Categoria

Preparativos

Se você tem uma rotina agitada e trabalha muito, certamente o momento mais esperado do ano são as férias escolares. Afinal, essa é a hora de pegar as crianças e partir em busca de aventuras, descanso e momentos de convivência.

Mas, ao viajar com os filhos, os pais recebem muito mais do que lazer e diversão. Com a família reunida, fica mais fácil transmitir aos pequenos valores importantes e reforçar sentimentos de companheirismo. Ou seja, os laços familiares são fortalecidos e todos voltam para casa com um forte sentimento de união.

Continue a leitura do texto e confira mais detalhes sobre a importância de viajar com os filhos.

Desenvolve a capacidade de negociação

Poucas coisas na vida exigem tanta tolerância quanto as viagens em grupo. Isso porque, para que todos aproveitem as férias da melhor forma, é fundamental haver negociação e muito diálogo.

Nem sempre um passeio, um restaurante ou mesmo o destino escolhido será o preferido de todos da família. Nessas horas, pode até ser que algum dos membros fique frustrado e se mostre insatisfeito com as escolha dos pais ou da maioria.

Se isso acontecer ao viajar com os filhos, procure conversar com tranquilidade e explicar os motivos de certo passeio ter sido escolhido, e não outro. É muito importante também não desvalorizar a fala e o sentimento dos pequenos, ainda que seja preciso deixar claro que a decisão já foi tomada.

Estimula a empatia

Em férias em grupo, esse é um valor que pode ser trabalhado a todo momento com as crianças. Por exemplo: na hora de um passeio muito aguardado, o que não falta é empolgação. Mas e se um dos membros da família acordar indisposto e não se sentir em condições de cumprir com o planejado para o dia?

Em casos como esse, os pais devem conversar bastante com os pequenos e mostrar que a pessoa que não se sente bem precisa ser acolhida e respeitada. Mais uma vez, a palavra-chave é o diálogo, pois assim todos podem transformar o sentimento de frustração em um momento de solidariedade.

O mesmo tipo de situação pode ocorrer em passeios que exigem mais esforço físico, como trilhas e escalada. Afinal, nesses momentos, o bem-estar de todos deve estar acima do desejo de se chegar ao destino final.

A empatia também pode ser reforçada em outras pequenas atitudes. Que tal deixar o irmão que está mais cansado tomar banho primeiro? Por que não esperar um pouco pelo lanche, se não estiver com tanta fome?

Revela a importância da responsabilidade

Ao viajar com os filhos, o senso de responsabilidade pode ser reforçado em vários momentos, a começar na preparação para a viagem.

Mostre às crianças a importância de organizar adequadamente as malas, escolhendo itens apropriados e que não ultrapassem o peso permitido para a franquia de bagagens.

Também é fundamental reforçar a necessidade de chegar ao aeroporto com antecedência, de controlar os gastos durante a viagem e de ser pontual em todos os passeios agendados. E lembre-se de que eles aprendem muito mais com o exemplo dos adultos do que com qualquer outra coisa.

Promove oportunidades de socialização

Cada vez mais, as crianças e adolescentes ficam em frente ao computador, dentro dos seus quartos ou simplesmente navegando no smartphone. Esses hábitos têm levado ao isolamento e à falta de interação.

As férias são o momento perfeito para desenvolver as habilidades de socialização. Reforce com os filhos a importância de cultivar um momento de vivência com a família e negocie o tempo que será destinado ao celular diariamente.

Também é interessante encorajar as crianças a fazer novas amizades, seja na praia, nos playgrounds ou resorts. Daí pode nascer uma grande parceria, que pode até mesmo ser mantida por muitos anos via internet.

Ressalta a importância do respeito

Ao viajarmos para lugares muito diferentes dos que vivenciamos no dia a dia, é comum nos depararmos com hábitos e costumes que podem parecer inusitados ou estranhos em um primeiro momento. Isso também vale para as outras expressões de cultura, como linguagem, religião, música e gastronomia. Essa diversidade é perfeita para educar os pequenos sobre a importância do respeito e da tolerância.

Procure sempre enfatizar que nenhuma cultura é superior a outra, que todos os povos têm imenso valor para a sociedade e que temos muito a aprender ao interagirmos com pessoas de outras regiões. E isso vale tanto para o exterior quanto para viagens dentro do Brasil.

Sempre que as crianças se mostrarem surpresas e curiosas com algum costume, procure não inibir a curiosidade, mas ressalte a importância de tratar a todos de forma igual e com educação e respeito. Também é essencial mostrar que os turistas precisam cuidar dos lugares que visitam, principalmente se o passeio for em meio à natureza.

Favorece a busca por novos desafios

Estimular as crianças a vencerem dificuldades e superarem seus limites pode não ser fácil na correria do dia a dia. Mas, ao viajar com os filhos, tente aproveitar os passeios para colocar em desenvolvimento algumas habilidades.

