Relatos

TOP 3 às avessas

14 de novembro de 2013 0 comentário

AAAAAAAAAF

O pessoal curte uma lista, né? Os melhores passeios, os melhores restaurantes, as melhores dicas,… Mas, nem sempre, o que marca uma viagem são as vitórias. Muitas vezes o perrengue, a tensão,  a ansiedade são apenas o impulso necessário para a realização e a autodescoberta. Momentos intensos geralmente são excelentes catalisadores de emoções capazes de transformar o ser humano em sua essência. Aquelas tais experiências transformadoras. E estas são muito mais comuns quando você está ajudando a resgatar baleias no meio do Oceano Atlântico do que passeando em um shopping de New Jersey.

 

Por realizar um tipo bastante incomum de viagens, resolvi listra aqui algum desses “Top” momentos. Uma lista as avessas onde nem sempre o pior é o melhor. E vice-versa.

 

3- Manifestação do COP15: Quando iria imaginar que, cobrindo uma conferência da ONU sobre aquecimento global, na fria e pacata Dinamarca, iria tomar um sufoco? A passeata que levantava bandeiras das mais interessantes e positivas iniciativas sustentáveis transcorria tranquila. Crianças, idosos, carros de som, cartazes e fantasias faziam a coisa parecer mais uma rave do que uma manifestação. Até que um grupo de anarco-punks criados a leite ninho resolveu fazer arruaça e sair em fileira desembestada empurrando todos que viam pela frente. Ao avistarem nossas câmeras deram logo um tapão. Motivo? Objetivo? Vai saber…

AAAAAAAAAAAAAF 2

2- Protesto na Palestina: Viajando por uma terra onde os termos jihad, intifada, são parte do cotidiano, nada mais justo do que conhecer um dos aspectos mais arraigados dessa cultura do que fazendo parte de uma manifestação de palestinos marchando para demonstrar sua insatisfação com o que eles consideram a ocupação de sua terá pelo exército israelense. Tudo ia bem até que atira-se uma pedra daqui, dispara-se uma bomba de lacrimogênio de lá e, quando menos espero, me vejo correndo por um barranco envolto em uma nuvem tóxica. Saldo final, o alívio de escapar ileso e o aprendizado de testemunhar em primeira mão o quanto a falta de diálogo pode ser nociva a qualquer lado de qualquer causa.

aaaaaaaf

1- Bagdá, Iraque: Fui conhecer o Iraque em um momento em que, após a invasão das tropas da coalizão para depor Sadam Hussein, a propaganda oficial estadunidense era de que o país voltava a se normalizar e que, pouco a pouco, o turismo podia voltar a ser parte do cotidiano e do processo de reconstrução iraquianos. Fomos ver para crer e dar nossa humilde colaboração e posso dizer. Nos vimos em um cenário de filme de guerra! Bombas, check-points, violência e insegurança por toda a parte. Um povo triste e escondido em suas casas. Seja na foto do sanduíche do cardápio da lanchonete que é sempre mais bonito que a versão real, ou no Iraque: nunca acredite em propaganda.

 

André Fran é um dos apresentadores do programa “Não Conta lá em Casa” cuja temporada em Israel e Palestina vai ao ar toda 5a feira às 21h30 no canal Multishow.

Veja Também