Tag

Italia

gelato2

Como disse no enunciado de minha última coluna, é difícil comprimir, organizar e sintetizar um roteiro de viagem pela maravilhosa região da Toscana, na Itália. Dei uma pincelada rápida no texto anterior (AQUI) mas, obviamente, impossível ser 100% completo ao escrever sobre uma viagem por mais de uma dezena de cidades, museus incríveis, restaurantes deliciosos, vinhos, cidades medievais, obras de arte… Por isso, resolvi dedicar essa coluna apenas aos restaurantes maravilhosos que conheci nas diversas cidades que visitei pela Toscana!

Restaurantes:

Cacio e Pepe- o restaurante fica no simpático bairro cool de Trastevere e seu destaque é o tradicional prato italiano: Cacio e Pepe, o macarrão com queijo e pimenta. Parece básico, mas o preparo impecável mostra como é possível

 

Trattoria Mario- Uma típica trattoria italiana no coração de Florença. Salão pequeno e abarrotado de clientes espalhados pelas mesas comunitárias. Faz parte da tradição do lugar esperar na fila do lado de fora (que anda rapidinho). A decoração mostra a paixão dos donos e cozinheiros da casa pelo time local, a Fiorentina. A cozinha ocupa o canto do salão, onde é possível ver os simpáticos chefs cozinhando bistecas de 1 kg e tirando fotos divertidas com os clientes. Cardápio simples e experiência tradicional e imperdível.

Osteria Spirito Santo- Uma osteria super rústica em uma parte moderninha de Florença. Ambiente parece casa de uma vozinha, com pratos de tamanhos variados, paredes descascando contrastando com quadros modernos. O nhoque com queijo gratinado vem fumegando e uma das grandes atrações da casa. O preço é justo e a meia porção dos pratos é IMENSA!

Gelateria Dondoli- San Gimignano é uma das cidades favoritas de quem passa pela Toscana. Uma pequena e aconchegante cidade medieval, espetada por diversas torres (é conhecida como a “Manhattan Medieval”), uma praça central que parece uma viagem no tempo e… o melhor sorvete do mundo! As casquinhas variam de $2,50 a $5,00 (gigante e com cobertura de chocolate e amenoim) e os sabores fogem ao creme ou morango tradicionais e são mais na linha: Gorgonzola, Açafrão com Mel, Chocolate Branco com Pimenta… e a tradicional Nutella! A sensação é de morder uma saborosa nuvem que derrete na boca.

Fries Trastevere- Essa é pra larica da noite. Frequentado pelos jovens que saem e seguem para diferentes casas noturnas, essa lanchonete que serve apenas batatas fritas em um saquinho em formato de cone consegue se destacar. Um: pelas batatas fresquinhas feitas na hora no ponto certinho, dois: pela variedade de molhos (mais de 50 tipos). Vale a pena pra comer sentado na calçada vendo o povo italiano passar em um fim de noite qualquer.

Divina Pizza- Pizzaria familiar feita só com produtos orgânicos de produtores locais. Sabores variados e combinações criativas. Assim como diversas casas italianas, um restaurante familiar comandado pelo pai (cozinha), filho (ajudante de cozinha) e a Mãe (atende com simpatia contagiante os clientes e apresenta o perfil da casa e as variedades incríveis). Melhor pizza que comi na Itália.

Foquei mais nas diversas dicas e não me dei ao trabalho de colocar os endereços ou sites porque viajante que se preze sabe mexer no Google e GPS, né, gente? 😉

 

toscana3

Uma das partes mais legais de uma viagem de férias é traçar o roteiro. Mas, ao mesmo tempo, é uma das partes mais complicadas. Ainda mais quando você tem poucos dias para ver muita coisa. E esse é justamente o caso de minhas férias pela região da Toscana, na Itália. São dezenas de cidadezinhas, atrações, restaurantes, gelaterias (hmmmm…) e aí aparecem as questões: Que cidades conhecer? Onde ficar? Que roteiros fazer? Onde comer?

 

Nada melhor para responder todas essas questões e ajudar o viajante do que narrar aqui o meu roteiro. Ou pelo menos parte dele, a parte mais importante e imprescindível. Porque, na verdade, dá para passar mais de um mês na região e explorar cada esquina, colina e cidadezinha murada medieval.

 

Roma- Em primeiro lugar, se você não conhece Roma, não passe batido. Pode parecer óbvio, mas muita gente reserva poucos dias para essa que é uma das cidades mais lindas, ricas em história do mundo na ânsia de ir logo para a Toscana. Independente do seu roteio, Roma merece no mínimo uns 5 dias (que você vai gastar a sola do sapato de tanto andar). Vale cada minuto!

toscana2

Siena- Essa pode ser a sua cidade base. Florença, a lendária rival de Siena, é igualmente interessante a seu próprio modo, mas Siena é ideal por estar localizada bem próximo a trechos que você vai conseguir explorar duas a três cidades por dia. Se você conseguir ficar na cidade na época do Il Palio, a tradicional corrida de cavalos entre bairros locais, é uma experiência memorável! Uma tradição medieval que parece uma viagem no tempo.

 

Florença-  Depois de Roma, Florença é a cidade mais charmosa do país. Menorzinha, com referencias artísticas que passam por Michelangelo, Dante Alighieri, Rafael, Boticelli… e uma aura de cidade pequena, aconchegante, histórica e ao mesmo tempo com gente jovem, moderna e atrações gastronômicas e culturais das melhores.

toscana

Lucignano, Volterra, Arezzo- partindo de Siena, esse pode ser seu primeiro roteiro pela Toscana. Em ordem de tamanho você vai conhecer uma mini-cidade linda (Lucignano), uma outra um pouco maior mas com uma estrutura legal para você fazer compras de souvenir, ir a um restaurante  comer um gelato de sobremesa (Volterra) e fechar com uma cidade “grande” para os padrões da Toscana (na verdade, se tiver pouco tempo, Arezzo é uma boa cidade para ser cortada do roteiro. Só vale por ter sido cenário do clássico “A Vida é Bela”, do Roberto Benini).

 

As cidades M e Pienza– Também partindo de Siena, no segundo dia na Toscana vale conhecer Monteriggioni, praticamente uma cidade-castelo que foi a inspiração do castelo do game “Assassins Creed”, Montalcino, onde você vai saborear o espetacular vinho Brunello di Montalcinno (cate uma safra pré-2008) e Pienza, que parece um souvenir de cidade, e onde você tem que comer o tradicional queijo pecorino.