Categoria

Dicas de Viagem

Se você tem bichinho de estimação, com certeza já sentiu vontade de levar o seu companheiro de quatro patas em alguma viagem. Os maiores desafios são encontrar um local pet friendly para hospedagem e entender completamente as regras de transporte aéreo de animais.

Mas a boa notícia é que viajar com um pet é possível e fácil. Para que tudo corra bem, é preciso apenas ter um pouco de organização, conhecer as normas das companhias aéreas e providenciar a documentação necessária.

Com este post completo sobre o assunto, vamos ajudar você na missão de levar o seu cão ou gato na próxima viagem. A seguir, apresentaremos tudo que é necessário considerar na hora de contratar o transporte de pets da Avianca.

Esperamos que este guia seja útil para você. Boa leitura!

Primeiros passos para o transporte aéreo de animais

Mesmo que o seu animalzinho seja tranquilo, é preciso ter em mente que retirar o pet do ambiente doméstico é sempre um fator de estresse. E a perturbação pode ser ainda maior quando há grandes deslocamentos, contato com pessoas desconhecidas e confinamento.

Por isso, antes de contratar o serviço de transporte para o bichinho, avalie se o seu companheiro se adaptaria bem a tais adversidades. Além disso, é fundamental marcar uma consulta com o veterinário, a fim de que ele avalie se a saúde do animal está em dia para a realização da viagem.

Também é interessante que o tutor opte por trajetos mais curtos ou sem conexão, já que, quanto antes vocês chegarem ao destino, mais rapidamente a situação pode se normalizar.

Informações gerais

Caso você já tenha se decidido por levar o bichinho de estimação na viagem, seja por motivo de férias ou mudança para outra localidade, é fundamental consultar as regras da companhia aérea contratada.

Algumas empresas não admitem animais de focinho curto, de raças braquicefálicas, como pitbull ou pug, por exemplo. O motivo é que cães desse tipo não reagem bem a variações de temperatura e, então, sua saúde pode ser colocada em risco durante a viagem de avião.

Também é preciso providenciar a reserva com antecedência, já que existe um limite máximo de pets que podem ser transportados em cada voo (geralmente, 3 por cabine).

Procure também verificar se o seu animalzinho está liberado para viajar na aeronave com você ou se deverá ser acomodado no compartimento de carga. Isso é determinado por fatores como as dimensões e o peso do bicho de estimação e da caixa de transporte.

Regras específicas para o transporte de pets

Como já comentamos, há vários fatores que precisam ser considerados na hora de levar o seu animalzinho em uma viagem. A seguir, você confere tudo o que precisa saber sobre as regras da Avianca.

Transporte na cabine de passageiros

A Avianca admite cães e gatos na cabine de passageiros. O peso do animal com o pet container não pode exceder 8 kg.

O limite é de 1 pet por passageiro e por embalagem (exceto em caso de ninhada pertencente à mesma fêmea) e de 3 animais por voo.

Filhotes com até 8 semanas de vida não podem ser transportados, já que há risco de desidratação. De modo geral, a empresa também não admite o transporte de fêmeas grávidas. No entanto, é possível providenciar um laudo emitido por veterinário, assegurando que o animal apresenta boas condições para a viagem e que não há o risco de o parto ocorrer durante o voo.

O transporte aéreo de fêmeas no cio ou amamentando também não é permitido, assim como o de filhotes ainda não desmamados. Crianças desacompanhadas não podem embarcar com animais.

Especificações da caixa de transporte

Durante o voo, o bicho de estimação deve permanecer na caixa de transporte própria para essa finalidade. O invólucro deve ficar no chão da aeronave, no assento à frente do cliente, durante todo o trajeto.

A caixa de transporte é de responsabilidade do viajante e deve atender a alguns requisitos para garantir a segurança e o conforto do pet.

As dimensões têm de ser adequadas para que o animal fique em pé e dê um giro de 360º. O material precisa ser rígido e resistente, para proteger o bichinho de impactos e impedir a sua fuga. Além disso, é essencial que a caixa possibilite a ventilação para o animal e ofereça proteção às pessoas que venham a carregá-la.

O material do piso da caixa também merece atenção, já que precisa impedir o vazamento de fezes e urina. Além de tudo, é muito importante identificar o pet container com nome, endereço e telefone.

Na Avianca, as dimensões da caixa para transporte são:

  • altura – 25 cm;

  • largura – 26 cm;

  • comprimento – 40 cm.

Transporte no compartimento de carga

Caso o seu animal de estimação ultrapasse o limite de tamanho e peso para ser transportado na cabine de passageiros, há a opção de levá-lo no compartimento de carga.

Ainda que muitos tutores fiquem apreensivos com essa situação, não há motivo para preocupações. Isso porque o pet embarca na mesma aeronave que seu dono, em um ambiente seguro e pressurizado.

Alguns detalhes devem ser observados para essa modalidade de transporte. Primeiramente, o tempo máximo de viagem deve ser de 6 horas, com no máximo uma conexão. Além disso, a idade mínima do cão viajante precisa ser de 4 meses de idade.

Não é recomendado sedar o animal. Caso isso seja necessário, é exigida a apresentação de uma prescrição do veterinário, com nome do medicamento e informação da hora de ingestão e via de administração.

Para garantir o bem-estar do pet, a última alimentação antes do embarque deve ser reduzida e realizada até no máximo 2 horas antes.

Importante: a Avianca não aceita animais no porão da aeronave A330 e não faz esse tipo de transporte junto a outras companhias aéreas.

Especificações do transporte de animais de serviço

Nem só os pets convencionais são bem-vindos nos voos da Avianca. Caso o cliente necessite da companhia de um animal de serviço, ele também é muito bem-vindo, e há isenção de cobranças nesses casos.

Além da documentação obrigatória comum a todos os animais transportados, também é preciso apresentar um formulário informando que o animal não fará suas necessidades fisiológicas durante o trajeto ou que é capaz de realizá-las sem comprometer a qualidade do voo.

Confira a seguir mais alguns detalhes para transporte de animais de serviço!

Cão-guia treinado

Por lei, esse animal pode ser transportado com coleira e permanecer ao lado do tutor, na primeira fileira, em local determinado pela companhia aérea. Não é necessário utilizar focinheira.

Nesse caso, o cliente deve entrar em contato com a companhia com antecedência e, além da documentação obrigatória para o transporte de animais, precisa apresentar um atestado médico que comprove a necessidade de o passageiro se deslocar na companhia do cão. Não há limitação quanto ao embarque de cão-guia quando existir outro animal no voo.

Para mais informações, entre em contato com a Central de Vendas, pelos telefones 4004-4040 (principais capitais) e 0300-789-8160 (demais localidades).

Cão de apoio emocional

Essa modalidade de animal de serviço é específica para pacientes em tratamento terapêutico. Caso haja a necessidade de solicitar o referido transporte, o passageiro deve apresentar o relatório médico MEDIF.

O documento tem de ser emitido por um profissional de saúde mental e deve:

  • explicar por que o passageiro não tem capacidade mental ou emocional para seguir viagem sem o cão de apoio;

  • atestar que o paciente se encontra sob tratamento médico;

  • informar a data e o tipo de carteira/registro do profissional de saúde mental, assim como o estado ou outra jurisdição de emissão da carteira.

O formulário do MEDIF deve ser baixado no site da Avianca e enviado para o e-mail medif@avianca.com.br até 72 horas antes do voo.   

Raças de animais não aceitas para o transporte

Infelizmente, nem todos os tipos de cães e gatos podem ser transportados nos aviões. As principais razões são para preservar a integridade física dos animais e, em alguns casos, evitar qualquer tipo de ataque aos profissionais da companhia e a outros passageiros. Confira alguns detalhes nos itens a seguir.

Animais braquicefálicos

Algumas espécies de pets com focinho curto e achatado não são aceitas para transporte nas aeronaves da Avianca. Veja alguns exemplos:

  • Cães

    • Boston Terrier;

    • Buldogue (e suas variações: francês, inglês etc.);

    • Cavalier King Charles Spaniel;

    • Deutscher Boxer, Dogue de Bordeaux;

    • Griffon Belga;

    • Petit Brabançon;

    • Spaniel Tibetano;

    • Spaniel Japonês (Chin);

    • Pug;

    • Spaniel Toy Inglês;

    • Pequinês;

    • Mastim Tibetano;

    • Griffon de Bruxelas;

    • Shar-pei.

  • Gatos

    • Birmanês;

    • Exótico;

    • Himalaio;

    • Persa.

Cães agressivos

O transporte de cachorros considerados de raças violentas e de grande porte (com tamanho superior a 35 cm) pode ser feito mediante acomodação dos animais em caixas de transporte fabricadas em material metálico.

Veja alguns exemplos:

  • American Staffordshire Terrier;

  • Bull Terrier;

  • Dogue Canário;

  • Dobermann;

  • Dogue Argentino;

  • Fila Brasileiro;

  • Mastim Napolitano;

  • Pitbull Terrier;

  • Rottweiler;

  • Tosa Japonês.

Importante: caso o animal apresente comportamento ameaçador ou algum outro tipo de demonstração anormal de seu estado psíquico, seu embarque será negado, pois ele poderá colocar a própria vida em risco e prejudicar a operação.

Custos para o transporte aéreo de animais de estimação

Assim como outras facilidades, esse tipo de serviço é contratado mediante o pagamento de uma taxa diferenciada. A seguir, conheça as determinações da Avianca para cada caso.

Cabine de passageiros

Com exceção do cão-guia, que é isento de taxas, o custo do transporte de animais na cabine da Avianca é de R$ 200,00. A cobrança é válida por trecho e não há despesas adicionais por escalas e conexões.

​Compartimento de carga

Para transportar animais na área de carga do avião, é cobrado o valor de R$ 500,00, também por trecho. Ou seja, caso a passagem seja de ida e volta, o total será de R$ 1.000,00.  

Modos de contratação do serviço

Para acionar o transporte aéreo de animais da Avianca e tirar dúvidas, basta entrar em contato por meio da Central de Vendas com até 72 horas de antecedência do horário de voo.

Cabine de passageiros

Após a confirmação do serviço, o passageiro deve se encaminhar ao check-in da companhia ao menos 2 horas antes do horário de decolagem, portando 3 vias impressas, preenchidas e assinadas, do formulário Solicitação para Transporte de Animais na Cabine de Passageiro.

​Compartimento de carga

O procedimento é semelhante ao daquele voltado para cabine de passageiros. Após a confirmação do serviço, é necessário que o viajante vá até o balcão de check-in com pelo menos 2 horas de antecedência ao horário de decolagem, levando consigo 3 vias impressas, preenchidas e assinadas, do formulário Transporte de Animal no Porão.

Documentação exigida para o transporte aéreo de animais

Como já deu para perceber, o transporte aéreo de animais é um tema delicado e que envolve uma série de etapas e procedimentos. E uma das partes mais importantes do processo é a apresentação dos documentos necessários para embarcar com o bichinho de estimação.

Confira, a seguir, o que você deve providenciar para viajar com o seu pet dentro do Brasil pela Avianca.

Carteira de vacinas do animal e certificado de vacinação antirrábica

Para comprovar que o seu bicho de estimação está com a proteção em dia, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) exige a apresentação da caderneta de vacinação do animal.

A atenção especial vai para a vacina múltipla antirrábica, que precisa ter sido aplicada no período de 30 dias a 12 meses da data do embarque. Na carteira de vacinação, deve constar o nome do laboratório produtor, o tipo de vacina e o número de ampolas utilizado. O tratamento com vermífugo também é cobrado pela Anac.

Filhotes com menos de 3 meses e, portanto, sem a primeira vacina, só podem embarcar com autorização do médico veterinário.

Atestado de saúde do animal

Esse documento é emitido por um veterinário devidamente registrado no Conselho Regional de Medicina Veterinária da Unidade Federativa de origem do pet e tem o objetivo de comprovar que o animal está em boas condições. O atestado de saúde (sanitário) tem validade de 10 dias, a contar da data de emissão.

Passaporte para trânsito de cães e gatos

Apesar de opcional, o passaporte de animais pode ser utilizado em voos nacionais em substituição ao atestado de saúde do seu bichinho. O documento é válido em todo o território nacional.

Melhores práticas para andar com pet no avião

Com toda a documentação providenciada e as malas prontas, é hora de garantir um deslocamento tranquilo para o seu pet. Para isso, é necessário cuidar da alimentação, oferecer bastante conforto e fazer o possível para que o seu companheiro se adapte bem à caixa de transporte.

Sair do próprio lar pode ser difícil e gerar um grande estresse aos animais domésticos. Especialmente se os únicos momentos em que eles colocam as patinhas para fora de casa são para visitar o veterinário ou tomar vacinas (o que geralmente acontece com os felinos que vivem em apartamento). Sabendo disso, separamos para você algumas informações que vão tornar o transporte aéreo de animais muito mais tranquilo. Confira as nossas próximas dicas!

