a experiência positiva de voar acontecer. A criação da campanha é da agência Grey.

Gravação e Cenário

O plano de filmagem durou quatro dias. No primeiro, a produção gravou dentro de uma aeronave no Aeroporto de Guarulhos. No segundo, os participantes foram filmados na parte externa do antigo Hangar da VASP, onde dançaram em frente ao avião. Os últimos dois dias foram dedicados à gravação na parte interna do hangar, onde foi o cenário principal.

Música

A trilha sonora é uma composição inédita da consagrada Orquestra Voadora. A big band carioca traz um conceito moderno às clássicas fanfarras. O grupo traz uma mistura de diferentes ritmos musicais, como: rock, funk, samba, pop, jazz, frevo e maracatu, às suas canções.

Serviços em Destaque

Durante as cenas, quando os diferenciais da companhia são anunciados: atendimento, conforto, serviço de bordo, entretenimento e aeronaves, o ícone do coração é apresentado.

Personagens

As cenas contavam sempre com 12 figurantes, entre lovers (clientes que amam a Avianca e aceitaram participar do projeto), músicos, atores vestidos de comissários, pilotos e executivos.

Carlos Henrique Almeida e Carolina Salgado são alguns dos lovers que participaram da campanha. Eles foram escolhidos por meio de uma pesquisa nas redes sociais que mediu quem mais interagia com a Avianca.

Canais de Divulgação

No total, além do filme, a campanha será desdobrada para os canais digitais da companhia, sites e portais, e anúncios para mídia impressa. O vídeo Avianca Lovers foi feito para veiculação em TV aberta, a cabo, internet e cinema.

Ainda não assistiu ao vídeo? Confira e deixe as suas impressões nos comentários!

Veja 5 motivos para voar e amar a Avianca Brasil?

Motivos para voar e amar a Avianca Brasil

A Avianca Brasil acaba de lançar a maior campanha de sua história: “Quem voa, ama”. O conceito nasceu das impressões, sentimentos e empatia compartilhadas pelos clientes da companhia nas redes sociais. Por isso, reunimos os 5 principais motivos eleitos pelos Avianca Lovers para voar e amar a Avianca Brasil. Confira!

#1 Atendimento

O premiado atendimento da companhia engloba qualidade, simpatia e eficiência tanto nas equipes de solo quanto de ar. Os canais de comunicação direta com o cliente, como: call center, site, central de vendas, aplicativo, atendimento online e redes sociais também são bastante elogiados.

#2 Serviço de Bordo

Nas rotas nacionais, a Avianca Brasil serve deliciosos lanches quentes e frios ou salgados. Além de frutas ou sobremesas em algumas rotas. Nos voos internacionais de longa duração, há opções de pratos quentes. O serviço é gratuito, inclui bebidas variadas e ainda a companhia faz trocas constantes no cardápio para agradar os passageiros frequentes.

#3 Entretenimento, WiFi e Conectividade

Filmes, séries de TV, jornais, esportes, documentários, músicas e videoclipes estão disponíveis para os passageiros em um moderno sistema de entretenimento individual (com exceção das aeronaves A318). As crianças também têm vez, há uma programação preparada especialmente para elas! Sem falar na premiada publicação de bordo: Avianca em Revista.

Para quem precisa se manter conectado, a Avianca Brasil tem internet a bordo! A companhia foi a primeira empresa aérea da América do Sul a oferecer o serviço. Outro diferencial interessante, é disponibilizar tomadas e entradas USB aos passageiros na grande maioria das suas aeronaves.

#4 Conforto e Frota Moderna

Para muitos Avianca Lovers, a companhia é sinônimo de maior espaço entre poltronas. O mais legal é que o conforto está presente em todos os aviões. A Avianca é a única no país a ter todas as fileiras de assentos de todas as aeronaves classificadas com o selo “A” da ANAC. A experiência é ainda mais completa e sofisticada na Classe Executiva, com Assentos reclináveis em até 180 graus, na posição fully-flat.

A empresa opera a frota mais jovem da América Latina com 49 aviões da Airbus e foi uma das pioneiras na operação latino-americana do ultramoderno A320neo. Atualmente, opera rotas internacionais entre São Paulo e Miami com seus novíssimos A330.

#5 Aliança Internacional

A Avianca Brasil é membro da maior aliança global de companhias aéreas, a Star Alliance. Sendo assim, a empresa conecta passageiros a mais de 1.300 aeroportos em todo o mundo, por meio de voos de 27 parceiras internacionais. O programa de fidelidade da companhia, o Programa Amigo, permite que seus clientes acumulem pontos voando também com as suas parceiras.

É um AviancaLover? Sabe de mais motivos para voar e amar a Avianca Brasil? Conta para gente nos comentários!

Saiba mais sobre a nova campanha da Avianca Brasil: “Quem voa, ama” e assista ao vídeo.

Relatos

Um poema especial no Dia do Cliente

15 de setembro de 2016 4 Comentários

Recebemos um poema da passageira Lêda Sellaro, que quis mostrar todo seu carinho pela Avianca no Dia do Cliente.

Dia do Cliente Avianca - Lêda Sellaro

Hoje, dia 15 de setembro, é comemorado o Dia do Cliente! E recebemos da passageira Lêda Sellaro, um poema demonstrando todo seu carinho pela Avianca. 🙂

Voando pela Avianca

Lêda Sellaro

Como amigos da Avianca,

Quase sempre viajamos

E ao fazermos o check in

Novos pontos nós ganhamos,

Garantimos mais passeios

E o prazer nós renovamos.

