Dicas de Viagem

Carnaval em Belo Horizonte: saiba como BH entrou no mapa dos foliões

17 de dezembro de 2018 0 comentário

Se tem uma data que todo brasileiro espera ansiosamente para chegar é o Carnaval. A maior festa do calendário do país agita foliões em cidades como Rio de Janeiro, Salvador e Recife, deixando saudade no coração de quem aproveita bastante os 4 dias de festa. Mas você sabia que o Carnaval em Belo Horizonte também é um dos mais procurados do Brasil?

Segundo dados da Prefeitura de Belo Horizonte, 3,8 milhões de pessoas participaram dos festejos da capital mineira em 2018, e a expectativa é de que em 2019 esse número aumente em 20%.

Está curioso para saber mais sobre o Carnaval em Belo Horizonte e ficar por dentro de quais são os maiores blocos? Então, continue a leitura!

Como começou o Carnaval em Belo Horizonte

Muita gente não sabe, mas o Carnaval em Belo Horizonte teve início em 1940, com blocos caricatos e escolas de samba. No entanto, o primeiro desfile aconteceu apenas em 1990, na Avenida Afonso Pena, e a folia se restringiu a apenas essa apresentação por bastante tempo.

Felizmente, quem era de BH e região não ficava sem cair na folia. Afinal, as cidades históricas de Ouro Preto, Mariana, Diamantina, Sabará, entre outras, sempre receberam turistas de todas as partes do Brasil para curtir muito ao som dos blocos e aproveitar as centenas de festas realizadas nas repúblicas.

Em 2010, um Decreto do então Prefeito de Belo Horizonte proibiu a realização de determinados eventos em praças da capital. E esse foi o marco para que o Carnaval de Belô começasse a ganhar destaque nacional.

A população contrária à ideia se organizou, dando origem ao movimento Praia da Estação. Centenas de pessoas passaram a ocupar a principal praça da cidade nas tardes de sábado para se divertir em trajes de banho junto a um caminhão-pipa comandado por um Chapolin Colorado.

A partir daí, músicos e outros artistas da capital se uniram e iniciaram a ocupação do espaço público por meio de um autêntico carnaval de rua. Quase 9 anos depois, já são 400 blocos registrados na cidade e a folia aumenta a cada ano.

Principais blocos do Carnaval de BH

O grande diferencial do Carnaval de Belo Horizonte é a imensa variedade de blocos e a ocupação das ruas nos quatro cantos da cidade. Isso sem contar as elaboradas fantasias e o clima de muita diversão.

A seguir, listamos os maiores blocos da cidade para que você já comece a montar o seu roteiro!

Chama o Síndico

Se você curte MPB, mas não quer deixar de aproveitar o Carnaval, esse bloco é perfeito para você. Isso porque o Chama o Síndico arrasta multidões ao som de músicas de Tim Maia e Jorge Ben Jor. Claro, sempre com muita batucada.

O bloco faz parte da agenda de pré-carnaval, já que vai às ruas na semana que antecede os dias oficiais da folia, sempre no período da noite. O trajeto geralmente é pela Afonso Pena, no centro da capital. Em 2018, cerca de 60 mil pessoas foram atrás do bloco.

Baianas Ozadas

Em qualquer Carnaval não pode faltar axé! E é por isso que o Baianas Ozadas hoje é o maior bloco da cidade.

Em 2018, estima-se que 500 mil pessoas em trajes brancos tenham acompanhado o bloco na manhã da segunda-feira de Carnaval e prestigiado a lavagem da escadaria da Igreja São José, no centro da capital. Essa é uma forma de homenagear o ritual das tradicionais baianas na Igreja do Senhor do Bonfim, em Salvador.

Então, Brilha!

Esse bloco tem a inclusão das pessoas marginalizadas como marca principal. A saída acontece no sábado de Carnaval bem cedo, antes das 7h da manhã, e o principal lema é brilhar!

Então, não deixe de pular da cama e caprichar no glitter e nos acessórios nos tons de rosa e dourado. Em 2018, 125 mil pessoas acompanharam o trilho elétrico ao som do mais tradicional axé dos anos 1990.

Pena de Pavão de Krishna

Com nome retirado de um verso da canção “Trilhos Urbanos”, de Caetano Veloso, esse bloco presta uma homenagem à cultura indiana e promove um desfile todo em tons de azul. Isso porque os foliões seguem o trio com os corpos pintados em homenagem a Shiva, a famosa entidade induísta.

Outro diferencial do PPK (como é conhecido) é que o trajeto só é revelado no dia anterior ao desfile. O local escolhido é sempre uma comunidade de BH ou entorno. E é bom se preparar para a caminhada, pois o cortejo costuma seguir de forma bem tranquila na manhã do domingo de Carnaval, sempre ao som de músicas que pregam a paz e o amor.

Juventude Bronzeada

Esse é um dos points do Carnaval de BH para quem procura um clima de paquera. O Juventude Bronzeada arrebata os foliões com muito axé dos anos 1990 e presta uma homenagem ao drink que é a cara do Carnaval de Belô: o “catuçaí”, uma mistura de catuaba com açaí.

Em 2018, mais de 60 mil pessoas estiveram no desfile, que aconteceu na terça-feira de Carnaval, na região leste da cidade.

Além desses blocos, existem muitos outros com propostas diferenciadas e com cortejo em diversos horários e pontos da cidade. Alguns dos que também têm uma excelente repercussão com o público são:

  • Bloco da Bicicletinha;
  • Tchanzinho Zona Norte;
  • Bloco da Calixto;
  • Unidos da Estrela da Morte;
  • Beiço do Wando;
  • Alô Abacaxi;
  • Havayanas Usadas;
  • Me beija que eu sou pagodeiro;
  • Corte Devassa;
  • Magnólia;
  • Garotas Solteiras;
  • Alcova Libertina;
  • Ordináááários;
  • Manjericão.

Como você viu, atualmente o Carnaval em Belo Horizonte não perde em nada para as festas de outras regiões do país. E o melhor é que quem escolhe passar esse feriado na capital mineira ainda pode aproveitar para conferir a folia de Ouro Preto e de outras cidades históricas.

Ou seja, se você ainda não sabia onde passar o próximo período de folia, agora já pode começar a arrumar as malas!

Para ficar por dentro das novidades da Avianca e receber dicas de outros destinos, é só seguir a gente nas redes sociais. Estamos no Facebook, no Instagram, no Twitter e no YouTube!

Veja Também