Prepare o animal de estimação para o voo

Durante os dias que antecedem a viagem, você já pode tomar algumas atitudes que ajudarão durante o deslocamento. Procure ensinar o seu pet a tomar água em bebedouros automáticos e em locais variados, pois isso pode ajudar bastante durante o tempo de circulação no aeroporto.

Também é interessante que seu gato ou cachorro vá se acostumando com ruídos altos e variados. Isso porque a aeronave geralmente faz bastante barulho, sobretudo nos momentos de decolagem e aterrissagem. Uma boa dica é sair para passear com o pet em locais diversos, até mesmo de carro ou em outros modos de transporte. Isso ajudará com a ambientação em meio a pessoas desconhecidas.

Na véspera do embarque, é hora de dar um bom banho no bichinho, aparar as unhas e fazer uma higienização completa da caixa de transporte. Ainda em relação ao pet container, recomenda-se identificá-lo com nome, endereço e telefone do tutor, principalmente se o pet for viajar no compartimento de carga.

Ajude seu bichinho a se acostumar com a caixa de transporte

Quem tem animais de estimação sabe muito bem que a hora de entrar na caixa de transporte pode ser um momento de muito alvoroço. Por esse motivo, é fundamental que, 15 dias antes do embarque, seja iniciado um processo de adaptação, para que o pet se sinta seguro nesse novo ambiente.

Deixe o container acessível e com a porta aberta. No interior, coloque petiscos, brinquedos preferidos do bichinho e um cobertor, para tornar o espaço aconchegante. Você também pode deixar a refeição dele dentro da caixinha uma vez ao dia. À medida que o animal for ganhando confiança, tente fechar a porta do container e só volte a abri-la ao término da refeição.

Ao perceber que seu gato ou cachorro já está acostumado com a caixa de transporte, continue estimulando o uso desse item, sempre tornando o momento de entrada na caixa agradável e divertido. Também é importante não forçar o processo e deixar que a adaptação aconteça naturalmente.

Garanta o bem-estar do animal durante a viagem

Para que a viagem ocorra com tranquilidade, algumas estratégias podem ser adotadas. O primeiro ponto é evitar o embarque com muita antecedência. Ainda que você chegue cedo ao aeroporto, aproveite o tempo livre para brincar com o seu pet e ajudá-lo a relaxar. Assim, será mais fácil para ele pegar no sono durante o deslocamento e fazer uma viagem calma.

Caso o seu bichinho seja muito agitado, você pode consultar um veterinário de confiança e solicitar a indicação de um calmante natural. Apesar de a sedação não ser recomendada, algum tipo de relaxamento pode ser importante até mesmo para o animal não se descontrolar e se ferir dentro da caixa de transporte.

Ofereça alimentos ao seu cão no máximo até 2 horas antes do embarque. A ingestão de água também deve ser controlada na hora anterior ao deslocamento. Adotar essas medidas é muito importante para prevenir enjoos e evitar desconfortos do sistema digestório.

Ainda em relação a esse tema, um item que pode facilitar bastante durante a viagem são as fraldas veterinárias. Caso a viagem seja curta, apenas um tapete específico para essa finalidade pode ser instalado no piso da caixa de transporte. Esse cuidado é muito importante tanto para que o seu animal tenha bastante conforto durante a viagem, quanto para que ele não cause incômodos aos demais passageiros.

Por fim, lembre-se da dica que demos anteriormente: para deixar o seu bichinho mais tranquilo durante o voo, o ideal  é que o container tenha itens que o ajudem a se sentir em casa.

Brinque com o seu pet ao chegar no local de destino

Após a viagem, mesmo tomando todos os cuidados, pode ser que o seu animal sinta algum estranhamento. Por isso, ao desembarcar, dedique um tempo ao seu bichinho e ofereça muito afeto e atenção. Assim, ele vai se sentir seguro e acolhido.

Esse também é o momento de investir na hidratação e oferecer uma boa dieta. Tenha a preocupação de levar com você a comida preferida do seu pet. Pode ser até mesmo um alimento úmido, no caso dos felinos. Apenas tome cuidado para não forçar nenhum tipo de situação. Observe como ele vai reagir após o desembarque e deixe-o à vontade para relaxar e repousar. Afinal, não são apenas os humanos que ficam cansados após uma viagem.

Como você viu, o transporte aéreo de animais é um tema com vários detalhes e que merece a atenção de todo dono de pet. Então, se você deseja viajar com o seu bichinho de estimação ou vai se mudar para outra localidade, não deixe de analisar com atenção todos os pontos citados neste guia e de providenciar a documentação necessária.

Além disso, dê atenção a todas as dicas fundamentais que apresentamos, para garantir o conforto e a adaptação do seu cão ou gato durante o voo. Dessa forma, você certamente terá mais chances de conseguir manter o querido companheiro feliz e tranquilo, mesmo fora de casa.

Gostou deste conteúdo e quer ficar por dentro de outras informações da Avianca? Então, assine a nossa newsletter e passe a receber todas as novidades diretamente em sua caixa de e-mail!

Em meio a tantos preparativos, a arrumação da mala deve ser feita com atenção. Isso porque vários acessórios para viagem são imprescindíveis para que tudo seja organizado sem problemas. Mas como saber se nada foi esquecido? A dica é montar uma pequena lista com os pertences, que ajudarão a deixar a viagem segura e mais confortável.

Para você saber mais sobre o assunto, preparamos este post. Aqui você confere os 9 itens que precisam ser levados na mala. Confira!

1. Bateria extra e carregador

Vivemos em tempos em que ninguém fica sem celular. Agora, imagine perceber no meio da viagem que a bateria do seu smartphone vai acabar?

Para evitar transtornos e perder os momentos marcantes dos passeios, leve na mala uma bateria extra e um carregador portátil. Esses equipamentos são muito úteis em situações de emergência. Outra dica é adquirir um carregador veicular, caso queira alugar um carro no destino.

2. Cadeados e lacres de segurança

Para evitar transtornos, é importante levar com você um cadeado extra. Uma dica valiosa é escolher o item do tipo TSA, que conta com uma combinação de números e um espaço para encaixar uma chave mestra.

O cadeado desse padrão facilita a abertura da bagagem pelos funcionários do aeroporto, caso seja necessário verificar algum objeto. Além de trazer maior segurança aos seus pertences, ele permite a abertura da mala sem danificá-la.

Outra possibilidade para manter sua bagagem preservada é usar lacres de plástico com números. A ideia é que, antes do embarque, você tire uma foto do lacre. Quando for pegar a mala, é só conferir se o lacre continua lá e se é o mesmo que você colocou. Vale a pena inclusive, pôr um cadeado na bolsa de mão. Assim, você pode dormir no avião com toda a tranquilidade.

3. Pasta para documentos

Tome alguns cuidados extras para não esquecer de levar os documentos necessários: separe-os com antecedência, conferindo se estão todos válidos. Afinal, sem eles você pode até perder a sua viagem.

Providencie uma pasta para guardar toda a documentação. Veja abaixo e anote os principais itens que não podem ficar de fora!

Documentos pessoais das crianças

Redobre sua atenção ao levar os documentos da garotada. Não se esqueça da Certidão de Nascimento original, caso a criança ainda não tenha RG. Se a viagem for para o exterior, a apresentação do passaporte também é obrigatória.

Documentos pessoais dos adultos

Leve o seu CPF e RG, pois eles são essenciais em destinos nacionais e países do Mercosul. Devem ser, inclusive, apresentados em várias ocasiões do passeio, como o embarque e o check-in na hospedagem.

Já em outros locais do exterior, é obrigatório o uso do passaporte dentro do prazo da validade. Mesmo se o passaporte estiver vencido, é preciso carregá-lo caso ele contenha um visto ainda válido para o país de destino.

Permissão Internacional para Dirigir (PID)

Quer ter liberdade de dirigir ao chegar no país que estiver visitando? Então, não deixe de pedir a sua PID com antecedência ao Detran. Com esse documento e a CNH, você poderá conduzir livremente. Lembre-se apenas de estudar com cuidado as leis do país com relação ao trânsito. 

Seguro de viagem

De acordo com do país de destino, é interessante levar o seguro de viagem. Mesmo que o local não obrigue a emissão do documento, ter a apólice em mãos é essencial para evitar perdas e danos. Entre os imprevistos, pode surgir algum acidente ou doença que precisa de assistência.

4. Saco a vácuo

Já pensou ter sua mala toda arrumada e não conseguir fechá-la? Ou retornar para casa sem espaço na bagagem para trazer as lembrancinhas dos amigos e familiares? Isso pode acontecer com qualquer um.

Para resolver esse problema, existem os sacos a vácuo. Basta preenchê-los com suas roupas e retirar todo o ar, para reduzir as dimensões do seu conteúdo. Os mais comuns são compactados com a ajuda de uma bombinha ou de um aspirador de pó. 

5. Balança de mala

Se você estiver com medo de pagar excesso de bagagem, uma excelente ideia é comprar uma balança de mala. Esse objeto funciona por suspensão: é só prender o aparelhinho na alça da mala e levantá-la para saber seu peso. Ele é pequeno, cabe em qualquer cantinho, e é muito útil para verificar se a sua bagagem está dentro das recomendações de peso da companhia aérea. 

6. Doleira

Outro item para ser levado em sua bagagem é a doleira. É bastante prático deixar o dinheiro separado em pochetes, e não misturado aos outros pertences. Esse item também é perfeito para os passeios no destino. Além disso, dão maior segurança por ficarem junto ao corpo e/ou por baixo da roupa. Você encontra esse produto em diferentes modelos, basta escolher o seu preferido.

7. Almofada de pescoço e travesseiro

Estar dentro de um avião pode causar desconforto, principalmente para quem tem medo. Para amenizar o incômodo, é útil levar uma almofada de pescoço. Existem muitos modelos, formatos e desenhos à sua escolha. Até mesmo travesseiros infláveis e massageadores estão entre as opções. Escolha a que mais agradar você e tire uma boa soneca no trajeto da viagem.

8. Adaptador de tomada

Usamos muitos aparelhos eletrônicos no dia a dia e sempre levamos alguns na viagem. Só que, às vezes, ao chegarmos no hotel de uma cidade, a tomada não coincide com o nosso dispositivo. Por isso, não deixe de colocar em sua bagagem um adaptador de tomada universal. Com esse produto, seus equipamentos funcionarão sem problemas.

9. Nécessaire

Monte uma nécessaire com escova de dente, de cabelo e pequenos potes para utilizar com os seguintes produtos:

  • shampoo;
  • condicionador;
  • creme para pentear;
  • cremes para o corpo;
  • protetor solar;
  • repelente.​

Prefira comprar embalagem menores dos produtos que não podem ser transferidos para outros recipientes (desodorante, espuma de barbear e pasta de dente, por exemplo).

Além dos artigos de higiene pessoal, vale a pena levar também um kit de limpeza. Álcool em gel ajudará a higienizar as mãos antes das refeições e após pôr a mão em locais públicos. Já para ajudar você nos momentos de ir ao banheiro, use o protetor de assento sanitário.

Como vimos, existem acessórios para viagem que não podem ficar de fora de seu roteiro. Indicamos ainda analisar o local de destino, para saber a real necessidade de incluir outros utensílios.

Agora que você já acompanhou a lista de acessórios para viagem, curta a nossa página no Facebook para receber as nossas dicas, notícias e novidades sobre viagens.

Quem planeja uma viagem precisa pensar em todos os detalhes para ter uma boa experiência. São muitas as providências a serem tomadas, como a compra da passagem e as reservas de hotel. E quando finalmente se aproxima o dia da partida, surge a grande dúvida: como organizar a bagagem?

Para solucionar esse problema, que tal contar com as nossas dicas de como fazer as malas? Seguindo na leitura deste post, você aprenderá 7 orientações práticas para carregar os seus pertences com facilidade. Confira e anote!

1. Planeje antes de selecionar os itens

Para começar, você deve saber qual é o tipo de viagem que vai fazer. Por exemplo, identifique se o destino será um local para passeios leves ou radicais. Com uma boa organização do itinerário e das programações, será mais fácil identificar os tipos e as quantidades de peças de roupas que deverá levar.

Procure conhecer também o clima da cidade escolhida. Todas essas questões vão influenciar na seleção dos itens que entrarão na sua mala, portanto, vale a pena dedicar um tempo para o planejamento.

A nossa dica é fazer uma checklist com os diferentes tópicos. Dentro de cada quesito, escreva os produtos de que for precisar. Veja esta sugestão de categorias:

  • produtos de banho, cabelo e corpo;
  • itens de cuidados diários;
  • maquiagens;
  • roupas;
  • calçados;
  • acessórios.