 

Nos aviões da Avianca

Temos mais comodidade,

Mais espaço entre as poltronas

Que reclinam de verdade,

Com apoio pra cabeça

Dando mais tranquilidade.

 

Pilotos experientes

Decolam com segurança,

Garantindo aos passageiros

Destemor e confiança

Aterrissam suavemente,

Numa tranquila  chegança.

 

Tripulação educada,

Disponível, atenciosa,

Que recebe o passageiro,

De uma forma calorosa

Fazendo de cada voo

Uma experiência gostosa.

 

Viajando certo dia

Com Suzana e Samuel,

Na revista da Avianca,

Escrevi esse cordel,

Deixando assim registrado

O meu prazer no papel.

 

Lêda Sellaro e Eudes Silva – De São Paulo para Recife

Foto: Antônio Gaudério/Folhapress

Foto: Antônio Gaudério/Folhapress

Fala pessoal, seguidores e apaixonados por viagens!

 

Hoje eu resolvi contar para vocês um pouco do meu início de carreira, com algumas passagens engraçadas e vivências que tive no São Paulo. Cheguei na cidade grande em 1994, vindo emprestado do XV de Jaú, time do interior do estado, para um mundo totalmente diferente. Foi tudo muito bacana desde o começo, só de chegar nessa cidade e viver ali no Morumbi já era uma experiência fantástica (naquela época não existiam as instalações de Cotia, onde fica a base atualmente).

 

Foi no São Paulo que eu tive a minha primeira experiência internacional. Eu nunca havia saído do Brasil e logo que cheguei no clube, fomos para uma expedição em Dallas, nos Estados Unidos, onde disputamos a Dallas Cup. Foi muito legal, uma experiência única poder jogar e ainda ser campeão como melhor jogador, podendo participar e fazer um gol na vitória contra o Milan, quando ganhamos por 2 a 1.

 

Eu cheguei em Dallas uma semana antes do torneio. Era minha primeira viagem para o exterior e eu tinha de 17 para 18 anos, sempre tive aquela curiosidade, desde criança, de chegar em um país diferente e conhecer uma cultura nova… Então saí para conhecer os restaurantes dos Estados Unidos, os parques, e passeei bastante. Uma curiosidade bacana foram os rodeios, eu como um garoto do interior, sempre conheci bastante sobre o assunto, então pude visitar e aproveitei para conhecer os famosos rodeios de Dallas, que tem uma cultura totalmente diferente do Brasil. Eles são muito fanáticos por isto lá no Texas. Quem realmente gosta de um bom rodeio, de uma música country, não deixe de conhecer Dallas.

 

Depois dessa viagem, em 1995, fui convocado para a Seleção Brasileira Sub-20 para disputar o Pan-Americano, que foi disputado em Mar Del Plata, na Argentina. Essa foi a minha primeira viagem sul-americana. Lá é uma cidade linda demais, que tem uma qualidade de vida e um clima maravilhosos. Infelizmente acabamos perdemos na final para a Argentina, mas mesmo assim ficou marcado para mim, por ser o meu primeiro destino na América do Sul e por me proporcionar conhecer uma cultura bem diferente da nossa. Depois disso fui para vários lugares, como Colômbia, Bolívia, Equador…

 

Bom, mas voltando ao assunto do início de carreira. Eu pude aprender muito no São Paulo, realmente foi um momento de fortalecimento de caráter e de profissionalismo. Com 18/19 anos eu já era titular do clube, onde fiquei durante cinco anos e meio. Foi muito importante o tempo em que morei nas instalações do São Paulo, pois tinha um convívio muito bom. O princípio de carreira foi com o grande Telê Santana, que me deu muitas dicas e muita disciplina, com os horários para chegar e sair, as regras que tinha dentro do clube, dentro da base, e isso foi muito bom para minha formação profissional. Lá fiquei muito amigo de atletas como o Fabiano, Dodô, Bordon, Sidney… E tinha o França, que é um dos maiores artilheiros da história do São Paulo. Morei dois anos no CT junto com ele e sempre demos muita risada.

 

Um dos episódios engraçados do França foi uma vez que ele foi a uma loja de um patrocinador de roupas, que ficava na Rua Clodomiro Amazonas, no Itaim. Só que não existia GPS e nem nada. Então o França saiu da Barra Funda (onde fica o CT do São Paulo) e foi sozinho para a loja. Só que no trajeto, ele fez um retorno errado e foi parar de volta lá na Barra Funda. Ele teve que fazer o caminho todo novamente, pois não sabia muito bem andar em São Paulo.

 

Da mesma forma que não tinha GPS, não existiam joguinhos, redes sociais, internet ou smarphones. Então nós tínhamos que nos virar nas concentrações para passar o tempo. Fazíamos brincadeiras mesmo. Naquela época tinha o Denilson e o Bordon, que eram caras muito engraçados. As vezes o Bordon comprava bichos empalhados para fazer pegadinhas com o pessoal. Uma vez nós fomos para Assunção, no Paraguai, e ele comprou uma aranha empalhada. O cara conseguiu assustar todo mundo do time.

 

As vezes ele se escondia dentro do armário com máscaras, com disfarce de monstro e essas coisas… Aí a gente pedia para algum novato no clube buscar uma chuteira ou algo e o Bordon já dava um baita susto, era uma espécie de batismo aos mais novos.