Procure conversar com os pequenos sobre opções de passeio nunca antes cogitadas e verifique qual é o nível de interesse da família. Algumas opções muito divertidas e ideais para a superação de limites são acampamento, trilhas e escaladas.

No entanto, a viagem com os filhos também pode ser estimulante em vários outros aspectos. Que tal experimentar um alimento típico da região visitada, ainda que ele pareça muito diferente à primeira vista? E por que não se matricular em uma aula local de dança ou música?

Estimula a curiosidade

A educação das crianças pode ser motivada pelos pais em todos os momentos da viagem. Ao preparar o roteiro, por exemplo, peça a participação dos pequenos e anote as ideias que eles têm de passeios e o que desejam saber sobre a região que vão visitar, desde a cultura até o idioma, se o destino for internacional.

Com a ajuda da internet, separe materiais e fotografias sobre os locais que serão visitados e estimule as crianças a também buscarem informações relevantes para a viagem. Isso vai fazer com que eles se sintam bem mais empolgados para os passeios e ainda vai ressaltar a importância da negociação.

Como você viu, a viagem em família pode ser muito mais do que lazer, descanso e divertimento. Ao viajar com os filhos para conhecer novas culturas e vivenciar experiências diversas, você investe na educação deles e contribui para a formação de cidadãos melhores e mais conscientes.

Gostou deste post? Então, aproveite a visita ao blog e não deixe de conferir estas 4 dicas de roteiro de viagem com crianças!

Você deseja conhecer um determinado lugar, mas tem a impressão que nunca conseguirá arcar com o passeio? O primeiro passo é fazer um planejamento financeiro para viagem!

Muitas pessoas acreditam que viajar para locais distantes ou destinos internacionais é algo inalcançável. No entanto, com organização e economia é possível realizar a viagem dos sonhos.

Quer saber como fazer isso? Continue a leitura e confira nossas dicas!

Analise sua situação financeira

Um dos primeiros passos ao fazer um planejamento financeiro para viagem é analisar suas contas.

Verifique seus ganhos e despesas fixas e veja o quanto é possível economizar por mês para esse objetivo. Você também pode incluir no cálculo uma parte do seu 13º salário.

Esse processo será positivo para a definição do destino, pois você terá uma ideia do quanto conseguirá investir. Contudo, é fundamental manter o foco e a disciplina para guardar o valor estabelecido todo mês.

Defina o destino

A escolha do destino interfere diretamente no planejamento financeiro. Portanto, antes de defini-lo, analise seu orçamento e o período disponível para juntar a quantia necessária.

Se você deseja fazer uma viagem em poucos meses, destinos no Brasil, como Pernambuco e Bahia, ou na América do Sul, como Chile, podem ser mais atrativos.

No entanto, além dos custos comuns em todo passeio, quem pretende viajar para os EUA, por exemplo, também precisa considerar a cotação da moeda, especialmente em um cenário instável como o atual.

A dica para não extrapolar seu planejamento com a variação do dólar é adquiri-lo aos poucos. Assim você equilibra os valores e não corre o risco de pagar mais caro por isso.

Lembre-se que é necessário tirar o visto para ingressar em território americano. Caso você não o tenha, coloque esse valor no orçamento. Atualmente, a taxa de solicitação do visto de turismo é de US$160.

Estabeleça o período e a duração da viagem

Esses fatores também influenciam no orçamento final da viagem e precisam ser avaliados. Se você tiver flexibilidade para sair de férias, procure viajar em épocas de baixa temporada, a fim de conseguir um melhor custo-benefício em passagens e hospedagem.

Entretanto, é preciso verificar se não há feriados municipais, estaduais ou grandes eventos, que normalmente movimentam o turismo na região e elevam os preços — como acontece, por exemplo, em Blumenau no mês de outubro devido à Oktoberfest.

Pesquise as passagens aéreas

A passagem aérea tem um impacto significativo em um planejamento financeiro para viagem. Por isso, é fundamental pesquisá-la com antecedência, a fim de conseguir tarifas promocionais. Outra estratégia é utilizar um programa de pontos.

Além disso, verifique se o preço pode ser parcelado. Algumas empresas dividem o valor em até 10 vezes para destinos internacionais e em 6 vezes para nacionais, tornando o valor mais acessível.

Faça um levantamento dos custos da viagem

Nessa etapa você deve considerar todos os custos da viagem. Entre eles estão:

  • passagens aéreas;
  • hospedagem;
  • gastos com alimentação e gorjetas;
  • transporte (táxi, transfer, transporte público etc);
  • seguro viagem;
  • ingressos para atrações turísticas;
  • compras.

Pesquise sobre o destino escolhido a fim de saber qual o custo médio diário com refeição e transporte. Verifique também os atrativos turísticos e selecione aqueles que deseja conhecer. Por fim, faça um levantamento de quanto precisará para todo o período.

