Relatos

Saudade

5 de setembro de 2013 2 Comentários

foto saudade

Por mais agradável que seja o destino, depois de um tempo viajando essa palavrinha acaba pintando na mente, nas conversas, nos e-mails, nas redes sociais: saudade. Pode ser de casa, da namorada, esposa, dos filhos… Mas o sentimento está lá, corroendo o peito, afogado na garganta e habitando aquele espaço tão infinito entre a vontade e a realidade. É claro que, rodando por diversas partes do globo, esse sentimento (e essa palavrinha) já virou assunto principal de conversas por diversas vezes e com diferentes interlocutores. A impossibilidade de traduzi-lo e a dificuldade de explicá-lo acabaram por me colocar em contato com outras palavras, de outros países que por barreiras culturais ou lingüísticas também não tem explicação. É aquela cena: você está conversando com um japonês, se desdobrando para tentar descrever esse sentimento, e ele acaba lembrando uma série de expressões na sua língua natal que são tão ou mais intraduzíveis que a nossa “saudade”. Saber que, de alguma forma, podemos dividir pelo menos essa aflição, já diminui um pouco a saudade. E torna esse texto, no mínimo, curioso.

 

Waldeinsamkeit– é como os alemães se referem a um sentimento de estar sozinho na natureza. Um estado contemplativo e de conexão com o planeta. Alguém se aventura a pensar na tradução pro português?

 

Komorebi– é o que os japoneses chamam a luz do sol trespassando por entre as folhas das árvores. Por que uma palavra só para isso? Não sei.

 

Culaccino– essa é mais trivial. Sabe aquilo que chamamos de “marquinha que o copo molhado deixa na mesa”?  Os italianos chamam apenas de culaccino.

 

Dépaysement– é o que os franceses chamam as pessoas que se sentem desconectados de sua terra natal. Não é exatamente expatriado, nem imigrante.. Enfim, como a própria proposta do texto diz: algo meio intraduzível.

 

Goya– vem o idioma urud, do Paquistão e de alguns estados na Índia. Quer dizer algo que parece tão incrível que parece ser irreal, ao se contar uma história.

 

Jayus– essa é uma das mais legais! Jayus é o que os indonésios chamam aquilo que de tão sem graça chega a ser engraçado! Hahahaha! Seria muito útil na internet brasileira, né?

 

André Fran é um dos criadores/apresentadores da série de TV “Não Conta lá em Casa” (Multishow), onde quatro amigos encaram os roteiros mais polêmicos do planeta e semanalmente escreve aqui no nosso blog!

Veja Também

2 Comentários

MARA REJANE DA SILVA 22 de setembro de 2013 at 19:54

PORQUE A AVIANCA NÃO TEM COMERCIAL NA TV EM POA? SÓ VEJO NA TV A CABO. A MAIORIA QUE ESTÁ CURTINDO A AVIANCA É PORQUE EU COMENTO E FAÇO PROPAGANDA.

Responder
Marketing Avianca 24 de setembro de 2013 at 11:56

Prezada Mara, bom dia!

Obrigado pela sua divulgação ai em POA! Aguarde novidades.

Responder