Dicas de ViagemNo Destino

O temido jet-lag

26 de fevereiro de 2015 0 comentário

FullSizeRender (2)

Escrevo esse texto totalmente atrasado, pois já era para estar seguindo para o aeroporto com destino a mais uma viagem. Dessa vez, de férias!!!  Mas, como alguém acostumado e experiente em viagens, acabo deixando mesmo tudo para a última hora: procurar os documentos, trocar dinheiro, fazer a mala e… escrever minha coluna para a Avianca.

 

Mas, parte da culpa pelo meu atraso, está na minha tática tradicional de combater o jet-lag. Bom, para deixar meu texto mais didático explico que jet-lag é aquela sensação de muito sono ou sono nenhum que é o sintoma de quem ainda não de adaptou ao fuso horário de seu destino. Quem já passou madrugadas fritando em uma cama em Tóquio ou só queria dormir o dia inteiro durante um roteiro romântico na Grécia sabe bem o que estou falando. E a minha tática, como eu ia dizendo, para tentar evitá-lo é bem simples: tente entrar no fuso horário de seu destino um ou dois dias antes de embarcar. Claro, não estou incentivando ninguém a passar o dia dormindo embaixo da mesa do escritório, e nem a ficar fazendo polichinelo em casa de madrugada. Mas dormir um pouco mais cedo, ou acordar um pouco mais tarde podem ser uma mão na roda e lhe salvar um dia que, de outra maneira, seria desperdiçado na cama do hotel enquanto sua(s) companhia(s) passeia por praias paradisíacas ou estoura o cartão de crédito em um frenesi de outlet.

 

Claro que tem gente que prefere se entupir de remédios, pílula para dormir, e até suplemento alimentar (dizem que funciona), mas eu prefiro as vias naturais. E tem dado certo (na medida do possível e de quanto consigo me empenhar em minha missão). Ah, vale a pena se lembrar de se manter sempre hidratado! Beba muita água durante o vôo (vôos longos tendem a ressecar o organismo) e evite álcool e cafeína em demasia. Refrigerantes, xícaras de café e aquele vinhozinho para dormir podem cobrar seu preço quando você quiser desbravar um novo destino no dia seguinte.

foto (8)

No final das contas, o que impera sempre deve ser o bom senso. O importante é estar em forma, bem alimentado e descansado para aproveitar ao máximo, e na melhor das condições, cada minuto da sua viagem. Como sempre digo: faça o que eu digo, não faça que eu faço. ; )

Veja Também