É importante incluir uma verba extra para compras e despesas não previstas, caso você precise utilizar táxis acima do planejado ou comprar algum remédio, por exemplo.

Corte alguns gastos

Se você fez o levantamento dos custos da viagem e percebeu que será difícil guardar o dinheiro necessário, pode tomar algumas atitudes para adequá-lo ao seu orçamento.

Uma dica é avaliar a hospedagem. A maioria dos destinos conta com uma rede hoteleira variada. Assim, pesquise bastante para encontrar um local com bom custo-benefício.

Optar por transporte público no destino, em vez de táxi ou transfer, também é uma boa alternativa para economizar no passeio. Outra atitude é verificar se os estabelecimentos oferecem descontos para compras online, pagamentos antecipados ou à vista.

Utilize sites e aplicativos ao fazer o planejamento financeiro

A tecnologia facilita o dia a dia das pessoas em inúmeras situações, e também é positiva para o planejamento financeiro da viagem.

Aplicativos de controle de despesas, como o Guiabolso, são úteis para analisar os gastos, acompanhar se sua meta foi alcançada no mês, entre outros benefícios.

Já o site Quanto Custa Viajar auxilia os turistas a elaborar o orçamento da viagem indicando os custos médios com alimentação, transporte, hospedagem e atrativos turísticos em inúmeras regiões do mundo.

Além disso, você pode conferir nossas dicas sobre diversos destinos — entre eles Nova York, Miami, Santiago, Salvador e Fortaleza — para montar um roteiro e definir os custos da viagem.

Economize

Após realizar todas as etapas acima, você terá uma base concreta do planejamento financeiro para viagem. A partir disso, estabeleça uma poupança mensal e o período em que levantará os recursos.

Além de reservar uma parte do seu salário para o passeio, procure reduzir seus gastos visando aumentar o montante acumulado por mês.

Normalmente, há dois tipos de despesas: as fixas — mensalidade de cursos, aluguel e contas da casa — e as variáveis — despesas do dia a dia com alimentação, combustível, entre outros.

Faça uma análise minuciosa de seus gastos e veja o que é possível reduzir. Para isso, coloque em uma planilha ou aplicativo de organização financeira seus gastos em shoppings, restaurantes etc.

Veja abaixo as etapas para economizar em uma viagem:

  • analise sua situação financeira e quite as dívidas (se houver);
  • faça um levantamento da quantia necessária para a viagem;
  • reserve um valor mensal para seu objetivo;
  • reduza gastos desnecessários e economize;
  • coloque a quantia em uma poupança ou outro tipo de investimento;
  • mantenha a disciplina e faça depósitos mensais na data estipulada;
  • não utilize esse dinheiro para outras despesas.

Essas foram nossas dicas de como fazer um bom planejamento financeiro para viagem. Comece a colocar esse plano em prática hoje mesmo e visite seu destino dos sonhos nas suas próximas férias!

Gostou do texto? Quer receber outras dicas sobre viagem? Acompanhe a Avianca no Facebook, Instagram, Twitter e YouTube, e não deixe de conferir nossas próximas publicações!

Uma viagem internacional é algo que exige bastante planejamento e pesquisa para que nenhum detalhe passe despercebido. Especialmente quem está embarcando em sua primeira aventura, é normal se esquecer de alguns pontos importantes, como é o caso do uso de celular no exterior.

Muitas pessoas podem ficar incomunicáveis ou levar um grande prejuízo financeiro por não se programarem para usar o celular fora do país da forma adequada.

Para que isso não aconteça com você, no post de hoje, vamos mostrar quais são as principais opções, como usá-las e quais são as vantagens e desvantagens de cada uma delas.

Continue a leitura e saiba mais!

4 maneiras de usar o celular no exterior

1. Escolher um plano de roaming

Fazer um plano de roaming com a operadora de telefonia no Brasil é uma opção para quem quer praticidade e não se importa em pagar mais caro por isso. Afinal, os valores para esse tipo de serviço costumam ser bem salgados.

No entanto, não são todas as operadoras que oferecem esse tipo de serviço. Ainda assim, é possível encontrá-lo nas principais, como Claro, Vivo, Tim e Oi. As tarifas e pacotes variam de acordo com cada empresa.

Em geral, é possível contratar pacotes de internet com um valor fixo diário (que varia de R$29 a R$69 por dia), e você só paga nos dias em que usar. Se a viagem for longa e a internet for usada todos os dias, o preço final pode ser exorbitante.

Esse investimento só vale a pena para quem não tem tempo de adquirir outro chip e precisa da internet de forma imediata, sem ter de procurar um ponto com Wi-Fi.

Também é válido ativar o roaming caso você só precise usá-lo um dia ou outro ao longo da viagem, caso não encontre outra opção de conexão.

Mas vale lembrar que, ainda que o preço seja alto, a qualidade não é compatível. Após gastar uma determinada quantidade de MBS no dia, a conexão se torna extremamente lenta — ou, em alguns casos, desaparece.