Com tudo esquematizado, chegará o momento de colocar o planejamento em prática. A orientação é não pôr tudo direto na mala. Antes, separe seus itens de acordo com os tópicos descritos na checklist e os disponha sobre um local em que seja possível visualizá-los, como a sua cama. Dessa forma, você terá noção de que não repetiu alguma coisa ou separou algo desnecessário.

2. Prefira tecidos que não amassem e de cores neutras

Você deve priorizar a praticidade para arrumar suas malas. Afinal, estará longe do seu lar e terá que montar os looks sem contar com todas as facilidades do seu armário. Além disso, o hábito de passar as peças ficará um pouco mais limitado.

Uma forma de lidar com essas situações é levar roupas feitas de tecidos que não amassam. A boa notícia é que existem materiais que deixarão você na moda, sem dar trabalho ao longo da viagem.

Outro jeito de facilitar sua vida e de sua família é escolher roupas de cores neutras. Deixe aquela camisa ou calça com estampa chamativa no armário. Com essa atitude, além de garantir mais espaço na mala, você terá à sua disposição peças fáceis de combinar.

3. Otimize o espaço da mala

Faça rolinhos com as roupas

O ideal é guiar-se pelas linhas das costuras ao dobrar as roupas, para não amassar os tecidos. Um truque bem útil é fazer rolinhos com as peças. Assim, você consegue otimizar o espaço e tem uma melhor visualização daquilo que está carregando. No entanto, evite enrolar os tecidos mais pesados, como paletós e casacos, porque ficarão muito volumosos, interferindo a otimização do espaço.

Coloque organizadores na mala

Organizadores são ótimas opções para manter a bagagem arrumada e facilitar a separação dos diferentes tipos de peças. Com esse suporte, camisas e blusas ficam em um compartimento, roupas íntimas em outro e assim por diante — saias, vestidos, calças e trajes de banho devem ser separados seguindo a mesma lógica.

Aproveite os espaços entre peças e sapatos

Os sapatos são ótimos lugares para guardar peças leves e que podem amassar, como pijamas, calcinhas e cuecas. Outra dica valiosa é colocar pares de meias dentro dos sutiãs com bojo. Além de praticidade, a lingerie não perderá o formato. Em relação aos cintos, o truque é deixá-los abertos, na lateral da mala.

4. Organize cabos eletrônicos em estojos

Chegou a hora de falarmos sobre os fios e os carregadores de dispositivos como celulares, fones, câmeras e notebooks. A dica boa para organizá-los, sem que se enrolem aos demais itens da bagagem, é utilizar estojos. Antes de armazená-los, faça uma pequena lista, assim como aquela das roupas, para não deixar nada de fora.

5. Utilize uma mala de mão

Estamos falando de uma grande aliada para o transporte de pertences pessoais. Invista no objeto para organizar itens como documentos, celular, óculos e cosméticos sólidos. Para viagens longas, carregue também itens de higiene, remédios essenciais e uma muda de roupa.

Evite colocar produtos líquidos ou em gel na bolsa de mão. Veja uma lista de artigos proibidos pelas companhias aéreas:

  • objetos pontiagudos e cortantes, como seringas, facas, agulhas e alicates;
  • fósforos e isqueiros;
  • álcool e líquidos não adquiridos em lojas duty free;
  • depiladores com lâmina;
  • spray de cabelo e desodorantes em aerossol.

6. Use sacos a vácuo

Esses tipos de embalagens facilitam a vida de qualquer viajante. Economizam espaços na mala e ainda permitem colocar a roupa grande que você tanto quer levar. Peças como casacos, por exemplo, ficam bem menos volumosas quando acomodadas em sacos a vácuo. No retorno da viagem, você pode utilizá-los para separar as roupas sujas.

Usar esse tipo de produto é bem simples: apoie o saco aberto em um local de fácil manuseio, como uma mesa. Separe as roupas que queira colocar e dobre as peças para melhorar a distribuição dos itens, sem ultrapassar a marcação limite.

Feche o saco e aperte-o até que todo o ar saia. Em alguns modelos, você também pode usar uma bombinha ou o aspirador de pó. Assim, seus pertences estarão embalados e prontos para serem guardados na mala.

7. Leve apenas os produtos de higiene necessários

Os itens de higiene são indispensáveis em qualquer viagem. Não conte apenas com as amostras de hotel: o ideal é levar seus produtos de rotina, a fim de evitar imprevistos. A dica para acomodar as coisas sem aumentar o peso e o volume da mala é carregar quantidades pequenas, apenas o suficiente para os dias de passeio.

Aqueles kits de frascos que podem ser encontrados em perfumarias e farmácias são ótimos aliados na hora dessa arrumação. Para agilizar sua tarefa, deixe uma nécessaire com o kit sempre à mão.

Como você viu neste artigo, as dicas de como fazer as malas facilitam a vida de todo viajante. Seja para uma aventura sozinho ou em família, a regra é nunca deixar a organização de lado. Depois de tudo ajeitado, você só terá o “trabalho” de curtir e aproveitar o melhor que uma viagem pode oferecer.

Agora que você já sabe as boas práticas para montar uma bagagem sem estresse, siga a gente nas redes sociais e aprenda ainda mais. Estamos no Facebook, no Instagram, no Twitter e no YouTube!

Apesar de o Brasil ter lugares incríveis para conhecer e curtir, viajar para o exterior também é interessante. Existem países com culturas, idiomas e locais fascinantes para ser explorados. Mas antes de comprar as passagens, é preciso saber que você vai precisar do passaporte. O documento é essencial para qualquer viajante sair do país.

Para ajudar você a se programar e aprender como tirar o seu passaporte, preparamos este post. Aqui, terá um passo a passo de para ter seu documento em mãos. Confira!

O que é um passaporte?

Antes de tudo, é importante entender do que se trata o passaporte. O documento serve para identificar a pessoa como cidadã de uma determinada nação. Além disso, permite que o viajante passe a fronteira de outro país para diversos objetivos.

Por aqui, o documento é emitido pela Polícia Federal. Caso esteja em domicílio internacional, é preciso requerer o passaporte na embaixada brasileira. Desde julho de 2015, existe um novo modelo de passaporte com validade de 10 anos para os adultos. Outra mudança foi a retirada do brasão da República da capa e inclusão de itens biométricos para evitar falsificações.

Para os cidadãos menores de idade, o prazo varia de acordo com os anos de vida. Para recém-nascidos e bebês de até 11 meses, a validade é de 1 ano. Já para os pequenos até 3 anos, segue o tempo relativo à idade. Entre 4 e o fim da adolescência, o passaporte expira em 5 anos.

Tipos de passaporte

São 4 categorias do documento emitido pelo governo federal. O mais comum é aquele destinado aos turistas brasileiros. Veja as principais características de cada um deles.

Estrangeiros

Os beneficiados com esse documento são os estrangeiros residentes no Brasil e os refugiados. As pessoas sem nacionalidade e aqueles que pediram asilo por diferentes razões estão incluídos também nessa categoria.

Laissez-passer

O termo laissez-passer, que em francês significa deixa passar, se refere aos cidadãos de nações em que não há relações diplomáticas com o Brasil. Um exemplo é o país de Kosovo.

Emergencial

Para as pessoas que não podem esperar todos as etapas do pedido do passaporte, existe o documento emergencial. O requerimento deve ser comprovado em casos específicos como na realização de ajuda humanitária, de saúde ou trabalho.

Deve ficar claro no pedido que a recusa de ir à viagem, pode causar sérias consequências à pessoa. O preço da taxa é maior e a validade é de um ano. A entrega não precisa ser agendada e a pessoa tem o documento em até 24 horas.

O que é preciso para tirar o passaporte?

A primeira etapa para pedir seu passaporte é reunir toda a documentação exigida pela PF. Abaixo, você confere a lista:

  • identificação original, CNH ou carteira de trabalho;
  • CPF;
  • certidão de nascimento para os menores de 12 anos;
  • título de eleitor e comprovante de votação, justificativa ou pagamento de multa na última eleição;
  • comprovante de quitação com o serviço militar, se tiver idade entre 19 e 45 anos.

Caso tenha mudado o seu sobrenome, é necessário levar um documento que justifique a alteração. Como por exemplo em casos de casamento ou de divórcio. Já para os demais tipos de passaportes, como o emergencial, para estrangeiros e os de laissez-passer, basta acessar o site da Polícia Federal.

Como pedir o documento?

Com tudo em mãos, você pode seguir os passos a seguir. 

Preencher o formulário pela internet 

Ao entrar no site da Polícia Federal, você deverá preencher o formulário eletrônico disponível. É bem simples de fazer, basta prestar bastante atenção para não errar as informações. Após completar com base em seus documentos, chega a hora do segundo passo. 

Imprimir e pagar a GRU

Depois do preenchimento do formulário, você deverá imprimir a Guia de Recolhimento da União, ou simplesmente GRU. Nela, consta o valor de R$ 257,25, que pode ser pago em qualquer agência bancária, dos Correios ou lotéricas.

Agendar e comparecer ao atendimento em um dos postos da PF

Com o pagamento realizado, o próximo passo é fazer o agendamento na PF. Você deverá comparecer, de preferência, em um dos postos mais próximos de sua residência. No dia e horário previamente marcados, haverá uma pequena entrevista com um agente da polícia federal. Não se preocupe, pois a conversa é rápida bem simples.

Os agentes recolhem as suas impressões digitais e tiram uma fotografia do seu rosto. É aconselhável que as crianças pequenas levem uma foto para facilitar o atendimento. Ao término do procedimento, você receberá um protocolo com a data para buscar o seu passaporte. O prazo estipulado é em até seis dias úteis.

Quando e como retiro o meu passaporte?

Por fim, chegamos na última etapa da emissão do seu passaporte. Vá ao posto da Polícia Federal no dia agendado com o protocolo ou um documento de identificação. A entrega é feita somente ao próprio requerente e por ordem de chegada. O prazo para retirada é de até 90 dias. O pedido pode ser cancelado em caso de não-comparecimento.

Para amenizar a expectativa, você pode consultar o andamento da solicitação. Ainda é importante destacar que em muitos casos pode haver atrasos na entrega. Os motivos vão desde greves ou até falta de recurso para emissão do passaporte.  

Vale lembrar ainda que, para emissão dos passaportes de menores de 18 anos, é exigida a autorização dos responsáveis. Nesses casos, existem os modelos disponíveis no próprio site da PF para serem preenchidos. Também é necessário a criança ou adolescente estar presente no dia do pedido e da retirada.

Viu só como tirar o passaporte pode ser bem simples? Basta seguir o nosso passo a passo e você o terá em suas mãos sem muita demora. Depois, basta escolher o seu destino, planejar a sua viagem e seguir rumo a outro país. Só não se esqueça de aproveitar e curtir ao máximo a sua estadia com responsabilidade.

Agora que você já conferiu como tirar o passaporte, compartilhe esse post em suas redes sociais. Com certeza seus amigos vão gostar de pegar essas dicas. Até a próxima!

As pessoas que amam viajar precisam explorar cada canto do nosso Brasil. Devido às suas dimensões continentais, o país oferece uma variedade incrível de destinos turísticos.

Seja curtindo as belas praias do Nordeste, passando pela Floresta Amazônica e indo até os pampas gaúchos, os viajantes encontram excelentes atrações, serviços de qualidade e muitas opções de passeios em contato com a natureza.

Que tal então conhecer um novo destino? Já pensou em fazer uma viagem para Foz do Iguaçu, no estado do Paraná? Neste artigo, vamos contar quais são os melhores passeios para fazer na região da tríplice fronteira. Divirta-se!

1. Cataratas do Iguaçu

Integrantes da lista de 7 Maravilhas da Natureza, as Cataratas do Iguaçu proporcionam um espetáculo magnífico ao visitante. Localizados na fronteira entre o Brasil e a Argentina, os 19 saltos que formam a atração chegam a 80 metros de altura.

Na língua tupi-guarani, a palavra Iguaçu significa “água grande”. Por causa da grande vazão do rio Iguaçu, as quedas geram uma enorme força e oferecem cenas de tirar o fôlego.

Entre os meses de outubro e março, ocorre o período das cheias, quando a quantidade de água correndo pelo rio chega a 8.500 m³ por segundo. Esse valor é até 4 vezes maior que a vazão média das Cataratas.

As quedas estão dentro do Parque Nacional do Iguaçu, onde os aventureiros também podem desbravar as trilhas em meio à mata, fazer passeios radicais a bordo de barcos e até sobrevoar a região de helicóptero.

Existem guias especializados que levam os visitantes para explorar o parque usando antigos caminhos indígenas, como a Trilha do Poço Preto. São cerca de 9 quilômetros de fauna e flora intocadas, que podem ser percorridos a pé, de bicicleta ou em carros elétricos.