 

Foram momentos extraordinários com o França e todos os outros companheiros também, como o Marcelinho Paraíba, o Álvaro, Fábio Aurélio, Edu… Foi uma grande geração. O São Paulo não ganhou muitos títulos, apenas dois Paulistas, mas foi uma época de formação de grandes jogadores.

 

E em relação às viagens, realmente é muito diferente quando você está em início de carreira, pois tudo é muito novo, você não quer nem saber se vai ficar quatro ou cinco horas esperando uma conexão, ou quanto tempo vai durar o seu voo, se vai de classe econômica ou business. É sempre uma experiência diferente, em busca das novidades. Você acaba conhecendo uma nova realidade, novas culturas, novos povos, novas culinárias e bebidas, novos lugares… E isto trás uma experiência cultural fantástica para aqueles que levam o futebol a sério e procuram aprender e sugar o máximo de informações e coisas novas e boas para a vida. Então a dica que eu deixo é para aproveitar sempre, buscar conhecimento e não deixar passar este tipo de oportunidades, pois viajar é bom demais, mas aprender nestas viagens é melhor ainda!

DestinosInternacionaisRelatos

Roteiros do Fran

16 de Janeiro de 2015 1 Comentário

japao1

Escrevo aqui na coluna sempre com o intuito de apresentar algo diferente dos demais sites e blogs de viagem. Nada contra ambos, mas é porque quero colaborar e minhas experiências acabam sendo um pouco diferentes das viagens mais tradicionais. Acabo falando sobre pensadores de viagem, dicas de filmes, como fazer a mala, características de outras culturas, etc. Mas tenho percebido que os leitores acabam curtindo e se beneficiando muito com roteiros daqueles bem explicadinhos e destrinchados. E porque não unir o útil ao agradável: roteiro de destinos pouco usuais, mas que ao mesmo tempo sejam tranquilos de realizar.

 

E o primeiro destino dos Roteiros do Fran é….

 

Japão!

Não pense que dá para se virar fácil no inglês. Então, nada melhor que dicas mastigadinhas. Começando já pelo aeroporto. Você vai chegar no aeroporto de Narita. Leve dólar. Chegando lá, após a imigração (que já é um caso a parte e super tecnológica), assim que você sair a sua direita tem uma casa de “Currency Exchange” a uns 3 metros. Pode trocar grana ali que o câmbio é bom. Depois, siga em frente que tem um balcão de “information” e ao lado esquerdo dele uma escadinha pro metro-trem. Você vai comprar passagem pro Narita Express. É o trem expresso que te deixa em Shinjuku, onde é o hotel e a principal estação de trem (JR, guarda esse nome porque você vai usar o tempo todo).

Hotel: sugestão Best Western Shinjuku Astina – http://eng.bw-shinjuku.com/

Em Shinjuku a estação JR te liga a todos os lugares com poucas trocas de trem. O mapa é mole de se guiar. Procure o seu destino, em cima dele tem o valor da passagem e vc compra na maquininha automática. Assusta, mas no segundo dia você já está em casa. Easy!

Dicas de coisas pra fazer:

– Shinjuku: Shinjuku Goyen, parque grandão que é abrigo de terremotos, tem um lago de carpas gigantes e árvores de cerejeira (as famosas Sakuras – Cherry Blossom-). Vale a pena ir no Park Hyatt Hotel (uns 10 minutos andando), hotel chique onde foi filmado o filme Lost in translation. Lá no fundo tem uma delicatessen, sobe a escada e pega o elevador até o New York Bar, onde tem uma vista incrível da cidade e dá para tomar uns drinks românticos (e caros)! Chegando antes das 19h30 não paga couvert, e em um dia claro dá pra ver o Monte Fuji.

– Harajuku: pertinho de Shinjuku. Takeshita street, a rua da moda com várias lojinhas transadas. Se for domingo ou sábado você esbarra com o pessoal fantasiado de cosplay, hentai, sei lá. No final dela você chega em Omotesando.

– Yoyogi Park: do lado de Harajuku. Parque para um piquinique descolado.

– Omotesando: bairro com as lojas mais chiques, onde tem a Prada côncava (famosa). E não deixe de ir de jeito nenhum a loja de brinquedos Kiddy Land!

– Akihabara: bairro de eletrônicos e muitas lojas de mangás (revistas e bonequinhas).

– Roppongi: bairro cool, high class. Tem umas boites e tem o restaurante onde foi inspirado o kill Bill, nem e tão caro. Vale jantar lá um dia que tem um visual lindo. Se chama Gonpachi.

– Shibuya: um dos bairros mais famosos e movimentados do mundo. Tem o maior cruzamento do mundo e a estátua do lendário cãozinho Hachiko logo na saída da estação do metro.

– Shimokitazawa: bairro vintage, com lojinhas cool, meio hipster, flea market, brechó.

Museu da GuerraYushukan Museum, fica no templo Yasukuni Jinja. É um museu espetacular para quem curte história, com artefatos de todas as guerras do Japão. E o parque em volta vale a pena conhecer! Fica próximo a praça onde tá o palácio imperial.

– Tsukiji Fish Market: maior mercado de peixe do mundo! Tem que chegar tipo 6AM e tem os atuns gigantes pra leiloar. E ali mesmo uns restaurantes rústicos que dizem ter o melhor sushi do mundo.

– Tokyo Disney! Imagine o Mickey falando japonês.

japao4

 

Dicas Extras:

– Você tem que comer em um sushi kaiten. A esteirinha vai passando com os pratos pela sua mesa, você escolhe o que quer em um monitor, sai pegando o que quer comer e paga pela quantidade e cor dos pratos no final.

