Esportivos

Taça Libertadores, o começo do sonho

25 de fevereiro de 2014 0 comentário

Foto Jamelli

O sonho de todo torcedor é ser campeão do Mundo. Para chegar lá é preciso percorrer um longo e difícil caminho que começa com a classificação para a Taça Libertadores da América. Mas se é complicado se classificar é ainda mais difícil superar todas as adversidades que a competições te impõe.
A Libertadores é um torneio diferente de tudo que eu já participei. As viagens são longas, os lugares são de difícil acesso, e ainda temos que enfrentar muitas barreiras culturais e sociais. Apesar de todas essas dificuldades, vivi momentos muito emocionantes e conheci lugares incríveis disputando essa competição. Joguei em grandes capitais como Buenos Aires, Montevidéu, Lima, Santiago, e também estive em cidades menores e exóticas como Mar del Plata, Medellin, Rosário e Santana do Livramento que também têm seus encantos e são destinos interessantes de conhecer. Em Medellin (Colômbia), por exemplo, você não pode deixar de conhecer o “Metrocable” – espécie de bondinho que atravessa a cidade e proporciona uma vista diferenciada e exclusiva. Inaugurado em 2004, foi uma ótima solução para melhorar o sistema de transporte, e hoje é uma dos pontos turísticos mais procurados. Já em Mar Del Plata, na Argentina, o que eu recomendo são as praias de Punta Magote ao sul da cidade. Lá você encontra uma estrutura com mais de 20 resorts prontos para te atender, além de praias maravilhosas.
Na Libertadores, um dos maiores desafios que as equipes brasileiras têm hoje em dia é o de jogar na atitude. Já joguei em La Paz, Ururo e Medelin e realmente não é fácil. A sensação de cansaço, de tentar respirar e parecer que não existe ar é muito incômoda dentro de campo. Além disso a bola fica mais rápida devido a resistência do ar, a pernas ficam pesadas e o cérebro parece que funciona em câmera lenta.

Falando de altitude me lembrei de uma história engraçada que aconteceu quando tivemos que jogar uma partida em um lugar muito alto. Os comentários da imprensa e da comissão técnica nos dias anteriores eram todos sobre altitude. O fato de jogar contra altitude era difícil, falavam até que o melhor jogador da equipe contrária era altitude. Que se não tivesse altitude a partida seria mais fácil e etc… E um jogador do nosso time em um determinado momento chamou o treinador e na frente de todos disse: “Podem ficar tranquilos, me fala o número da camisa desse tal Altitude que eu vou marcar ele,ele não vai pegar na bola, deixa comigo”.  Foi uma risada só no vestiário e até hoje quando nos encontramos lembramos deste fato.
Sorte aos times brasileiros na Libertadores, minha aposta é para uma final verde e amarela. Quem sabe uma final Cruzeiro x Flamengo ? Ou Botafogo  x Atlético Paranaense ? Ou ainda Grêmio x Atlético Mineiro ?

Qual a aposta de vocês?

Grande Abraço

Paulo Jamelli

Veja Também