Se a ideia for apenas relaxar e observar as grandiosas Cataratas do Iguaçu, é possível chegar bem pertinho delas. No local, há passarelas que deixam o visitante a poucos metros das quedas d’água. O parque conta com uma boa estrutura para turistas, oferecendo restaurante, lanchonete, banheiros e estacionamento.

2. Marco das 3 Fronteiras

Ponto exato que separa o Brasil, a Argentina e o Paraguai, o Marco das 3 Fronteiras é um dos destinos turísticos mais famosos de Foz do Iguaçu. Nessa atração, existe um obelisco de mais de 100 anos, que representa a amizade entre os povos das nações vizinhas.

O complexo abriga também uma réplica de uma missão jesuíta, cujos religiosos tiveram importante papel na colonização e no desenvolvimento da região a partir do século XVI. A atração conta com museu, restaurante e belos cenários às margens dos rios Paraná e Iguaçu.

O Marco das 3 Fronteiras é conhecido por ter um dos mais belos pores de sol do Brasil. Vale a pena fazer a visita no fim da tarde e apreciar essa maravilha da natureza.

3. Parque das Aves

Próxima das Cataratas do Iguaçu, essa reserva natural é uma excelente oportunidade de apreciar aves nativas, espécies exóticas e uma grande área de Mata Atlântica restaurada.

Caminhe entre tucanos, flamingos e corujas, que vivem em habitats similares às condições encontradas na natureza selvagem. A atração também conta com ambientes para cobras e jacarés e um lindo borboletário.

A área mais procurada pelos visitantes é o encontro com as araras, quando é possível até tirar fotografias com esses lindos animais. O Parque das Aves dispõe de dois restaurantes, loja, área de lazer, estacionamento e sanitários.

4. Templo Budista Chen Tien

Quem busca por um passeio zen deve colocar essa atração no roteiro. O Templo Budista Chen Tien é uma área de muita paz e tranquilidade, onde os turistas passeiam por belos jardins e construções em harmonia com a natureza.

Os espaços do templo são ornamentados com mais de 120 estátuas inspiradas na filosofia budista, cada qual com um significado. O local tem um Buda de 7 metros de altura, que compõe um cenário de muita contemplação e relaxamento.

Um pouco distante do centro, o templo oferece uma magnífica vista da cidade de Foz do Iguaçu e da região. A entrada é gratuita, com funcionamento de terça a domingo, das 9h30 às 16h30.

5. Itaipu Binacional

Uma das maiores geradoras de energia elétrica do mundo, essa usina é uma construção colossal, que encanta aos turistas que visitam as suas instalações.

É possível conhecer a hidrelétrica nos mínimos detalhes, incluindo turbinas que produzem eletricidade, a enorme barragem e o lago de mais de 1,3 quilômetro de extensão.

A atração promove diversos outros tipos de passeios além das visitas panorâmicas, como:

  • cruzeiro a bordo de um catamarã durante o pôr do sol;

  • aventura na reserva de Itaipu, o Refúgio Biológico Bela Vista;

  • observação do espaço no polo astronômico do complexo;

  • passeio no ecomuseu que conta a história da usina.

Uma das atividades mais impressionantes ocorre nas noites de sextas e sábados, quando um enorme aparato de refletores ilumina todos os 8 quilômetros de extensão da barragem. O espetáculo de luzes é embalado em sincronia por uma trilha sonora especial, deixando o passeio ainda mais encantador.

Quem pretende visitar as principais atrações de Foz do Iguaçu pode economizar durante a viagem. Comprando um pacote, o turista tem direito a conhecer o Parque Nacional do Iguaçu, o Marco das 3 Fronteiras e a Itaipu Binacional.

6. Países vizinhos

Muitas pessoas que estão na cidade aproveitam a estadia para também conhecer os países da região de fronteira. Desde Foz, o viajante pode seguir para a paraguaia Ciudad del Este, que é conhecida pelo comércio de produtos de diversas categorias com preços muito mais em conta.

Já do lado argentino, os turistas podem visitar por um dia a cidade Puerto Iguazú. Essa área também é repleta de lojas com produtos livres de impostos.

Vale lembrar que o limite de compras para os brasileiros é de até 500 dólares por pessoa. Caso o volume seja maior que esse teto, as autoridades alfandegárias podem cobrar altas taxas e, em casos mais graves, até apreender a mercadoria.

E aí, gostou de descobrir essas opções incríveis de passeios na região da tríplice fronteira? Uma viagem para Foz do Iguaçu é repleta de momentos especiais, com muito contato com a natureza e paisagens que ficam guardadas para sempre na memória.

Quer ficar sabendo das novidades antes de todo mundo? Curta a nossa página no Facebook e acompanhe as informações sobre os melhores destinos de turismo no Brasil.

As pessoas apaixonadas por viagens fazem de tudo para embarcar na próxima aventura. No entanto, seja para uma jornada curta, de três ou quatro dias, ou até ter as férias dos seus sonhos, toda empreitada deve contar com uma boa provisão de recursos.

Não importa o custo do passeio, a organização do orçamento é fundamental para viajar sem passar por perrengues. Quando o turista está preparando o seu roteiro, deve ter atenção a alguns pontos simples, mas que fazem toda a diferença na hora de viajar gastando menos.

Está planejando umas férias pelo Brasil? Veja aqui as 7 melhores práticas de como economizar na viagem. Boa diversão!

1. Faça um orçamento para economizar na viagem

Coloque na ponta do lápis todos os gastos previstos, como passagens aéreas, hospedagem, alimentação e atividades de lazer.

Na internet, é fácil para o turista pesquisar sobre os preços dos serviços na cidade, bem como reconhecer quais são as melhores oportunidades para economizar na viagem. Com as sugestões de outros viajantes, você tem uma boa ideia de quanto vai custar para explorar esse lugar.

Depois de saber os custos fixos que a empreitada terá (passagens e hospedagem), estabeleça um valor médio para passar cada dia da sua viagem. Por exemplo: Tenho R$ 2 mil para ficar 10 dias em Natal (RN). Sendo assim, posso gastar R$ 200 em cada dia.

Esse valor médio serve para cobrir as refeições, os passeios e outros gastos que podem surgir, como compras, entretenimento e até transporte. Com um orçamento bem amarrado, o turista consegue prever cada custo da viagem, evitando o uso do cartão de crédito e dívidas depois das férias.

2. Reserve com antecedência

Um dos modos mais eficazes de economizar é fazendo suas reservas com alguma antecedência. Escolher as passagens e a acomodação em cima da hora pode acarretar preços muito mais altos.

Essa elevação nos valores ocorre porque o mercado de aviação civil trabalha com a regra da oferta e da procura. Quanto mais pessoas estão interessadas naquele assento ou quarto de hotel, maiores serão os preços.

Fechando as reservas com até 3 meses de antecedência, o viajante tem grandes chances de conseguir bons descontos nas tarifas, além de ter à disposição os melhores lugares nos aviões e as acomodações mais concorridas.

3. Viaje na baixa temporada

Seguindo as práticas das companhias aéreas e outros serviços de turismo, dependendo da época da viagem, os custos para conhecer um destino podem ser muito altos ou mais baixos.

Quando um local está na baixa temporada, os aventureiros encontram grandes oportunidades de economizar na viagem. Como o fluxo de turistas diminui em determinados períodos do ano, as empresas reduzem os seus preços para atrair mais pessoas.

E como saber quando uma região está na alta ou na baixa temporada? É simples: imagine que um casal queira aproveitar o litoral do Nordeste em junho. Apesar do calor no ano todo, essa parte do Brasil recebe muitas chuvas no inverno, o que pode inviabilizar um dia de praia, por exemplo.

Sabendo que o clima nessa estação não é dos melhores, os visitantes acabam escolhendo outros destinos. É aí que surgem as melhores ofertas para viajar mais barato, já que as companhias aéreas e os serviços de turismo precisam ocupar as vagas para aquele local que está na baixa temporada.

Quem decide embarcar na alta temporada vai arcar com os custos mais elevados, que podem encarecer o seu orçamento. Quer viajar economizando? Vá na baixa!

4. Otimize os deslocamentos

Um dos maiores custos de uma jornada é o transporte. Para evitar gastos absurdos, que acabam tirando a sua chance de aproveitar o destino, o ideal é ficar hospedado em pontos estratégicos da cidade visitada.

Ou seja: não adianta conseguir uma hospedagem mais barata, mas que demanda grandes deslocamentos entre as atividades. O indicado é ficar numa área mais central, que esteja próxima às principais atrações da cidade.

Por exemplo: quem quer visitar os pontos turísticos mais conhecidos do Rio de Janeiro, como Cristo Redentor, as praias de Ipanema e Copacabana, além da Região Central da cidade, precisa escolher um hotel na zona sul da capital Fluminense.

Caso fique visitante hospedado em um bairro distante, como no Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste, terá que encarar mais de 1 hora de viagem até o Centro da cidade, onde ficam as atividades turísticas. Esse deslocamento acaba custando caro, além de tomar muito tempo do seu passeio.

5. Economize nas refeições

Para economizar na viagem, o aventureiro deve ter cuidado com os gastos com a alimentação. De modo geral, os restaurantes que ficam próximos às atrações famosas tendem a apresentar os preços mais elevados, então, o viajante tem que escolher estabelecimentos fora dos circuitos de turismo.

Outra opção para gastar menos durante a folga é variar as refeições. Exemplo: coma um lanche durante o dia e o guarde dinheiro para jantar em um local melhor à noite. Muitos turistas também economizam preparando a própria comida, quando a acomodação escolhida tem uma cozinha à disposição.

Procure comprar bebidas em supermercados, já que os valores são muito mais em conta em relação a bares e quiosques.

6. Visite atrações gratuitas

Quando alguém visita uma cidade, quer conhecer os melhores programas disponíveis. No entanto, as entradas para algumas atrações mais famosas podem custar muito caro.

Para equilibrar o seu orçamento, o viajante pode recorrer às atividades de graça, que todo destino turístico oferece. Muitas cidades têm ótimos roteiros gratuitos, que passam por museus, parques, praias, instituições culturais, bem como espaços públicos nos quais são realizadas apresentações musicais e cênicas.

Mesmo nas atrações pagas, sempre existem dias da semana em que a entrada é franca. Em São Paulo, o MASP tem ingressos grátis às terças-feiras, por exemplo.

7. Tenha cuidado com o peso das bagagens

Um detalhe que pode custar caro durante a sua viagem é o tamanho e peso das malas. As companhias aéreas aceitam bagagens de até 23 quilos para serem despachadas.

Caso o peso ultrapasse os limites estabelecidos, a empresa pode cobrar do passageiro pelo excesso de bagagem, o que costuma ter um valor bem salgado, aumentando os custos da sua jornada.

Organize os seus itens pessoais na mala e, antes de fazer o check-in no aeroporto, pese os volumes para confirmar se tudo está dentro das regras.

Já vai colocar em prática essas sugestões incríveis de como economizar na viagem? O nosso país está cheio de opções maravilhosas para conhecer!

Deseja compartilhar sua experiência? Deixe o seu comentário neste post!

Preparativos

9 sinais de que você precisa tirar férias

26 de março de 2019 0 comentário

Você costuma tirar férias? Há pessoas que ficam anos sem dias de descanso e acabam sentindo no corpo e na rotina os efeitos dessa atitude, que é muito danosa para a saúde mental e física.

A folga no trabalho não deve ser colocada em segundo plano. É importante reservar um período para se desligar das tarefas profissionais, acordar mais tarde, desenvolver um hobby, conhecer novos lugares e pessoas ou simplesmente relaxar na própria companhia.

Após alguns dias de descanso, você perceberá melhoria no humor e na disposição e, provavelmente, terá mais produtividade e motivação ao voltar para o trabalho.

Quer saber se está na hora de você tirar férias? Continue a leitura para entender mais sobre o assunto e descobrir 9 sinais do corpo que podem indicar isso!

1. Irritação

O estresse gerado pela rotina de trabalho aumenta a irritabilidade, tanto na vida profissional quanto na pessoal. Nessa situação, é comum que mesmo uma pessoa calma perca a paciência com atitudes que não deveriam ser tão relevantes.

Sabe quando uma situação corriqueira, como o tempo de espera pelo elevador, gera irritação enorme? Então, esse pode ser um sinal de que o seu corpo e a sua mente necessitam de dias de descanso. O mesmo acontece quando você percebe uma alteração no humor intensa relacionada a piadinhas ou ao comportamento dos colegas da equipe, por exemplo.

2. Dificuldade para dormir

Problemas para adormecer costumam ser sintomas de estresse. A privação de sono pode afetar o humor, a concentração e a saúde de modo geral.