2. Adquirir um chip local

Comprar um chip local também é uma boa opção para quem deseja viajar e usar o celular no exterior. Mas lembre-se de verificar se o seu aparelho é desbloqueado, caso contrário, o chip — conhecido em outros países como SIM card — não funcionará.

Como você só poderá comprar o chip quando chegar ao seu destino, também é interessante pesquisar previamente na internet quais são as operadoras locais e quais planos oferecem.

A principal desvantagem dessa opção é que você não terá acesso imediato à internet quando chegar ao país e, provavelmente, perderá algum tempo procurando um local para comprar o chip.

No entanto, se o seu objetivo é economizar, essa opção é mais barata do que os planos de roaming ofertados pelas operadoras do Brasil.

3. Comprar um chip internacional

Comprar um chip internacional também é uma boa opção para quem vai viajar para o exterior, especialmente se o roteiro incluir mais de um país, visto que adquirir um chip local para cada destino é inviável.

É possível encontrar boas empresas que oferecem o serviço no mercado, como a Travel Mobile e a Easysim4u (exclusiva para viagens aos Estados Unidos). Cada uma delas conta com pacotes diferentes e valores diversos, com internet ilimitada ou planos mais restritos.

Uma das principais vantagens do chip internacional é que você pode adquiri-lo antes mesmo de viajar, pois as empresas entregam no Brasil. Com isso, você já chegará ao seu destino com acesso à internet, o que é bastante prático para quem precisa pesquisar informações, usar o Waze ou o Google Maps, por exemplo.

Com o chip em mãos, basta colocá-lo no aparelho ao desembarcar. Vale lembrar que, ao usar um chip internacional em seu celular, o número continua o mesmo. Ou seja: você não perderá seus contatos ou o acesso a aplicativos cujo login é feito pelo número de celular, como é o caso do WhatsApp e do Instagram.

4. Usar Wi-Fi gratuito

Para quem não precisa ou não sente a necessidade de estar conectado à internet durante todo o dia, as conexões de Wi-Fi gratuitas são a forma mais simples — e mais econômica — de usar o celular no exterior.

A maioria dos estabelecimentos oferece internet liberada e, em muitos deles, não será necessário pedir a senha — como é o caso das redes Starbucks e McDonald’s. Na pior das hipóteses, você perderá alguns minutos fazendo um cadastro para acessar o Wi-Fi.

Atualmente, os hotéis e hostels também contam com internet gratuita para os hóspedes. Além disso, é possível usar o Wi-Fi em aeroportos e até mesmo em pontos turísticos de algumas cidades.

Caso você precise fazer chamadas com uma qualidade melhor ou com boa conexão de Wi-Fi, é possível usar aplicativos como Skype, WhatsApp e Viber tranquilamente. Com o Wi-Fi devidamente conectado, outra boa dica é baixar apps que podem ser usados offline, como mapas e guias locais.

É importante ressaltar que essa é uma opção para os mais desapegados. Isso porque, dependendo do destino, você não poderá contar com Wi-Fi de boa qualidade e terá que usar esse recurso somente em caso de muita necessidade.

Dica Extra

Vale lembrar ainda que não é indicado usar o celular no exterior como se estivesse no Brasil. Afinal, as tarifas de ligações e de uso de pacote de dados são extremamente altas e saem mais caras até mesmo que os já salgados planos de roaming. Em alguns casos, a própria operadora desativa a conexão fora do território brasileiro.

Portanto, vale a pena fazer uma boa pesquisa, pesar sobre as vantagens e desvantagens de cada opção e encontrar a que mais se adequa ao seu orçamento e às suas necessidades. Dessa forma, você poderá viajar com mais tranquilidade e usar o celular no exterior sem dores de cabeça!

E se você gostou do nosso post de hoje e quer ficar por dentro de mais conteúdos como este, aproveite para seguir a Avianca Brasil nas redes sociais! Estamos no Facebook, no Instagram, no Twitter e também no YouTube!

Dizem por aí que família é tudo igual, só muda o endereço! Ainda que aconteçam desentendimentos e que o dia a dia resulte em certo estresse, é no seio familiar que encontramos conforto, aconchego e suporte para as dificuldades da vida.

A estrutura familiar se modificou com o passar do tempo. Hoje, não é raro vermos famílias formadas por mãe e crianças, por pessoas que vivem com filhos de outro casamento e mesmo por aqueles que consideram os pets verdadeiros integrantes da família!

Independentemente de como é na sua casa, chegando o período de férias, o que todos querem saber é como será a viagem em família. Pensando nisso, elaboramos este guia completo para a sua próxima aventura!

A seguir, você confere orientações de como elaborar o planejamento financeiro, a lista de documentos necessários para viajar com crianças e animais de estimação, dicas de como elaborar o roteiro ideal e vários outros pontos necessários para garantir férias tranquilas, divertidas e inesquecíveis! Continue a leitura e prepare-se!