– Dependendo do tempo no país, você pode pegar um Shinkansen (trêm-bala) e em 4 horas estar em Kyoto (cidade mais pacata e cheia de templos)

– O Simulador de Terremoto é meio longe e fora de mão. Mas é de graça e parece uma atração de parque de diversão. http://www.ktr.mlit.go.jp/showa/tokyorinkai/english/72h/1f.htm

Relatos

Resoluções de Viagem para 2015

8 de Janeiro de 2015 1 Comentário

tuvalu

Destinos, roteiros, experiências, dicas… Em vez de separar e listar cada uma dessas resolvi juntar tudo em um Top 5 imperdível. Um apanhado de coisas daquele tipo que você sempre olha e pensa: “Um dia ainda vou fazer isso…”. Só que a vida é agora! Você prefere olhar pro seu feed do Instagram daqui a alguns anos e relembrar momentos incríveis ou ficar imaginando o que poderia ter sido? Prefere ficar na segurança do Netflix em casa ou arriscar voar em busca daquele lugar mágico que salvou no seu board “Travel” do Pinterest?  Seguem então uma lista para você olhar e decidir: desse ano não passa! E viajar em busca de seus sonhos.

 

  • Praia Paradisíaca: não pode faltar na lista. Bora-Bora, resorts caríssimo nas Maldivas que valem cada centavo (de dólar), aquele passeio de barco pelo chique e belíssimo Mar Adriático não precisa ser só de jet-setters europeus e do Galvão Bueno, go for it! Ou então busque areias brancas e mar azul mais exclusivos, rústicos e distantes como a pequena e encantadora Tuvalu no Sul do Pacífico.

 

  • Natureza: cenários e visuais incríveis não se limitam às praias, e até tem quem prefira o campo. Que tal ignorar a distância, tempo de voo e orçamento e finalmente reservar um tempo na agenda para conhecer a Nova Zelândia, por exemplo? Montanhas incríveis, verde sem fim, passeios, trilhas e escaladas em cenários dignos de “Senhor dos Anéis”.

 

  • Eventos raros: esse ano eu tive a felicidade de testemunhar dois dos mais raros eventos da natureza: uma aurora boreal e uma erupção vulcânica. No mesmo dia! Viu? Não é tão difícil. Basta que você escolha a época certa e esteja disposto a conhecer um destino incrível, maravilhoso e meio fora dos roteiros tradicionais, como a Islândia no Inverno.

vulcao

  • Cenário de filme: porque em vez de selecionar seu destino em revistas de turismo, sites de viagem ou blogs de amigos você não tenta algo inovador. Lembra aquele filme que te encantou mais pelos cenários do que pelo roteiro, trilha sonora ou atuações? Busque reviver as cenas que te impressionaram ao vivo. A dois, melhor ainda!

 

  • On the road: nada melhor para se sentir um autentico viajante do que encorar a estrada. Alugue um carro… Ou, melhor ainda: uma motor home e escolha um roteiro que tenha várias paradas interessantes mas que também permita que a estrada em si seja parte da atração. Rota 66 nos EUA, Provence na França, Toscana na Itália…. Todas essas opções farão com que você se sinta descobrindo um território novo por si mesmo.
GastronomiaRelatos

A ceia de Natal mundo a fora

25 de dezembro de 2014 0 comentário

xmas

Por exemplo: o que é a rabanada? Porque essa maravilhosa delícia só dá o ar de sua graça na época do Natal? Essas e outras perguntas sexta no Globo Repórter. Mentira, vou tentar mostrar um pouco das comidas típicas natalinas aqui nesse texto. É claro que a celebração é de ordem Cristã o dia do nascimento do menino Jesus, o presépio, apóstolos, Missa do Galo, etc… Mas muito da celebração acabou se tornando um misto de várias culturas e influencias regionais e até comerciais (o bom velhinho Noel e sua cor vermelha para vender refrigerante…). O peru de Natal, ave que só cisca em determinadas regiões do planeta, acabou atravessando oceanos para morrer na ceia dos mais diferentes povos. Mas sempre ao lado de um acompanhamento típico: a farofa brasileira, o eggnog americano, um peixinho finlandês… Vãos dar uma saboreada virtual na Ceia de Natal mundo a fora.

1- Finlândia: o clássico presunto de Natal faz sucesso a América do Sul a Escandinávia e é o prato principal na Suécia, Noruega Finlândia… Típicas batatas, passas e nozes complementam. Até um peixe pode estar presente na mesa. E o vinho embala as cantigas.

2- Polônia, Ucrânia e outros no Leste Europeu: tradição culinária de Natal por essas bandas é bem curiosa, um festival de 12 pratos diferentes e sem carne. Eles fazem jejum no período antes das festas e largam de mão na comidarada no dia 25/12!

3- Dinamarca: porco, ganso ou pato. São os animais que enfeitam as mesas e apetecem a barriga dos dinamarqueses no dia 24/12. Diferente de tantas outras regiões, parece que escolheram tipos de carne não tão populares ao longo do ano. Tradição, sacada comercial ou os dois? A sobremesa é um tradicional pudim de arroz que vem com uma amêndoa escondida, o felizardo que a encontrar ganha um presente especial!