Ter dificuldades para dormir em apenas um dia não é algo tão preocupante. Entretanto, se a situação ocorrer com frequência, pode ser um indicativo de que você precisa de um respiro do trabalho e dos problemas cotidianos.

Para amenizar a situação, tente criar uma rotina de repouso, evite ficar no celular até tarde e faça atividades físicas. Especialistas recomendam que uma pessoa adulta tenha em média 8 horas de sono para garantir uma boa qualidade de vida.

3. Baixa produtividade no trabalho

Quando a rotina profissional se torna desgastante, a motivação e a produtividade geralmente diminuem. Diante disso, situações como estas se tornam bastante comuns:

  • erros nas tarefas;
  • falta de ânimo para trabalhar;
  • atraso na entrega de relatórios e projetos;
  • dificuldade para terminar as atividades do dia.

Esses problemas podem ser resolvidos com um período de descanso. Tirar férias e se afastar das responsabilidades corporativas será útil para melhorar o seu bem-estar. Além disso, você retornará à empresa com mais disposição.

4. Falta de tempo para a vida pessoal

O trabalho ocupa uma grande parte do nosso dia, não é mesmo? Contudo, é fundamental buscar um equilíbrio com os compromissos pessoais para ter uma rotina mais saudável.

Se você perceber que não consegue dar atenção às pessoas queridas como gostaria, que perde muitos eventos sociais por causa do emprego ou que está sem tempo para cuidar da sua saúde, por exemplo, procure tirar férias.

O período longe da empresa será essencial para reorganizar as prioridades, passar mais tempo com a família e os amigos e revigorar as energias.

5. Cansaço

Esse é um dos principais sinais de que chegou o seu momento de sair de férias. No entanto, é importante diferenciar o cansaço gerado por um dia de trabalho daquele relacionado a problemas de saúde.

Se você não consegue recuperar as energias durante os finais de semana e feriados e já começa a semana desmotivado, isso é um alerta. Outro indicativo de cansaço é quando você não sente vontade de realizar atividades de lazer, brincar com os filhos ou curtir um momento com seu companheiro e utiliza o tempo livre apenas para dormir.

Se a sensação de fadiga permanecer mesmo após as férias, procure acompanhamento médico, pois ela pode ser um sintoma de outras situações, como depressão, anemia e carência de vitaminas.

6. Dores pelo corpo

Viver com o corpo dolorido também é um indicativo de alto nível de estresse e, por isso, essa situação deve ser investigada. Alguns dos sintomas mais comuns são: dor de cabeça, tensão muscular e desconforto estomacal.

Caso você apresente alguns desses incômodos com frequência, procure um médico para identificar as causas e tente tirar férias. Alguns dias longe da empresa podem ajudar a amenizar as complicações.

7. Falta de entusiasmo com a profissão

Você gosta do seu trabalho, mas não sente a mesma felicidade de antes, quando chega a segunda-feira? Não se desespere: essa situação é bastante comum! E além de adversidades internas no ambiente de trabalho, a falta de motivação pode estar diretamente relacionada à necessidade de descanso. Para resolver o problema, tirar alguns dias de folga e viajar é uma ótima ideia. Esse autocuidado será positivo para o bem-estar e a saúde e pode renovar o seu entusiasmo com a atividade profissional.

8. Hábitos compulsivos

Sem perceber, algumas pessoas começam a desenvolver compulsões como uma forma de escape para lidar com o estresse no trabalho. Dessa forma, aumentam o consumo de bebidas alcoólicas, cigarros ou doces.

A combinação entre a falta de tempo para atividades saudáveis e o desenvolvimento de hábitos compulsivos pode afetar a saúde do indivíduo, desencadeando quadros como colesterol alto, diabetes e obesidade.

9. Pensamentos negativos

Além do cansaço físico, é comum acontecer a fadiga emocional. Ela pode ser caracterizada por problemas de concentração e memória e também por pensamentos negativos, como sensação de urgência, sentimentos de culpa por não terminar tarefas, angústia, entre outros casos.

É importante investir em estratégias para amenizar essa situação, pois ela pode atrapalhar a sua vida profissional e aumentar a ansiedade.

Neste post, mostramos 9 importantes sinais do corpo que podem indicar que você precisa tirar férias. Se você apresentar algum deles, priorize a sua saúde mental e física: tente programar folgas no trabalho, faça um bate e volta no final de semana e aproveite o tempo livre ao lado de familiares e amigos. A atitude será positiva tanto pessoal quanto profissionalmente.

Gostou das dicas? Ficou com alguma dúvida sobre o assunto ou tem uma experiência para compartilhar? Deixe o seu comentário no post!

As férias estão chegando e você ainda não sabe o que fazer no destino escolhido? Contar com aplicativo de viagem pode ajudar nessa missão!

Essa tecnologia é positiva em diversas fases da viagem e agregará mais praticidade no seu dia. Basta conferir o smartphone para ter acesso a informações sobre a passagem aérea, roteiro, mapas e restaurantes, por exemplo.

Além disso, as ferramentas podem ser úteis para organizar a mala, editar as fotos do passeio, entre outras situações.

Quer dicas de aplicativos de viagem para planejar melhor as suas férias e aproveitar o tempo livre de maneira eficiente? Acompanhe o texto e veja 11 apps úteis para isso!

1. TripAdvisor

O TripAdvisor é um dos principais aplicativos de viagem para encontrar dicas sobre o destino. A partir da opinião de outros turistas, você poderá ver avaliações de hotéis, pousadas e restaurantes, além de descobrir locais e atividades pela cidade.

Com o app você terá acesso a informações importantes para o passeio e poderá evitar surpresas negativas. Tem dúvida sobre o cardápio ou o atendimento de determinado estabelecimento? Confira as avaliações no TripAdvisor antes de incluir o local no roteiro.

O aplicativo está disponível para Android e iOS.

2. Google Trips

O Google Trips é uma excelente ferramenta para quem deseja ter todos os detalhes da viagem em um só local. Além de salvar os dados de reserva de hotéis e passagens aéreas, por exemplo, você pode fazer um roteiro diário e descobrir locais nas proximidades.

Se ele estiver integrado ao Gmail, ainda será possível organizar automaticamente, a partir dos e-mails recebidos, a reserva de hospedagens ou carros, dados dos voos e horários de atividade e passeios.

O aplicativo está disponível para Android e iOS.

3. TripIt

O TripIt é mais uma alternativa para planejar a viagem. Assim como o item anterior, ele é útil para organizar passagens aéreas, reservas de hospedagens, elaborar roteiros, entre outras atividades.

A principal diferença dele para o Google Trips é a forma de utilização. Vale a pena conhecer as duas soluções e ver qual delas é mais adequada ao seu perfil.

O aplicativo está disponível para Android e iOS.

4. Maps.me

Antigamente, para se locomover por um local era preciso ter mapas impressos da cidade. Com o uso de aplicativo de viagem isso não é mais necessário.

Quem deseja acessar os mapas pelo smartphone encontra boas opções para isso, e uma delas é o Maps.me. O app permite calcular itinerários a pé ou de carro, e ainda é possível baixar os mapas da região para consultá-los offline. Dessa forma, você não ficará perdido pela cidade se mudar de ideia no meio do passeio.

O aplicativo está disponível para Android e iOS.

5. Booking

O Booking é uma tecnologia útil para todo viajante. Ao acessá-lo pelo site ou com o aplicativo, você poderá pesquisar e reservar hospedagens no destino escolhido. Além disso, a ferramenta permite analisar a opinião e as notas de outros hóspedes para garantir que o estabelecimento seja adequado ao seu perfil.

O aplicativo está disponível para Android e iOS.

6. VSCO

Difícil encontrar alguém que viaja e não tira fotos, não é mesmo? Seja para mostrar para amigos e familiares, para compartilhar nas redes sociais ou para guardar de recordação.

As imagens se tornam uma lembrança do passeio e podem ficar ainda mais bonitas com uma edição rápida. Por isso, o VSCO é mais um item na nossa lista de aplicativos de viagem. Ele permite recortar fotos, empregar filtros, melhorar a cor das imagens, entre outras alterações.

O aplicativo está disponível para Android e iOS.

7. AccuWeather

Muitos smartphones já contam com app de clima, mas se você não tiver, a recomendação é baixá-lo hoje mesmo. O AccuWeather é uma das opções para isso e poderá ser útil para averiguar o clima no destino e a previsão para os próximos dias, auxiliando na organização da bagagem e no planejamento dos passeios.

O aplicativo está disponível para Android e iOS.

8. Moovit

Utilizar transporte público em um destino que não conhecemos não costuma ser uma tarefa fácil, não é mesmo? Mas isso pode ser simplificado com o uso de um aplicativo de viagem.

O Moovit é um app para locomoção que mostra trajetos com ônibus, metrôs e trens em diversas cidades brasileiras a exemplo de São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Recife.

O aplicativo está disponível para Android e iOS.

9. Uber

Os aplicativos de táxi e motoristas particulares são bastante utilizados por moradores e turistas em diversas regiões. A praticidade para encontrar uma corrida fez com que essa tecnologia ganhasse bastante espaço nos últimos anos.

O Uber é um dos principais nesse segmento, mas há ainda outros, como o 99 Taxi e o Cabify, que ajudam o viajante a pedir um táxi e se locomover pelo destino de maneira rápida e prática.

O aplicativo está disponível para Android e iOS.

10. PackKing — Lista de bagagem para a viagem

Você tem dificuldades para arrumar a mala e sempre deixa algum item importante para trás? Resolva essa situação com um app para organizar bagagens!

Há diversas opções para isso, uma delas é o PackKing. O aplicativo está em português e é bastante útil para separar as peças e acessórios necessários para a viagem. A ferramenta gera uma lista personalizada a partir do destino, clima e atividades do roteiro. Dessa forma, você garante que levará tudo o que precisa para o passeio.

O aplicativo está disponível para Android.

11. Waze

Se você vai fazer uma viagem de carro ou pretende alugar um no destino, ter o Waze no seu smartphone será útil para se locomover mais facilmente.

O app é um dos mais famosos no segmento de GPS e será positivo para você não se perder em uma região desconhecida, analisar o trânsito e descobrir as melhores rotas para chegar ao local desejado.

O aplicativo está disponível para Android e iOS.

Essas foram as nossas dicas de aplicativo de viagem. Como vimos, há diversas ferramentas que auxiliam na organização do passeio, deslocamento, busca por restaurantes e atividades no destino, entre outras situações. Assim sendo, vale a pena contar com algumas dessas soluções.

E então, gostou do texto? Você utiliza um aplicativo de viagem que não foi citado acima? Deixe a sua sugestão nos comentários!

Hoje em dia, muitas pessoas buscam o turismo de aventura, e o Brasil é um destino perfeito para esse estilo de viagem!

Diversas regiões do país contam com uma extensa área verde, rios, montanhas, cachoeiras, entre outros atrativos. Esses elementos são cenários excelentes para contemplar a natureza e sentir a adrenalina ao realizar esportes como rapel, rafting, tirolesa, entre outras atividades.

Deseja fazer uma viagem nesse estilo e quer conhecer mais sobre o turismo de aventura? Então, continue lendo e veja as dicas que separamos sobre o assunto!

O que é o turismo de aventura

O turismo de aventura é caracterizado por viagens que envolvam esportes e adrenalina. A prática é adotada em diversas regiões do mundo e o Brasil tem grande destaque devido à natureza exuberante e a diversidade de paisagens.

O interesse por esse segmento é tão grande que existem até feiras de negócios sobre isso. A Adventure Sports Fair, que acontece em São Paulo, une esportes de aventura e turismo. É a maior feira do setor na América Latina.

No quesito lugares para conhecer e se aventurar, os brasileiros saem na frente, já que o país é repleto de cenários perfeitos para isso. Um levantamento realizado pelo portal US News coloca o Brasil no topo do ranking quando o assunto é turismo de aventura.

O título foi conquistado pelas belas paisagens, clima favorável e a oferta de atividades. Hoje em dia, muitas empresas organizam passeios desse estilo em inúmeros destinos.

Dicas para fazer turismo de aventura

O turismo de aventura pode envolver esportes mais ou menos radicais. Entretanto, independentemente da quantidade de adrenalina, é fundamental atentar à segurança para evitar qualquer imprevisto durante o passeio.

Muitas regiões contam com agências de turismo que organizam as atividades e seguem normas e procedimentos para garantir a segurança e o bem-estar dos participantes. É importante obedecer às recomendações dos guias e dos profissionais especializados.

Outras dicas são:

  • verifique a qualidade e a integridade dos equipamentos de segurança;
  • respeite as normas de segurança e restrições de altura, idade, peso etc.;
  • utilize sapatos adequados para as atividades;
  • leve protetor solar, repelente e boné;
  • hidrate-se e alimente-se ao longo do passeio;
  • não saia de trilhas demarcadas;
  • conheça e respeite os seus limites.