Planejamento da viagem em família

A família certamente está ansiosa para relaxar, conhecer novas culturas e aproveitar o tempo com quem mais ama. Mas, antes de fazer as malas, é fundamental ter atenção a alguns pontos importantes. Confira!

Orçamento

O primeiro passo é saber exatamente qual é a verba disponível para a viagem em família. Assim, fica mais fácil definir se o destino escolhido será nacional ou internacional, além da duração da viagem, o tipo de hospedagem e os passeios que serão realizados.

Faça um bom planejamento financeiro, levando em consideração o máximo de aspectos possíveis, como:

  • passagens aéreas para adultos e crianças;
  • deslocamento até os aeroportos;
  • hospedagem;
  • malas e bolsas adequadas;
  • valores de despacho de bagagem;
  • emissão de visto e passaporte;
  • seguro viagem;
  • transporte no local de destino;
  • alimentação,
  • entrada para atrações turísticas;
  • taxa de câmbio de moeda estrangeira;
  • IOF em compras com cartão de crédito no exterior;
  • chip ou plano de celular e internet no local de destino.

Elabore uma planilha e tente colocar a estimativa de todos os gastos previstos para a viagem, por menores que sejam. Assim, você consegue fazer muita economia e ainda inicia a elaboração do roteiro.

Outra dica é buscar vouchers de descontos e promoções diretamente nos sites das atrações. Se você quer provar a gastronomia local, pesquise os restaurantes mais recomendados e avalie as opções de happy hour ou de menu completo com desconto.

Um ponto importante, principalmente se a viagem for com crianças, é levar um cartão de crédito extra, para casos de emergência. Afinal, nunca se sabe quando pode acontecer algum imprevisto.

Destino

Em família, o que não pode faltar é negociação! E isso também vale na hora de escolher o destino das férias.

Pode ser que parte da turma sonhe em realizar certa viagem e argumente a favor disso. Mas é muito importante que você avalie com calma se essa é a melhor hora para conhecer tal destino, seja em função do orçamento disponível ou das características do local. O importante é ter muito diálogo!

Para fazer a viagem em família ideal, considere a idade de cada membro, as condições físicas e o estilo de cada pessoa. Uma viagem à Chapada Dimantina, por exemplo, é perfeita para quem gosta de aventuras, trilhas e contato com a natureza. Esse também é o caso daqueles que sonham em esquiar na neve.

Se vocês procuram sossego, descanso ou se estão com um bebê, procurem por lugares com boa estrutura e pontos turísticos com fácil acesso. É o caso de Caldas Novas e da Serra Gaúcha.

Ao escolher o destino, leve em conta também a estação do ano. Não se esqueça de que no hemisfério norte é inverno enquanto estamos no verão. Ou seja, Nova York em dezembro e janeiro é pura neve, enquanto por aqui o calor é grande! E isso também vale para grandes deslocamentos dentro do Brasil, já que em um país de tamanho continental as diferenças climáticas são consideráveis.

Levando isso em conta, você planeja melhor os passeios, o que levar na bagagem e não coloca em risco o bem-estar da sua família.

Documentação

Quando se trata de viagem de avião, é preciso ter alguns cuidados com a documentação. A seguir, conheça os principais.

Voos domésticos

Para viajar dentro do Brasil, basta apresentar um documento de identificação com foto e válido em todo território nacional. Pode ser RG, carteira de motorista, passaporte ou carteira de trabalho.

No caso de crianças menores de 12 anos, os pais devem portar RG, passaporte ou certidão de nascimento. Se a viagem for com tios, irmãos ou avós, a certidão de nascimento é obrigatória.

Para viajar com uma criança sem grau de parentesco, é preciso apresentar declaração de autorização dos pais, com firma reconhecida em cartório.

Voos internacionais

Para viajar para países integrantes do Mercosul (Argentina, Uruguai, Paraguai, Bolívia, Chile, Peru, Equador, Colômbia, Guiana, Suriname e Venezuela), basta apresentar a carteira de identidade original e dentro da validade (que é de 10 anos) ou o passaporte. Fique atento, pois a carteira de motorista não é valida nesses casos.

Se a sua viagem for para outro destino, confira se o local exige visto e qual é o procedimento para retirá-lo. Você também deve ficar atento em casos de conexão em outros países, pois pode ser necessário o visto de trânsito, além do passaporte válido.

Para levar crianças para o exterior, é necessário ficar atento, já que a exigência é de que mãe e pai estejam presentes. Caso um dos genitores não esteja na viagem, é preciso providenciar uma autorização judicial, com firma reconhecida.

Embarque de gestantes

Muitas pessoas não sabem se as gestantes podem viajar de avião. E a resposta é sim, mas com algumas ressalvas.