4- Holanda: a tradição é um jantarzão estilo gourmet em pequenas quantidades e cada um temperando suas carnes e vegetais em sua própria panelinha. Curioso…

5- França: Ostras, foie gras, salmão defumado, lagosta… Tudo muito refinado. E a sobremesa é o tradicional bolo La Buche de Noel, em vários sabores: chocolate, creme, baunilha… Para beber, é claro: champagne!

6- Alemanha: as tradições gastronômicas já começam no dia 6/12 e entre alguns deleites que já se tornaram comuns em todo o mundo, sobrevivem na Alemanha alguns destaques sensacionais. O biscoito Pfeffernusse em vários sabores deixa o Cookie americano no chinelo, e quem torce o nariz para bolo com fruta cristalizada nunca provou um Fruchtebrot com mel e creme. Pra fechar a tampa, um vinho quente com limão e canela. Coisa de outro mundo!

Relatos

Viajando pelas Redes Sociais

27 de novembro de 2014 1 Comentário

 

As Mídias Sociais sempre foram um de meus temas favoritos. Ok, não exatamente um tema, como se eu estudasse (apesar de que sim, eu estudo mesmo essas coisas). Sou early adopter e hard user, esses termos em inglês que indicam o fulano que assim que surge uma nova rede social ele já se inscreve para ver como é que depois de inserido na mesma, está sempre por lá comentando, divulgando seus negócios, interagindo com os outros e fuxicando a vida alheia eventualmente que ninguém é de ferro. No quesito viagem, destaco o Instagram e suas fotos que resumem e sintetizam as vezes todo o prazer e encanto de um destino ou de um roteiro especifico.

Acontece que usa-se as Mídias Sociais de diferentes maneiras. E alguns se destacam justamente pela especialização, foco e pela popularidade que conseguem na internet. E o segmento de viagens é especialmente farto nesse ramo. São centenas de milhares de viajantes, fotógrafos, jornalistas e aventureiros que acumulam centenas de milhares de seguidores. Estes acabam se tornando autênticos (e legítimos) formadores de opinião de turismo. E conseguem de modo bastante natural influenciar uma galera que tem a viagem como prioridade ou parte bem presente em seu cotidiano.

O Mercado, que não é bobo nem nada, esta de olho e já percebeu esses influenciadores. E começa a descobrir as maneiras mais legais para incentive-los e usar de seu poder em favor de seus negócios. As associações, campanhas, ações e promoções são das mais divertidas e eficientes.

A interação do público/consumidor com estes “ viajantes referência” é muito natural e espontânea, coisa que os planos de marketing buscam em campanhas de cifras milionárias e muitas vezes (quase sempre) acabam morrendo na praia. A distância entre os profissionais e esses geradores de conteúdo relevante na internet esta cada vez menor. Na internet, é impossível prever o que vai vingar (ou viralizar). Muitas vezes uma GoPro presa nas costas de uma águia sobrevoando os Alpes Franceses faz mais pelo turismo da região do que uma campanha multimilionária envolvendo uma equipe gigantesca e dias de filmagem.

Tentativa, feeling, erro e experimentação. O caminho do sucesso para quem quer (tentar…) fazer sucesso divulgando turismo nas redes sociais.

 

Screen Shot 2014-11-03 at 6.23.37 PM
Ha uns seis anos eu e mais três amigos iniciamos um projeto onde viajaríamos pelo mundo conhecendo culturas distantes, realidades inóspitas, roteiros fora do tradicional, nações em conflito, países vitima de desastre natural e algumas outras grandes questões da humanidade.  Desde então, entre momentos de tensão e alegria, já cruzamos fronteiras proibidas, entrevistamos terroristas, apertamos a mão de Premio Nobel da paz, demos rolé de tanque com a ONU, levamos ajuda humanitária em tsunami… entre outros feitos daqueles de contar para os netinhos no futuro. As vezes penso que já vi de tudo, mas a cada nova temporada do NCLC eu quebro a cara e me surpreendo com situações e pessoas que provam o quão vasto e maravilhoso e o nosso planeta.

Esse ano a temporada do programa foi bem especial e com uma abordagem bem diferente de todas as outras que fizemos. Nossa missão não era exatamente traçar um perfil de um pais mal interpretado ou vivendo algum tipo de situação complexa e singular, partimos do Brasil para os confins da Escandinávia (mais precisamente para as Ilhas Faroe) para acompanhar o trabalho de uma organização de proteção a vida marinha. Através de um amigo ativista, acompanhamos de perto o trabalho da Sea Shepherd (quem já viu a serie Whale Wars deve conhecer bem) em sua luta para evitar que centenas de baleias-piloto sejam brutalmente assassinadas em cenas dantescas onde barcos cercam os animais e os conduzem ate as praias onde são assassinados pela população ensandecida em um frenesi de imagens fortíssimas e mar tingido de sangue. Aprendemos muito, ouvimos relatos emocionantes de ativistas que lutaram e foram presos tentando evitar essa matança, conhecemos lugares lindos mas carregados de uma energia pesada e, procurando ouvir os dois lados das questão, percebemos o quanto algumas noções que parecem tao cruéis e distantes na verdade estão diretamente ligadas a hábitos alimentares e muito próximas de nossa própria realidade.
 
Serão dois episódios (dia 07/11 e 14/11) de cenários paradisíacos, imagens fortes e muita informação para fazer todo mundo pensar sobre o papel do homem na natureza e nossa relação com os outros animais com quem dividimos esse planeta.
 