Destinos perfeitos para se aventurar

Agora que você sabe um pouco mais sobre o turismo de aventura, chegou a hora de conhecer destinos perfeitos para isso. Veja algumas sugestões na lista abaixo!

1. Brotas

Localizado no estado de São Paulo, Brotas é um bom destino para quem deseja realizar turismo de aventura. A região tem nascentes e lagos que se tornam propícios para atividades aquáticas.

Entre os atrativos estão passeios de rafting, canoagem e boia cross, que consiste em descidas pelo leito de rio com boias individuais. Além disso, Brotas também oferece atividades terrestres como trekking e cavalgada.

Os passeios podem ser feitos por pessoas de diversas idades e com diferentes graus de conhecimento, já que há estruturas para iniciantes, intermediários e assim por diante. Contudo, é fundamental seguir as indicações da empresa de turismo para garantir a segurança da atividade.

2. Pirenópolis

O município fica a cerca de 150 km de Brasília e é rodeado por morros, matas e rios. Essas condições geográficas fazem com que ele receba a visita de inúmeros turistas em busca de esportes e maior contato com a natureza.

Por lá é possível fazer trilhas com extensões variadas, rapel, tirolesa, arvorismo, ciclismo, entre outras atividades. Há, inclusive, atrações para crianças. Alguns dos passeios devem ser contratados com as operadoras de turismo da região.

3. Boituva

Esse é outro local interessante no interior paulista para sentir a adrenalina e a emoção proporcionada pelos esportes de aventura.

Boituva fica a cerca de 120 km da capital paulista e é o destino perfeito para esportes na altura. Muitos turistas chegam à cidade para realizar salto de paraquedas. Ela é referência na prática e conta com o Centro Nacional de Paraquedismo, que oferece cursos e saltos duplos. Outro atrativo é o passeio de balão.

4. Bonito

Bonito, no Mato Grosso do Sul, é um dos destinos mais famosos quando se fala em natureza e turismo de aventura. Por isso ele não poderia ficar de fora dessa lista!

A região tem rios e lagos com água cristalina, grutas, matas, entre outros atrativos para quem deseja realizar esportes com emoção. São cerca de 40 tipos de atividades que podem ser mais ou menos radicais.

Algumas das atrações são: passeio de bote pelo Rio Formoso, passando por corredeiras e cachoeiras; abismo Anhumas, caverna com entrada por rapel; mergulho e trilhas.

5. Florianópolis

Quando se fala em Florianópolis, imaginamos logo as lindas praias, não é? Entretanto, a região também oferece boas opções para turismo de aventura. Além das trilhas pela ilha que levam a praias e cachoeiras, há passeios mais radicais no município vizinho.

Santo Amaro da Matriz, a 35 km do centro de Floripa, é um bom local para praticar rafting. A região é cortada pelo Rio Cubatão e tem trechos de corredeiras favoráveis para a realização do esporte. Na cidade ainda é possível fazer parapente com saída no Morro do Queimado.

6. Chapada Diamantina

A Chapada Diamantina, localizada no estado da Bahia, é outro bom destino para praticar esportes de aventura. A região é caracterizada pela extensa área verde, com vales e morros, nascentes de rios e grande biodiversidade.

Por lá você encontrará atividades para todos os gostos, tais como passeios de bike, motos e quadriciclos, canoagem, trekking, tirolesa, voos livres, entre outras atrações.

A Chapada tem um território extenso que inclui mais de um município. Antes de visitá-la, informe-se sobre a região para verificar as melhores maneiras de acesso de acordo com as atividades que você deseja realizar. Além disso, é necessário contratar alguns passeios em agências e contar com um guia especializado.

Fazer turismo de aventura é uma forma diferente de conhecer um destino. A viagem proporciona experiências únicas e maior contato com a natureza — sem dúvida, esses são excelentes motivos para se aventurar pelo Brasil.

Quer fazer uma viagem nesse estilo, mas está sem companhia para o passeio? Que tal aproveitar para ir sozinho? Confira o nosso próximo post e veja como essa experiência pode ser enriquecedora!

Você já se deparou com a situação desconfortável de desembarcar do avião e não encontrar sua bagagem na esteira indicada? Certamente, quem já passou por isso nunca se esqueceu da preocupação de ter que ficar longe de seus pertences, e teme ter que lidar com o problema mais uma vez.

Infelizmente, a situação não é incomum. A ANAC (Agência Nacional de Aviação Comercial) já registrou um número crescente de reclamações no que diz respeito às malas em 2018. Apesar de o extravio de bagagem ser o pavor de qualquer passageiro, muitos não sabem o que fazer para evitá-lo e como proceder a partir do momento em que percebem a perda de seus bens.

Se este é o seu caso, não se preocupe. Neste post, você vai conhecer seus direitos e deveres na hora de lidar com a bagagem extraviada. Confira!

Onde está a minha mala?

A partir do momento em que você não conseguir localizar a bagagem no destino final, o primeiro passo é manter a calma. Afinal, existem grandes chances de que seus pertences sejam encontrados e entregues no endereço que você desejar, sem custo algum.

Para isso, é preciso fazer uma reclamação formal no balcão da sua companhia aérea. De acordo com as recomendações da ANAC, você deve procurar um funcionário antes de deixar a área de desembarque do aeroporto (isso é muito importante, pois é possível que as reclamações posteriores não sejam aceitas). Apresente o comprovante de despacho das malas junto ao cartão de embarque e documento de identificação pessoal.

Em seguida, formalize a reclamação com o preenchimento de um formulário RIB (Registro de Irregularidade de Bagagem) ou PIR (Property Irregularity Report), caso esteja no exterior. Nele, você deverá informar as características físicas da sua mala e detalhar seu conteúdo. Se você tiver contratado um seguro-viagem, também é recomendado informar sobre o extravio o mais rápido possível.

Por fim, você deve receber um protocolo ou confirmação por escrito com um número de referência. A partir dele, será possível acompanhar a busca da sua bagagem.

Quais são os meus direitos?

Segundo as resoluções da ANAC, a companhia aérea é a responsável pela bagagem desde o check-in até a entrega final ao passageiro. Se os seus pertences não forem localizados enquanto estiver no aeroporto, a empresa terá, no máximo, 7 dias (no caso de voos nacionais) ou 21 dias (no caso de voos internacionais) para encontrá-los e enviá-los ao endereço indicado no registro de perda.

Se esse prazo for ultrapassado e o passageiro permanecer sem a bagagem, a companhia deverá indenizá-lo em até 7 dias. O valor dessa indenização pode chegar até em 1131 DES (Direitos Especiais de Saque), uma espécie de moeda internacional cuja cotação varia diariamente.

Além disso, se estiver fora de sua cidade, o passageiro também terá direito a um ressarcimento extra. Esse reembolso serve para garantir o acesso a itens básicos, como roupas, alimentos e produtos de higiene pessoal. É importante lembrar que esse ressarcimento terá o valor e limites diários definidos de acordo com cada companhia aérea. Em todos os casos, a empresa deve efetuar o pagamento em até 7 dias.

Como evitar o extravio de bagagem?

Não existem medidas que podem excluir a possibilidade de um extravio de bagagem de forma definitiva. No entanto, várias atitudes simples podem minimizar as chances de isso acontecer.

Identifique a mala

Fixar uma etiqueta ou cartão com seu nome e contato é fundamental para evitar furtos, extravios e até mesmo a troca acidental. Fitas coloridas, acessórios, tags e adesivos também são boas maneiras de diferenciar sua bagagem das demais — especialmente se o tipo de mala for muito comum e não tiver nenhum detalhe chamativo.

Prefira conexões com a mesma companhia

Embora nem sempre seja possível fazer uma viagem sem conexões, dê preferência por realizar todas elas com a mesma companhia aérea, quando possível. O motivo é simples: o transporte da sua bagagem entre duas empresas pode aumentar as chances de extravio.

Quando você opta por viajar em aeronaves diferentes, está sujeito a atrasos no embarque e desembarque causados por imprevistos como condições climáticas desfavoráveis, check-in muito próximo ao horário da decolagem, falhas de comunicação entre funcionários do aeroporto etc.

Declare o valor antes da viagem

No momento de check-in, é possível optar pela declaração antecipada do valor estimado de seus pertences. Caso escolha essa alternativa, o passageiro deverá pagar uma pequena taxa (a ser definida pela empresa) e revisar o valor declarado pela companhia aérea.

Essa declaração não contempla a inclusão de bens de alto valor, como joias, dinheiro em espécie e eletrônicos. Por isso, esses tipos de itens sempre deverão estar presentes apenas na bagagem de mão.

Outra dica é incluir uma muda de roupas limpas, medicamentos e acessórios de primeira necessidade (como escova de dentes, agasalho e desodorante) junto a eles, para estar preparado em caso de imprevistos.

Confira seus dados

Ao despachar a bagagem, não deixe de conferir se a etiqueta recém-impressa apresenta:

  • o seu nome e sobrenome;
  • o número do voo;
  • o nome do destino;
  • o dia e horário do embarque.

Verifique se todas as informações estão corretas. Além disso, se utilizar a mesma mala de novo em uma outra viagem, não se esqueça de remover as etiquetas antigas (correspondentes aos trechos anteriores) para evitar enganos.

Utilize um rastreador

Você sabia que já existem diversos tipos de dispositivos para localizar sua bagagem em tempo real? Algumas etiquetas inteligentes, como a Super Smart Tag ou rastreadores como o Autotrac indicam onde as malas estão por meio da conexão com aplicativos, e-mail ou SMS.

Uma alternativa que está se popularizando no Brasil são as malas inteligentes, que já contam com um rastreador embutido. Apesar de ainda ser um recurso novo (e um pouco mais caro), a competição entre fabricantes tende a reduzir os preços com o tempo.

Agora que você já sabe o que fazer para resolver e prevenir o extravio de bagagem, fique atento a essas orientações na próxima viagem e lembre-se de nunca deixar sua mala desacompanhada. Outra dica é permanecer sempre próximo à esteira nos momentos de desembarque e deixar para ir ao banheiro apenas quando tiver seus pertences em mãos.

Se você gostou deste post, aproveite para curtir nossa página do Facebook e conhecer mais dicas para ter uma viagem tranquila. Você ficará por dentro de todas as novidades do blog e ainda poderá interagir com as postagens!

A combinação entre gravidez e viagem aérea sempre gerou muitas dúvidas. Afinal, toda gestante quer se manter segura para preservar a saúde de seu bebê, e as mudanças bruscas de pressão podem ser um motivo de preocupação e tanto para os amigos e familiares das futuras mamães. Afinal, grávida pode viajar de avião ou não?

A verdade é que tudo depende da condição da mãe e do bebê, além das orientações do médico. Sendo assim, cada caso deve ser analisado com cautela.

Neste post, você vai descobrir o que deve levar em conta antes de agendar seu passeio e ainda aprender algumas dicas para ter uma viagem tranquila. Veja só!

Quando a grávida pode viajar de avião?

Teoricamente, toda gestante pode viajar de avião quando ela e o bebê se encontram em um bom estado de saúde. Mas o médico obstetra é a pessoa ideal para conceder essa informação.

Não existem grandes empecilhos para viajar no primeiro ou segundo trimestre, ou seja, até 27 semanas de gravidez — desde que a mãe não apresente sangramentos, pressão alta, insuficiência placentária, diabetes ou outros tipos de complicações que requerem cuidados extras.

Alguns obstetras não recomendam as viagens de avião antes dos três primeiros meses de gravidez. Nessa fase, os riscos de aborto e parto prematuro são um pouco maiores, em virtude dos efeitos causados pelas mudanças de pressão na formação inicial do feto. Além disso, a gestante pode se sentir bastante indisposta ou enjoada durante o trajeto, o que atrapalha as viagens mais longas.

De forma geral, para garantir o bem-estar e saúde da gestante, também não é recomendável viajar sete dias antes ou após o parto.

Quando é necessário apresentar um atestado médico?

A maioria das companhias aéreas permite que as grávidas viajem sem a apresentação de um atestado até a 28ª semana de gestação. Entretanto, as políticas individuais podem variar, principalmente quando a mulher está esperando gêmeos ou teve alguma complicação anterior (como abortos ou partos prematuros).

Em geral, o recomendado é que um atestado médico seja emitido para cada voo a partir da 28ª semana — tanto para a ida quanto para a volta. O documento deve ser detalhado, incluindo o tempo máximo de voo permitido, idade gestacional e autorização expressa para a viagem. A partir desse período da gravidez, também poderá ser necessário preencher um termo de responsabilidade fornecido pela própria companhia aérea.