Primeiramente, toda mulher grávida deve checar com seu médico se a viagem de avião pode ser realizada. Após o sétimo mês, o atestado médico liberando a viagem é obrigatório. Também é muito importante que a gestante leve seus documentos pessoais e o cartão pré-natal. No aeroporto, é preciso ainda que a passageira assine um termo de responsabilidade. Veja mais detalhes das regras:

  • até 27 semanas de gravidez simples ou 25 semanas de gravidez de gêmeos — não é necessário apresentar atestado médico para viajar;
  • de 28 a 35 semanas para gravidez simples ou de 26 a 31 semanas em caso de gravidez de gêmeos — é preciso preencher a declaração de responsabilidade fornecida pela companhia aérea;
  • do início da semana 36 ao fim da semana 37 para gravidez simples e a partir da semana 32 para gravidez de gêmeos — é exigida a apresentação de atestado médico;
  • a partir de 38 semanas — o embarque da gestante é permitido apenas em caso de extrema necessidade, junto com um obstetra.

É importante ressaltar que crianças com até 7 dias de vida não podem viajar de avião.

Transporte de pets

É inegável que os bichinhos fazem parte da família tanto quanto qualquer outro integrante, não é mesmo? É por isso que, em muitos casos, fica impossível deixá-los para trás em uma viagem. Se esse é o seu caso, fique atento a alguns detalhes.

O primeiro ponto a se considerar é que a permanência de animais dentro da cabine de passageiros só é permitida embaixo do assento. Ou seja, o animal precisa ser de pequeno porte e ficar bem tranquilo nesse tipo de situação. Assim, avalie se a viagem não causaria estresse em seu pet ou outro mal-estar, como vômito e diarreia.

Em voos domésticos, é preciso apresentar o Certificado Sanitário do animal, que pode ser obtido em uma consulta veterinária — ele tem validade de 3 dias. Em caso de deslocamento a destinos internacionais, é necessário providenciar outro documento, o Certificado Zoossanitário Internacional (CZI), emitido gratuitamente pelo Ministério da Agricultura, geralmente no próprio aeroporto de origem.

Tenha atenção também às outras regras para pets e ao valor das taxas. O único animal que pode ser transportado gratuitamente na cabine de passageiros é o cão-guia, que viaja ao lado do dono. Mas é importante informar a companhia área com antecedência.

E não se esqueça de escolher um hotel pet friendly!

Regras de bagagem

Uma parte muito importante do planejamento é a atenção às bagagens, sobretudo para quem vai viajar com crianças pequenas.

Para não ser surpreendido na hora do embarque, avalie com antecedência as regras de bagagem da companhia, incluindo os itens que podem ser transportados, dimensões das valises e peso.

Uma ótima dica é pesar cada mala em casa e avaliar com cuidado se tudo está dentro das normas. Tenha em mente que certos medicamentos não podem ser transportados para determinados países, e outros, só com receita médica. O mesmo vale para alimentos e bebidas alcoólicas.

Roteiro da viagem em família

Depois de muito tempo de espera, finalmente vocês chegam ao destino da viagem em família. Ótimo, não é mesmo?

Agora, imagine estar no lugar tão esperado e não saber quais regiões conhecer? E não ter conhecimento dos transportes disponíveis, da distância dos pontos turísticos e de quais atrações são apropriadas para as crianças? E se o hotel for desconfortável e sem estrutura para o cuidado com os pequenos?

Pois é isso que acontece quando não planejamentos cada detalhe das férias: várias horas da viagem são desperdiçadas, corre-se o risco de escolher um passeio que não agrada a turma e aumenta-se a chance de extrapolar o orçamento planejado.

Então, veja o que você não pode deixar de pesquisar para a sua viagem em família!

Hospedagem

A hospedagem é um dos pontos que mais merecem atenção quando o assunto é viagem em família. Afinal, para curtir as férias e relaxar, é fundamental ter conforto, privacidade e uma ótima infraestrutura ao redor.

Por isso, independentemente do destino escolhido, avalie com atenção a localização, sempre considerando os passeios programados e o meio de transporte que a família vai utilizar. Também vale a pena verificar se o ambiente é apropriado para crianças e se o estabelecimento recebe animais de estimação.

Pense também na sua rotina e procure por hotéis que possam atender vocês da melhor forma. Muitas vezes, alguns estabelecimentos oferecem vários mimos e conforto aos hóspedes, o que torna a viagem muito mais tranquila. Alguns itens que podem ser levados em conta na hora da pesquisa do hotel ideal são:

  • lavanderia;
  • elevador;
  • área de lazer;
  • loja de conveniência;
  • traslado para o aeroporto;
  • café da manhã;
  • restaurante;
  • acústica dos quartos;
  • cofre;
  • secador de cabelo;
  • frigobar;
  • micro-ondas e utensílios.

Transporte

É preciso avaliar com atenção a localização do hotel e os passeios que a família quer realizar para definir qual é o melhor meio de transporte, tanto em termos de conforto quanto de economia.