De lá, seguimos para a Islândia, onde vivemos a realidade de um lugar onde a ameaça de um vulcão, algo completamente idílico e surreal para três brasileiros, por mais atemorizante que seja é parte da rotina desse país. Muita gente não sabe, mas em 2008 a Islândia vivia uma crise financeira gravíssima, bancos quebraram, moeda desvalorizou e a situação ficou muito complicado. Difícil imaginar para quem hoje visita a capital de Reykjavik, com seus prédios baixos e coloridos, clima de cidade pequena e pacata e lojinhas de souvenir e casacos (o clima frio, como se deve imaginar, impera o ano todo praticamente) ou percorre de carro as estradas lisas que circundam o país e atravessam paisagens que variam de montanhas cobertas de gelo a desertos de lava vulcânica. Parte das iniciativas que tiraram a Islândia da crise foram o foco em economia sustentável, ecologia etc. Parte disso passa por encarar seus vulcões (fenômeno preocupante que já fechou todo o espaço aéreo da Europa por alguns dias) como algo não tão assustador. Pelo contrário, camisetas engraçadinhas, canecas, slogans, livros… fazem uso dos característicos vulcões islandeses como uma atração a mais do país. E nós tivemos a oportunidade raríssima de ver de perto um desses vulcões em plena erupção! Autorizações especiais nos levaram por estradas no meio do deserto e até bem próximo aos “portões do inferno”, ou do paraíso seria mais apropriado pela beleza da dança do magma explodindo pelos ares e da lava escorrendo pelo chão. Para fechar com chave de ouro: testemunhamos uma belíssima Aurora Boreal rasgando os céus de verde. Dois fenômenos dos mais raros da natureza em uma viagem de 5 dias. Tá bom, né?
Screen Shot 2014-11-03 at 6.23.48 PM
 
Completando a temporada, o destino seguinte foi a Ucrânia. Queríamos ver os dois lados da recente revolução no país e da guerra que segue rolando em algumas regiões do país. A Kyev mais aliada a Europa e os valores ocidentais, e a Crimeia, recém anexada a Rússia com muito orgulho, com muito amor. Conversamos com gente que viu de perto os manifestantes lutando e sendo mortos às centenas por snipers em pleno centro da capital ucraniana, a agora famosa Maidan Square (#EuroMaidan) e andamos por essas ruas que até hoje carregam as cicatrizes desses violentos confrontos. Fomos então para a Crimeia onde nos alertavam dos riscos de violência, espionagem, instabilidade e confusão e na verdade vimos uma península pacata e muito evoluída que simplesmente identifica nos valores culturais e na sociedade russa a sua própria identidade. 
 
Para variar, mais uma aula de história, cultura, política e vida. In loco, e ao vivo e a cores como deve ser. Viajar é a maior aula!
Puerto Vallarta capa
Desde a criação das cameras GoPro, em 2004, ficou muito mais fácil fazer registros de viagem pessoais. A praticidade e o fato de terem um preço relativamente acessível, possibilitou que hordas de viajantes e turistas passassem a filmar de pontos de vista originais (ou nem tanto) algumas de suas aventuras pelo mundo. Embaixo da água, acopladas em carros, taxis, tuk-tuks, dentro de trens, na janela de avião, filmando refeições exóticas, trilhas aventureiras e, mais recentemente, até anexadas a drones fazendo registros incríveis que até pouco tempo atrás custariam algumas dezenas de milhares de dólares para serem obtidos.
A industria de viagens logo passou a enxergar e absorver o fenômeno. Videomakers descobriram linguagens interessantes utilizando o equipamento simples mas com potencial incrível e a criatividade e a beleza dos registros deu conta do resto. Entre muita coisa feita de forma primária, tecnicamente tosca e sem nenhuma ambição de qualidade, muitos filmes legais começaram a aparecer.
Destaco aqui alguns bem interessantes que descobri em recente pesquisa, e adianto que em breve estarei produzindo algo nessa linha especialmente para a Avianca. Fiquem ligados!
1- Olhos de Águia
Os caras conseguiram colocar uma GoPro nas costas de uma águia que estava sendo solta de seu cativeiro em Chamonix, nos Alpes franceses.
2- Holi
O Festival das Cores, na India, é sempre um momento especial para registros em video. O videomaker Dan aproveita os ângulos singulares da camera e a possibilidade de slow-motion para criar um divertido show de imagens e cores.
3- Fiji Multi-Camera
Usando imagens em drones, pranchas de surfe, debaixo da água, time lapses e camera lenta, esse video consegue passar a exata sensação de deixar sua realidade urbana e mergulhar em um paraíso como as Ilhas Fiji. Dos prédios cinza de um centro qualquer para as praias de areia branca e água de um azul translúcido mais belas do mundo.
4- Por dentro da Coreia do Norte
Realmente é bem difícil registrar qualquer coisa dentro da Coreia da Norte, sei bem porque já fiz um programa de TV lá dentro (escondido heheheh). Mas com uma pequena GoPro presa no capô de um carro dá até para conseguir fazer e filmar um city tour da capital Pyongyang. Incrível e raro registro!
Relatos

Sobre os lugares mais bonitos do mundo…

2 de outubro de 2014 0 comentário

tvl1

Como na última coluna eu falei sobre um lugar insuspeito que me chamou a atenção (e surpresa), me perguntaram sobre alguns outros destinos como esses que conheci em minhas viagens pelo mundo. Locais pouco conhecidos, pouco divulgados, raramente incluídos em listas de Top Destinos de Férias, roteiros esquecidos por diferentes motivos mas que me surpreenderam pela sua beleza. Claro que existem diferentes maneiras de impressionar, a mim pelo menos. Alguns lugares me impressionaram pela sua beleza natural, outros por alguma história tão desconhecida quanto inspiradora, alguns por seus valores culturais, políticos ou sociais. Mas como no último texto destaquei um destino de beleza natural acachapante, resolvi fazer um exercício e lembrar qual o lugar mais visualmente incrível e ao mesmo tempo desconhecido que já vi. Não foi difícil.