Depois da 36ª semana, pode ser obrigatório o acompanhamento de um médico durante a viagem. Também é necessário preencher mais um formulário: o MEDIF. Trata-se de um documento voltado para pessoas que precisam de atenção médica especial. Ele será fornecido pela companhia aérea, e deverá ser entregue com antecedência antes do embarque.

Para os casos de gravidez múltipla, as regras mudam um pouco: pode ser preciso apresentar um atestado médico detalhado e termo de responsabilidade a partir das 25 semanas de gestação. A partir da 32ª semana, também é comum ter que entregar o MEDIF e solicitar o acompanhamento obrigatório de um médico.

É importante consultar o regulamento da sua companhia aérea para ter acesso às regras e evitar surpresas. Outra recomendação é considerar a data de validade do atestado recebido e a quantidade de semanas de gestação que a futura mamãe terá na volta da viagem.

Em quais tipos de aeronaves as grávidas podem viajar?

Muitas pessoas ficariam surpresas ao saber que gestantes não podem viajar em qualquer tipo de aeronave. Existem limitações no que diz respeito às dimensões e ao espaço da cabine.

No geral, a grávida pode viajar de avião, mas deve evitar as aeronaves muito pequenas — em especial quando não contam com cabines pressurizadas. O motivo é simples: nesses casos, a pressão interna do ar poderá ser inferior ao passar por altitudes mais baixas. Consequentemente, o corpo acelera os batimentos cardíacos e a pressão arterial, na tentativa de absorver oxigênio.

Essas mudanças no funcionamento do organismo não costumam resultar em problemas. Entretanto, em algumas situações podem representar um risco real para a saúde dos bebês e mães — principalmente aquelas que sofrem com hipertensão, anemia ou predisposição para a formação de coágulos sanguíneos. Se ainda assim for preciso viajar em uma aeronave pequena (ou um helicóptero, por exemplo) o ideal é que isso seja feito, no máximo, até a 35ª semana.

Quais cuidados devem ser tomados durante a viagem?

Diversas atitudes simples podem tornar a viagem de avião mais confortável, tanto para a gestante quanto para o bebê.

Escolha os assentos certos

É recomendado reservar os assentos localizados no meio do avião (próximos à asa), pois a estabilidade no decorrer do voo é maior nesses espaços. Outra dica é se sentar perto do corredor, já que a necessidade de ir ao banheiro costuma ser mais frequente na gravidez.

Cuide dos pés e pernas

Para evitar danos à circulação, evite passar muito tempo imóvel em sua poltrona durante o voo. Levante-se para alongar as pernas e realizar caminhadas pelo avião quando o aviso para o afivelamento de cintos estiver apagado. Faça exercícios com os pés, tornozelos e pernas enquanto permanecer sentada.

Para não ter o desconforto causado por inchaços, use uma roupa bastante confortável e meias de compressão, evitando calças jeans ou peças muito justas (principalmente em voos longos).

​Alimente-se bem

Não passar muito tempo sem se alimentar é essencial para não sentir náusea, azia ou tontura durante a viagem. Por isso, leve alguns lanchinhos na bagagem de mão, como barras de cereais, bolachas integrais ou castanhas.

Também vale a pena checar o menu do avião para evitar os alimentos que causam gases (com a altitude, seus efeitos podem se expandir e causar desconforto). Além disso, bebidas como café, chá e sucos cítricos têm ação diurética, o que pode aumentar ainda mais a frequência de idas ao banheiro.

​Realize um seguro

​Nunca abra mão de contratar um seguro de viagem especial para gestantes, seja o seu destino nacional ou internacional. A cobertura médica permitirá que você lide com imprevistos e se sinta mais segura em qualquer situação, para que possa aproveitar o passeio sem preocupações!

Seguindo essas dicas, você poderá desfrutar de uma viagem muito mais confortável e ainda manter o seu bebê mais protegido!

Agora que você já sabe quando a grávida pode andar de avião, não deixe de dividir essa informação com seus familiares. Compartilhe o conteúdo nas suas redes sociais!

Está se planejando para curtir o Carnaval com crianças? O evento faz parte da nossa cultura e atrai diversos foliões para ruas e clubes de muitas cidades. Contudo, para se divertir com os pequenos, é importante analisar os lugares da festa com atenção.

Uma das dicas para garantir o conforto e a segurança durante o feriado é escolher locais mais tranquilos, assim toda a família poderá aproveitar o evento da melhor forma possível.

Quer dicas de lugares para curtir o Carnaval com crianças? Este post apresenta boas opções para isso. Confira!

Locais para curtir o Carnaval em família

1. São Paulo

São Paulo é uma cidade bastante populosa e movimentada. Com a diversidade de passeios, blocos e festas, é possível encontrar locais tranquilos para se divertir com a criançada durante o Carnaval.

Uma dica importante é montar o roteiro previamente e avaliar os eventos da região. Algumas ruas do bairro de Pinheiros e da região central, por exemplo, ficam fechadas e com muito movimento devido à realização dos blocos de Carnaval. Sendo assim, analise isso antes de sair e, se possível, utilize o transporte público.

Entre as opções de lugares e eventos para curtir o Carnaval com crianças, estão:

  • Bloquinho Gente Miúda: acontece no domingo de Carnaval a partir das 10h. A concentração será na Av. Alfonso Bovero 542, no bairro Sumaré. Entrada gratuita.
  • Unidades do Sesc: o Sesc conta com diversas unidades espalhadas pela cidade e, geralmente, oferece uma programação especial no Carnaval, com atividades e apresentações para todas as idades. Entrada gratuita.
  • Bloquinho da Vila: essa é uma das alternativas para o pré-carnaval. O evento acontece dia 24/02 na Rua Áurea (entre as ruas Conselheiro Rodrigues Alves e Morgado Mateus) na Vila Mariana. Entrada gratuita.
  • Bloco das Emílias e Viscondes: inspirado no clássico da literatura infantil, essa é outra boa opção para o Carnaval com crianças. O bloquinho será realizado na Biblioteca Monteiro Lobato dia 01/03, sexta-feira, às 15h. Endereço: Rua General Jardim, 485, Vila Buarque. Entrada gratuita.

2. Aracaju

Aracaju, em Sergipe, é um bom destino para quem deseja viajar no Carnaval com crianças. A cidade não está entre os principais circuitos da festa no Nordeste, por isso conta com comemorações um pouco mais tranquilas para curtir a folia em espaços públicos e privados. Alguns hotéis também costumam organizar eventos especiais para a data.

Além disso, você pode aproveitar os dias de folga para descansar, conhecer as praias e passear pela cidade. Entre as sugestões de hospedagem estão o Aruanã Eco Praia Hotel, Hotel da Costa e Makai Resort.

3. Belo Horizonte

A capital mineira também é um bom local para visitar no Carnaval com crianças. Ela tem uma programação diversificada e, se você quiser fugir da folia, pode incluir a visita aos museus, centros culturais e parques da cidade. Veja algumas sugestões:

  • Bloco Bicharada: o bloco faz a sua estreia no Carnaval BH 2019 e é um das opções para curtir a folia com mais tranquilidade. A ideia é que os minifoliões se fantasiem de seus bichos preferidos. O evento acontece dia 23/02 às 10h na Praça São Francisco de Assis, Pampulha. Gratuito.
  • BH On Ice: se a ideia for fugir da folia, a pista de patinação montada no BH Shopping é uma boa alternativa para entreter o público infantil. A estrutura ficará disponível até o dia 24/03. O ingresso custa a partir de R$ 40.
  • Museu dos Brinquedos: esse é mais um local para diversificar a programação do Carnaval. Por lá, as crianças poderão conhecer a história dos brinquedos e participar de atividades especiais.

4. Rio de Janeiro

A cidade recebe inúmeros foliões durante o feriado de Carnaval e a missão de encontrar um local tranquilo para curtir com os pequenos pode parecer um pouco complicada.

A dica nesse caso é fugir de blocos badalados e grandes eventos. Outra sugestão é aproveitar as festas pré-carnaval que, geralmente, têm um público menor e se tornam uma boa alternativa para um Carnaval em família com mais tranquilidade.

Veja algumas sugestões:

  • Bloco da Pracinha: o evento acontece no dia 23/02 na Praça Pio XI no Jardim Botânico das 10h às 14h.
  • Bloco Gigantes da Lira: outra boa dica para o pré-carnaval. O bloco sai dia 24/02, horário a confirmar, na Praça Jardim das Laranjeiras, rua General Glicério, Laranjeiras. Entrada gratuita.
  • Carnaval no Shopping: alguns shoppings da cidade organizam bailinhos de Carnaval para o público infantil. Consulte a programação dos estabelecimentos da região.

Dicas para as festas de Carnaval com crianças

Escolher lugares adequados para se divertir no Carnaval com crianças é um ponto essencial. Mas, além disso, é importante dar atenção a outros fatores para garantir o conforto e o bem-estar da garotada. Veja as dicas a seguir.

Alimentação

Dê atenção à alimentação das crianças. Escolha itens nutritivos e saudáveis para que eles tenham energia para pular Carnaval e se divertir com marchinhas, confetes e outras brincadeiras.

Evite alimentos gordurosos ou pratos muito pesados, que podem gerar desconforto e atrapalhar a folia. Outra dica é quanto à hidratação. Nessa época do ano, os dias são mais quentes. Sendo assim, ofereça água, suco e frutas para a garotada.

Fantasia

A fantasia é um dos pontos altos do Carnaval, e a crianças adoram! Entretanto, é necessário ficar de olho nos tecidos e na temperatura do dia. Tecidos quentes ou com muitas camadas podem se tornar um incômodo durante a folia. Se possível, dê preferência para fantasias de manga curta e com tecidos leves.

Adereços e máscaras também são característicos do evento, mas veja se eles estão adequados e se não incomodam os pequenos. O sapato é outro elemento significativo. Escolha modelos confortáveis e que ofereçam segurança para os seus filhos brincarem.

Segurança

Mesmo que a festa seja tranquila, é fundamental dar atenção à segurança das crianças. Se o evento for na rua ou em uma área aberta, analise se ele está fechado para carros. Outras dicas são: mantenha o grupo sempre por perto, procure ficar em locais menos movimentados e coloque pulseira de identificação nas crianças.

As espumas de Carnaval também merecem atenção. Elas podem conter substâncias inflamáveis e causar alergia, por isso devem ficar longe dos olhos e da boca. O melhor é não oferecer esse item aos pequenos.

Essas foram nossas dicas para curtir o Carnaval com crianças. Separe as fantasias, defina a programação com antecedência e analise as melhores formas de acesso para que a sua família aproveite bem os dias de folia.

Gostou das dicas para planejar o Carnaval infantil? Ficou com alguma dúvida? Deixe nos comentários!

A viagem de férias é um momento especial para a família, e uma data muito aguardada pelas crianças. Você já pensou em se hospedar em hotéis temáticos para deixar a experiência ainda mais divertida?

O Brasil tem uma rede hoteleira variada e conta com inúmeros estabelecimentos que oferecem boa infraestrutura e atividades específicas para o público infantil. Além disso, é possível encontrar hotéis com uma decoração diferenciada e com atrações que seguem determinada temática.

Quer dicas de hotéis temáticos para visitar com a sua família? Então, continue a leitura e veja a lista que preparamos!

1. Ibis Styles Anhembi

O Ibis Styles Anhembi é um local interessante para se hospedar com crianças em São Paulo. Ele fica na zona norte da cidade, região que abriga o aeroporto Campo de Marte e a Praça Campo de Bagatelle, que tem uma réplica do avião 14-bis.

Pela área em que ele se encontra, já é possível imaginar a temática do hotel, certo? Se você pensou em aviões, acertou! A decoração é toda inspirada na aviação e tem elementos como nuvem, aviões de viagem, avião de papel, pista de pouso e outros símbolos.

Para passear com as crianças, você pode incluir no roteiro a visita ao Parque da Juventude, que fica a cerca de 1 km da hospedagem, e alguns atrativos da cidade como o Museu Catavento e o Parque Ibirapuera.

2. SPaventura Eco Resort

Se você estiver em busca de hotéis temáticos voltados para a natureza e aventura, o SPaventura pode ser uma boa opção. Ele fica localizado em Ibiúna, a cerca de 75 km da capital paulista, e oferece diversas atividades para quem busca interação com a natureza.

Mais um diferencial é que o estabelecimento adota o turismo sustentável. Os chalés foram construídos com materiais que não prejudicam o solo, e o aquecimento da água é feito com painéis solares, por exemplo.

Entre os atrativos do hotel, estão: ginásio poliesportivo, piscina semiolímpica, tirolesa e trilhas para passeios a pé, de bicicleta ou a cavalo.