Em Miami, por exemplo, os outlets mais famosos não ficam próximos de Miami Beach, e isso deve ser considerado no planejamento. Por isso, avalie se para a sua família é mais viável alugar um carro ou apostar em táxis e serviços de aplicativo. Caso os apps sejam a opção, é importante garantir um bom acesso à internet no celular, já que com crianças não dá para contar apenas com Wi-Fi.

Muitas famílias também procuram por motoristas particulares, que ficam à disposição e levam para todos os passeios. Se essa for a melhor opção para você, fique atento para não cair em golpes e outros tipos de armadilhas. Infelizmente, em certos lugares há relatos de recebimentos de notas falsas e outros tipos de prejuízos.

Outra dica é não descartar o uso do transporte público. O trânsito intenso de algumas metrópoles, como Nova York, faz com que o metrô seja a melhor opção de deslocamento. Isso faz o dia render mais passeios, e vocês ainda podem perceber muito mais da cultura local e da rotina dos moradores.

Atrações turísticas

Não tem a menor graça ir a Nova York e não subir no Empire State Building. Da mesma forma, ninguém quer ir ao Rio de Janeiro e não visitar o Cristo. E passar uns dias em Salvador e não entrar no Elevador Lacerda? Impossível, certo?

Para curtir ao máximo a sua viagem em família e aproveitar bem cada dia, faça uma lista completa do que a cidade oferece de melhor aos turistas. Em seguida, selecione o que mais agrada a sua família e quais passeios todos podem fazer juntos. O próximo passo é definir o que fazer em cada dia, de acordo com a região visitada.

Um exemplo: se o destino escolhido é Belo Horizonte, escolha um dia para conhecer todas as opções da região da Pampulha. Vocês podem visitar a Igrejinha de São Francisco de Assis, a Casa do Baile e as outras construções do Conjunto Arquitetônico. Em outro dia, programe-se para visitar os museus do Circuito Liberdade e tire lindas fotos na Praça. No terceiro dia, a pedida pode ser fazer um longo passeio no Mercado Central.

Ainda que essa organização seja muito importante para a viagem, também é fundamental ser flexível. Afinal, o dia destinado a um passeio no parque pode amanhecer chuvoso, por exemplo. Nesse caso, troque a ordem das atrações e faça adaptações no roteiro.

Também pode acontecer de se gastar muito mais tempo que o programado em determinada atração. Se isso ocorrer, também vale a pena rever a programação. Se as crianças estão curtindo a visita a um museu interativo, por exemplo, por que interromper a brincadeira?

Para aproveitar os momentos em família, é válido controlar o tempo no celular. É muito legal registrar todos os passeios, fazer check-in nas redes sociais e postar muitas fotos e vídeos. Mas não se deixe levar pela tecnologia e faça de tudo para desfrutar ao máximo o momento presente.

Restaurantes

Uma das melhores coisas em qualquer viagem é experimentar a gastronomia local, provar diferentes drinks e passear em restaurantes que são uma verdadeira demonstração de história e cultura. Por isso, é fundamental incluir em seu roteiro de viagem em família alguns restaurantes tradicionais e imperdíveis.

A dica aqui é fugir dos estabelecimentos só frequentados por turistas. Para fazer uma verdadeira imersão no destino escolhido, o ideal é optar por restaurantes que são também escolhidos pelos moradores locais. Esses, inclusive, podem sair muito mais em conta.

A única orientação é ficar atento em casos de gastronomia exótica para o paladar da família. Afinal, os desavisados e, principalmente, as crianças podem não reagir muito bem a uma mudança brusca na alimentação.

Se a família viaja com o orçamento apertado, uma opção é tomar um café da manhã reforçado e no decorrer do dia fazer alguns lanchinhos, entre um passeio e outro, por exemplo. Ao final do dia, todos podem voltar para o hotel, se aprontar e sair para jantar em um restaurante bem especial.

Opções culturais

Mesmo em época de férias, os cuidados com a educação e o aprendizado das crianças não podem ser esquecidos, não é mesmo? E tudo fica bem melhor quando conseguimos aproveitar passeios, brincadeiras e diversão para ensinar sobre a história e a cultura de outros povos e regiões.

Independentemente do destino escolhido, procure pesquisar com antecedência informações importantes sobre o local de destino. Informe-se sobre os prédios do governo, o estilo de construção, a forma como se deu a povoação da região etc.

Ao visitar monumentos históricos, apresente às crianças algumas curiosidades, adaptando as informações à idade dos pequenos. Com certeza, eles vão aproveitar com muito mais entusiasmo os passeios que a princípio poderiam até mesmo parecer chatos.

Sempre que possível, visite museus e assista a espetáculos de artistas locais, seja de música, teatro ou dança. Aproveite e leve para os familiares e amigos lembrancinhas do artesanato local. Essa é uma ótima forma de incentivar ainda mais a economia dos lugares visitados e mostrar para os filhos a importância de demonstrar afeto e consideração àqueles que nos querem bem.