 

Criado no Rio de Janeiro, acostumado a beleza das praias, dos oceanos, cachoeiras… nunca esperava que um pequeno país no sudeste do Pacífico fosse me deixar tão estupefato justamente pela sua região costeira. Tuvalu é um pequeno país com pouco mais de 26 quilômetros quadrados e uma população de mil habitantes (maior apenas que o Vaticano e a ilha de Nauru). O que me levou até lá foi o fato de que justamente devido a seu tamanho e pouca altitude (o “pico” mais alto do país tem 4 metros de altura), o país corre o risco de ser o primeiro do mundo a desaparecer em função do aquecimento global e a consequente elevação do nível do mar. Fomos tentar entender qual o tamanho do problema (urgente!), o que está acarretando isso (a ação destrutiva e poluidora do homem, claro) e o que ainda pode ser feito (por Tuvalu em si, muito pouco. Infelizmente).

tvl2

Triste constatar que esse legítimo paraíso da natureza está ameaçado de extinção. O prazo de validade dessas praias de água azul cristalina e a areia mais lisinha e branca que já vi em minha vida é de apenas algumas décadas. Uma nação inteira ficará debaixo d`água. Um povo que terá que emigrar para algum porto salvador, uma cultura que será afogada. Uma mudança de atitude de governos e pessoas em seu cotidiano pode, no máximo, retardar o lamentável destino de Tuvalu. Mas podemos evitar que outras ilhas (Maldivas e Kiribati podem ser as próximas) tenham o mesmo destino e que países maiores, costas, praias e outras áreas tenham a mesma sorte.

 

 

Foto Maia

Quando o personagem Rob Flemming, do livro Alta Fidelidade de Nick Hornby, mostrava-se um viciado em contar fatos através de listas de “TOP 5”, foi criada uma das melhores metáforas do mundo pop,pois a mídia e o ser humano adoram listas! Todos fogem, todos discordam, todos fingem não ver, mas ninguém resiste a uma lista; no mínimo, para discordar de seu conteúdo.

Isso posto, neste meu espaço no Blog da Avianca, vou provocar e inquietar a todos despertando tal assunto.

E para refletir sobre isso, trago uma lista misturando várias outras e apontando 75 canções que definiram o “Rock ‘n’ Roll”. Tenho que confessar que esta lista me deixa totalmente reflexivo, pois até eu, que aprendi nos meus mais de trinta e cinco anos de atividade no meio cultural a respeitar opiniões diversas, sinto-me com vontade de fazer várias modificações, e justamente por isso, fico feliz, pois esta é uma boa oportunidade para refletir qual seria a nossa lista. Então, mãos à obra!

Aqui, a lista completa, dividida em três categorias, que defini com “licença poética” em cima de todas as outras listas que compilei

a) “As básicas”

  1. Bob Dylan – Like A Rolling Stone
  2. Elvis Presley – Heartbreak Hotel
  3. James Brown – Papa’s Got A Brand New Bag
  4. Joy Division – Love Will Tear Us Apart
  5. Nirvana – Smells Like Teen Spirit
  6. Oasis – Live Forever
  7. Otis Redding – I’ve Been Loving You Too Long (To Stop Now)
  8. Peggy Lee – Fever
  9. Pink Floyd – Arnold Layne
  10. Pixies – Debaser
  11. Radiohead – Creep
  12. Sex Pistols – Anarchy In The Uk
  13. The Beatles – A Day In The Life
  14. The Beatles – A Hard Day’s Night
  15. The Clash – London Calling
  16. The Kingsmen – Louie Louie
  17. The Rolling Stones – (I Can’t Get No) Satisfaction
  18. The Shangri-Las – The Leader Of The Pack
  19. The Smiths – How Soon Is Now
  20. The Stone Roses – Love Spreads
  21. The Strokes – Last Night
  22. The Velvet Underground – I’m Waiting For The Man
  23. The White Stripes – Seven Nation Army
  24. The Who – My Generation
  25. U2 – New Year’s Day

 

b) “As que deram os passos para outras tendências”

  1. Blondie – One Way Or Another
  2. Bob Marley – I Shot THe Sheriff
  3. Coldplay – Yellow
  4. Cornershop – Brimful Of Asha
  5. David Bowie – Changes
  6. Happy Mondays – Step On
  7. Jimi Hendrix – Hey Joe
  8. Kaiser Chiefs – I Predict A Riot
  9. Kraftwerk – Autobahn
  10. Marvin Gaye – I Heard It Through The Grapevine
  11. Primal Scream – Loaded
  12. Public Enemy – Fight The Power
  13. Pulp – Common People
  14. Ramones – Sheena Is A Punk Rocker
  15. Roxy Music – Do The Strand
  16. Rex – Jeepster
  17. The Beach Boys – Good Vibrations
  18. The Birds – Turn Turn Turn
  19. The Cure – In Between Days
  20. The Jesus And Mary Chain – April Skies
  21. The Kinks – Waterloo Sunset
  22. The La’s – There She Goes
  23. The Prodigy – Firestarter
  24. The Verve – Bitter Sweet Symphony
  25. Yeah Yeah Yeahs – Maps