3. Ibis Styles Balneário Camboriú

Outra unidade temática da rede Ibis fica em Balneário Camboriú, mas nesse caso a decoração é inspirada no fusca.

As crianças que gostam de carrinho vão se divertir com a decoração, que conta com um automóvel na recepção, réplica de bomba antiga, miniaturas de fusca, pista, placas e outros elementos.

Além do hotel temático — que é uma atração à parte — e dos passeios pela praia, um bom local para visitar com a criançada é o Parque Unipraias, com passeio de bondinho e atividades de aventura.

Para chegar à cidade, você pode desembarcar no aeroporto de Florianópolis, a cerca de 80 km, ou em Navegantes, que fica a aproximadamente 30 km de distância.

4. Hotel Portobello Resort e Safári

Entre as opções de hotéis temáticos de natureza, há o Portobello Resort e Safári. Ele fica em Mangaratiba, a cerca de 100 km do aeroporto do Rio de Janeiro, e é uma alternativa para curtir uma folga em família.

O hotel tem uma localização privilegiada de frente para a baía de Ilha Grande e cercado pela Mata Atlântica. Isso proporciona uma experiência completa aos hóspedes, que podem passear pela praia, fazer trilhas e observar a fauna e a flora.

Há vários atrativos para a família: o espaço kids, os passeios por piscinas naturais e claro, o safári. O resort tem uma extensa área verde que abriga diversos animais, sendo possível observá-los em passeios em veículo 4×4.

5. Hotel do Papai Noel

Como você pode imaginar pelo nome, nesse hotel de Penedo é Natal o ano todo! As crianças adoram a época natalina e se encantam com uma hospedagem nessa temática, que tem entre os itens decorativos árvore de natal, Papai Noel e as famosas luzes.

Penedo fica no estado do Rio e Janeiro e é um bom destino para viagens curtas ou em feriados. A cidade é conhecida como Pequena Finlândia Brasileira devido à influência dos finlandeses que chegaram à região em décadas passadas. Por lá, é possível visitar a casa do Papai Noel durante o ano todo, fazer passeios a cavalo, ir a cachoeiras etc.

6. Enotel Acqua Club

Na categoria resort, uma alternativa no Nordeste é o Enotel Acqua Club, em Porto de Galinhas. O sistema é all inclusive e há uma excelente infraestrutura, com parque aquático e diversas atividades de lazer para adultos e crianças. Assim, o hotel se torna um bom local para passar dias de descanso e diversão com os seus filhos.

Além dos atrativos da hospedagem, sua família pode conhecer outras praias da região, as piscinas naturais e o Projeto Hippocampus para conservação dos cavalos-marinhos.

A melhor forma de chegar a Porto de Galinhas é desembarcar no aeroporto de Recife. Dependendo da duração da viagem, você ainda pode incluir no roteiro a visita aos pontos turísticos da capital pernambucana.

7. Verdegreen Hotel

O Verdegreen Hotel é ecológico e tem uma decoração diferenciada: ele utiliza elementos que preservam o meio ambiente e valorizam a cultura local.

Ele fica em João Pessoa e é uma opção para quem busca realizar um turismo sustentável e compartilhar esse conceito com as crianças. O hotel utiliza painel solar, madeira de reflorestamento, iluminação natural, entre outras atitudes para poupar recursos naturais. Ainda conta com piscina, aluguel de bicicleta e jardim no terraço.

João Pessoa é um bom destino para visitar em família durante as férias ou em feriados prolongados. Além do passeio pelas praias, você pode ir à Ilha da Areia Vermelha (banco de areia que se forma quando a maré está baixa), caminhar pelo centro histórico e ver o pôr do sol na Praia do Jacaré.

8. Hotel Fazenda Parque do Avestruz

O Parque do Avestruz é uma opção de hospedagem na categoria hotel temático de fazenda. Ele fica em Esmeraldas, a 50 km de Belo Horizonte, e tem diversas atrações para a criançada.

Trilhas ecológicas, minifazenda e passeio de charrete são algumas das atividades que podem ser realizadas pelas famílias. O hotel também oferece boa infraestrutura com piscina adulto e infantil, copa baby, espaço kids, restaurante e complexo esportivo.

Esses são alguns dos hotéis temáticos espalhados pelo Brasil. Escolher hospedagens com uma decoração diferenciada ou que ofereçam atividades específicas, como esportes de aventura e contato com animais e natureza, é uma boa saída para diversificar a viagem e agradar as crianças.

Gostou da lista que preparamos sobre hotéis temáticos? Quer receber mais dicas de viagem? Então, curta a nossa página no Facebook para não perder as próximas publicações!

Provavelmente, você já ouviu falar sobre o nomadismo digital. Esse estilo de vida, que permite às pessoas trabalharem de forma remota enquanto viajam o mundo, tem despertado cada vez mais interesse e ganhado adeptos, em especial aqueles que sonharam com uma vida mais flexível, autônoma e livre.

Apesar de recentemente ter se tornado popular, esse lifestyle ainda é relativamente novo e poucas pessoas sabem ao certo o que é, como começar nesta jornada, quais são as profissões que permitem essa flexibilidade e quais são os prós e contras.

Se você quer se tornar nômade digital, mas ainda tem muitas dúvidas, medos e curiosidades sobre a rotina desses profissionais, a Avianca Brasil conversou com a Gabriela Temer, digital nomad e autora do blog Juju na Trip e criamos um manual completo com dicas e passos para você começar a se planejar. Confira!

Afinal, o que é ser nômade digital?

O termo “nômade digital” se refere a profissionais que aproveitam a facilidade de ter acesso à internet em qualquer lugar do mundo para trabalharem remotamente. Essas pessoas usufruem da tecnologia para viajar pelo próprio país ou por outros continentes, mas sem abrir mão de um trabalho remunerado e da carreira.

Existem dois pontos fundamentais para compreender e desmistificar a vida nômade. O primeiro é ter claro que o nomadismo digital não é uma profissão, mas um estilo de vida. O segundo é que não é equivalente a um ano sabático ou uma viagem de férias, muito pelo contrário: os nômades passam mais tempo em casa por causa do trabalho do que na rua para fazer turismo.

Segundo a blogueira Gabriela Temer, a rotina é muito semelhante à de qualquer profissional CLT. “No meu dia a dia, eu fico no blog escrevendo todos os posts, roteiros e dicas no Juju na Trip. Também fico no Instagram resgatando algumas viagens, editando fotos e buscando conteúdos interessantes. Dedico cerca de 8 horas por dia apenas nesse projeto”, afirma.

Quem pode ser nômade digital?

Atualmente, fala-se muito da possibilidade de adaptar as mais diversas carreiras para uma vida online e flexível.

Se você é médico, por exemplo, pode criar um curso online, um produto digital ou um site e falar sobre a sua área e suas experiências. Já os advogados, podem atender clientes por meio de uma plataforma de videoconferência. Até os engenheiros têm a possibilidade de se tornarem consultores e levarem a carreira para o mundo virtual.

No entanto, há algumas profissões que não exigem a presença física do trabalhador e, por isso, são as mais comuns entre os nômades digitais. São elas:

  • jornalistas;
  • redatores;
  • revisores;
  • professores de línguas que dão aulas pela web;
  • afiliados de infoprodutos;
  • secretárias virtuais;
  • assistentes remotos;
  • blogueiros de viagem;
  • fotógrafos;
  • analistas de redes sociais;
  • tradutores;
  • ilustradores;
  • programadores;
  • web designers.

Quais as vantagens do nomadismo digital?

Quem tem a oportunidade — e, claro, a coragem — de se tornar um nômade digital, tem diversos benefícios em seguir a carreira de forma independente. Entre as principais estão:

  • receber uma remuneração em qualquer local do mundo;
  • poder viajar com frequência;
  • ter flexibilidade de criar os próprios horários de trabalho e rotina;
  • ganhar dinheiro e ainda aproveitar para conhecer novas cidades ou países;
  • poder conhecer pessoas e culturas novas constantemente;
  • manter-se dentro do mercado de trabalho, mesmo à distância;
  • ter mais qualidade de vida do que em um emprego tradicional;
  • aprender outros idiomas.

Existem desafios dentro do nomadismo digital?

É claro que não é apenas de prazer que é feita a vida de um nômade. Se por um lado esse estilo de vida oferece uma experiência única, por outro pode exigir resiliência para encarar muitos desafios.

Alguns dos principais obstáculos — e que podem se transformar em dificuldades para quem adere a uma vida de trabalho enquanto viaja — são:

  • viajar para um local onde não há conexão de internet nem wi-fi. Esse fator é um dos que mais preocupam nômades digitais. Por isso é importante estudar sobre o destino e escolher bem as suas casas;
  • ter que se manter em constante pesquisa sobre os próximos países, quais são as possibilidades de moradias, as condições climáticas e se existe a necessidade ou não de vistos. Acredite, isso é trabalhoso e demanda muito tempo;
  • não ter os benefícios e a estabilidade de um trabalho formal. Isso faz com que o profissional esteja sempre em busca de novos clientes, além, é claro, de que tenha uma reserva financeira para emergências e meses com menos serviços;
  • não aproveitar tanto o destino em que se encontram, pois não são turistas e precisam trabalhar.

Quais as diferenças entre trabalho remoto e nomadismo digital?

Como já comentamos acima, ser nômade digital é algo relativamente novo, enquanto o trabalho remoto já é bastante comum na maioria das empresas.

O trabalho remoto — ou home office — é feito por profissionais que, normalmente, são freelancers ou funcionários contratados de uma corporação. Por só dependerem do uso da internet, têm a flexibilidade de fazê-los diariamente de casa.

Além disso, o trabalho remoto pode exigir a presença física do profissional no ambiente empresarial — para reuniões ou outras atividades. Assim, ele não pode viajar sempre que quiser.

Já o nomadismo digital é diferente. Ele não cobra que a pessoa esteja em um local fixo ou que visite presencialmente os clientes. Isso é o que permite que estejam sempre na estrada enquanto fazem o trabalho à distância.

Será que você tem o perfil para ser nômade digital?

Sem dúvidas a vida de um digital nomad é interessante e atraente. Porém, infelizmente, nem todos têm o perfil para levar um estilo de vida que exige desapego, foco e muita organização.

A personalidade de um profissional que viaja enquanto trabalha de forma remota, em geral, inclui características como:

  • não ter a necessidade de vínculos empregatícios;
  • ter espírito aventureiro;
  • ser extremamente comprometido e produtivo, afinal, um nômade digital precisa distinguir momentos de lazer e de trabalho — mesmo em novos países;
  • ser minimalista, pois o excesso de bagagens atrapalha o deslocamento — além de gerar custos adicionais na hora de viajar de avião para novos destinos;
  • ter facilidade de conviver com pessoas diferentes e com as mais variadas culturas.

Como se tornar, então, nômade digital?

Caso você já tenha considerado as vantagens, os desafios e decidiu que tem o perfil para ser um nômade digital, prepare-se para embarcar nessa experiência. Confira agora alguns passos:

Planeje-se financeiramente

Como já citamos acima, é fundamental que você se planeje e tenha um dinheiro reservado para passagens aéreas, hospedagens, alimentação e seguro de viagem nos meses ou períodos em que estiver com poucos clientes.

Pesquise sobre os destinos

Vale fazer um roteiro dos países que pretende morar e se informar sobre esses destinos. Veja se há locais confortáveis, sem burocracias e com preços acessíveis para alugar; se há boa conexão com a internet; e como será com a questão de vistos, vacinas e outras exigências do governo local.

Estruture o seu negócio antes de sair do Brasil

Antes de embarcar, encontre ao menos dois trabalhos que poderá fazer como nômade. Você deve ter o seu negócio bem estruturado, já com clientes e com o fluxo de caixa condizente aos gastos do país de destino. E atenção: tudo isso antes de sair de casa.

Documentos

Não se esqueça de deixar tudo acertado no seu país de origem. Contas e dívidas devem estar 100% organizadas para que você não tenha problemas ao retornar.

Além disso, se possível, deixe um familiar como seu Representante Legal no Brasil. Com uma procuração assinada, a pessoa poderá resolver qualquer problema que possa surgir com bancos e cartões de crédito, por exemplo.

É importante ressaltar que a jornada até se tornar um nômade digital de sucesso leva tempo. Como sugere a blogueira Gabriela Temer, é preciso se planejar muito antes de vender todos os seus pertences e cair na estrada.

Você perceberá também que os desafios em se tornar um nômade digital surgirão, mas com dedicação, comprometimento e muito esforço é possível criar um negócio próprio que gere lucros e renda e ainda conhecer o mundo. Quer coisa melhor?

Enquanto você se organiza para viver este estilo de vida, curta a página da Avianca no Facebook e receba muitas informações sobre o nomadismo digital, além de promoções incríveis de passagens aéreas!