 

c) “As que flertaram com outras possibilidades”

  1. ABC – The Look Of Love
  2. Aphex Twin – Come To Daddy
  3. Arcade Fire – Power Out
  4. Buzzcocks – Ever Fallen In Love…
  5. Chuck Berry – Johnny B Goode
  6. Dexy’s Midnight Runners – Geno
  7. Eminem – My Name Is
  8. Grandmaster Flash – White Lines (Don’t Do It)
  9. LCD Soundsystem – Losing My Edge
  10. Madonna – Into The Groove
  11. Michael Jackson – Don’t Stop ‘Till You Get Enough
  12. Missy Elliott – Get Ur Freak On
  13. Morrissey – Suedehead
  14. Prince – When Doves Cry
  15. Queens Of The Stone Age – The Lost Art Of Keeping A Secret
  16. Talking Heads – Once In A Lifetime
  17. The Beat – Mirror In The Bathroom
  18. The Breeders – Cannonball
  19. The Doors – People Are Strange
  20. The Flaming Lips – Race For The Prize
  21. The Human League – Love Action
  22. The Jam – Going Underground
  23. The Rapture – House Of Jealous Lovers
  24. Thin Lizzy – The Boys Are Back In Town
  25. Underworld – Born Slippy

 

Gostou? Concordou? Discordou?
Então, agora é a sua vez: monte sua lista!

Relatos

We Love – Tatiana Muller

4 de setembro de 2014 1 Comentário

10543168_902275069785884_1246112460_n

Bom dia, meu nome é Tatiana Müller e viajei com minha filha pela Avianca nos dias 01 e 04 de Agosto para Aracaju, e quero deixar registrado aqui minha satisfação com a companhia. Primeiro vou falar um pouquinho desta amável cidade.

10592428_902245916455466_225275840_n (1) Aracaju é a cidade natal de minha vó Aparecida…uma cidade encantadora, repleta de história!!!
Tive oportunidade de conhecer o Canyon do Xingó, Praia do Saco, Porto da Folha ( no sertão do Brasil) e tomar banho no velho Chico…um modo íntimo de chamar o rio São Francisco, e as belas parais da Atalaia…ahhh é um paraíso. Momentos maravilhosos foram vividos neste lugar. E ao voltar para o Rio de Janeiro fui surprrendida por um atendimento de excelência
A Avianca entende a dor da partida. Digo isso porque minha filha é muito sentimental e sofre com despedidas rsrs, com apenas seis anos ela sente, mesmo quando é por pouco tempo a dor de uma despedida.
 E no dia 04 no Vôo de Aracaju para o Rio de Janeiro, com conexão em Brasília, minha filha entrou na aeronave chorando…pois havia deixado em Aracaju seu querido avô e sua bisavó a “bibi” como ela chama, e ao nos acomodarmos veio até nós um comissário (que infelizmente não peguei o nome) e deu à Mirella um copinho de balas, numa tentativa de amenizar sua dor. Esse gesto pra mim, vai muito além do profissionalismo de uma equipe, essa atitute tem haver a sensibilidade de um funcinário que faz parte de uma empresa que entende a dor da saudade e da partida!
” quem meu filho beija, minha boca adoça”
Obrigado Equipe Avianca e Até a próxima!!!
Relatos

Viajando pelo Pinterest

28 de agosto de 2014 0 comentário

PinterestTravel (1)

Estou de mudança. Sim, começo esse texto falando de minha vida pessoal mas calma que o link com viagens já vem aí.  Passada a parte chata de mudar de casa (negociar contrato, burocracia, papelada e, claro, a grana absurda que se gasta geralmente com imóvel aqui no Rio) finalmente estou encarando o lado mais leve e divertido desse processo. Já devidamente instalado em meu novo espaço, é hora de transforma-lo em um lar. Escolher a TV ideal, a decoração mais bacana, o papel de parede mais moderno, os enfeites que mais tem a ver com minha personalidade…. E uma ferramenta que muito tem minha ajudado nessa missão é o site Pinterest.

É tipo uma rede social de referencias, onde os usuários postam imagens mais bacanas em seus murais divididos por temas: Arte, Moda, Lar, Comida e… Viagens! Logo que percebi que ali era um excelente local para navegar por horas a fio por imagens acachapantes de destinos dos mais variados, me peguei deixando de lado meu objetivo doméstico de pesquisar cadeiras, tapetes e quadros e me peguei divagando por fotos fantásticas da Ásia Central. São milhares de viajantes que tem o cuidado de garimpar roteiros incríveis retratados em fotos magistrais e alinhados em pastas temáticas. Um achado!

Resolvi criar então o meu Pinterest, e assim fui montando meus boards e separando na pastinha Viagens as minhas referencias favoritas. (Ainda está bem no começo, mas você pode dar uma bisbilhotada aqui). E fui pesquisar melhor a relação do Pinterest com as Viagens.

Pesquisando bem, você consegue passear por referencias macro (fotos de paisagens, retratos culturais…) até as mais micro (restaurantes interessantes, lugares escondidos…). Os próprios criadores do site já viram a força do foco em viagens por ali, e prometeram criar em breve uma opção de Mapa. Nele, os usuários poderão “pinar” suas referencias organizadas por local, criando assim roteiros colaborativos e super úteis. Vou seguir usando e navegando e recomendo aos amantes de viagem darem uma passeada por lá!