Outra forma bem educativa e lúdica de registrar os passeios é fazendo desenhos e pinturas de locais conhecidos durante a viagem. Essa é mais uma maneira de aproveitar o tempo em família e estimular a criatividade dos pequenos.

Volta à rotina após a viagem

Depois de muito descanso, passeio e diversão, é chegada a hora de retomar a rotina e colocar a casa em ordem. Mas não se estresse antecipadamente por isso. Aproveite as energias renovadas e preserve a paz e a tranquilidade no lar por muito tempo.

Para ninguém ficar sobrecarregado, inclua os membros da família nas tarefas, sempre em clima de alto-astral. A primeira atividade que deve ser cumprida quando voltamos de férias em família é desfazer as malas. E é muito importante que essa tarefa não demore muitos dias até ser finalizada. Isso porque, principalmente ao voltar do litoral, algumas peças podem ser guardadas na mala ainda úmidas, e isso pode resultar em mau cheiro, roupas danificadas e até mofo.

Peça que cada um abra sua própria mala, separe as peças que precisam ser lavadas e guarde produtos de beleza, sapatos e roupas limpas em seus devidos lugares. Com isso resolvido, grande parte da tarefa já estará concluída!

Para seguir os próximos meses de forma tranquila, também é muito importante que a família fique atenta ao planejamento financeiro, sobretudo se muitos itens da viagem estiverem parcelados, como passagens aéreas e hospedagem.

Para deixar a próxima viagem ainda mais proveitosa, proponha a criação de uma caixinha de viagem. Mensalmente, cada um pode contribuir com determinada quantia de dinheiro, mesmo que pequena, e se esforçar para economizar ao máximo nos hábitos diários.

Como incentivo, você pode dar mais autonomia às crianças na escolha do próximo destino. Pode ser o grande momento de elas aproveitarem as férias em um parque incrível, por exemplo.

Neste guia, apresentamos um passo a passo de como organizar uma viagem em família, desde a organização das finanças até a definição do roteiro e organização pós-viagem. Esperamos que as dicas tenham sido úteis e que você possa usufruir das próximas férias de uma maneira inesquecível. Afinal, você merece um momento de descanso e alegria ao lado de quem mais ama.

Ficou com dúvidas em algum ponto ou quer conferir as melhores passagens para as férias em família? Então, entre em contato com a Avianca agora mesmo. Somos a companhia que mais oferece conforto e praticidade aos brasileiros. Até a próxima!

A organização de uma viagem de avião passa pela etapa de escolher uma companhia aérea. Muitas pessoas não se dão conta, mas esse procedimento é extremamente relevante, já que pode interferir diretamente na experiência do passeio.

Além do preço da passagem, é importante avaliar outros fatores antes de tomar a decisão, a fim de garantir que a empresa escolhida atenda às suas necessidades. Quer saber quais são eles? Acompanhe o texto e confira nossas dicas!

O que levar em consideração na hora de contratar uma companhia aérea?

Escolher uma companhia aérea parece uma tarefa fácil. No entanto, é preciso tomar alguns cuidados antes de adquirir as passagens, pois você começará e terminará sua viagem em contato com essa empresa.

Um problema com atendimento ou desconforto dentro da aeronave já no início do trajeto, por exemplo, pode deixar você estressado e comprometer os primeiros dias do passeio.

Sendo assim, avalie o serviço como um todo, considerando não apenas o preço, mas os diferenciais de cada companhia. Veja abaixo quais aspectos devem ser analisados para evitar contratempos durante a sua viagem.

Preço e opções de pagamento

O preço é, sem dúvida, o principal fator observado no momento de escolher a companhia área. Entretanto, é necessário avaliar o custo-benefício, considerando o valor da passagem, os serviços oferecidos, as tarifas para marcação de assento e bagagens, os procedimentos para reembolso, entre outros itens.

Também são pontos significativos a forma de pagamento e o programa de fidelidade, que podem contribuir com o orçamento da viagem. Por isso, confira quais empresas oferecem as melhores opções de pagamento e parcelamento para voos nacionais e internacionais.

Variedade de destinos

Um passo importante antes de escolher uma companhia aérea é pesquisar sobre a variedade de destinos. Afinal, ela precisa atender a região que você deseja visitar, não é mesmo?

Algumas pessoas não sabem, mas as empresas de transporte aéreo, geralmente, fazem parte de um grupo com outras companhias internacionais, o que amplia a área de atendimento.

É o caso da Star Alliance, uma aliança global de companhias aéreas da qual a Avianca Brasil faz parte.

Além das rotas nacionais e internacionais, como MiamiSantiago e Nova York, a Avianca consegue conectar o passageiro a outros destinos por meio de voos de parceiras no exterior, a exemplo do trecho Brasil-Singapura.

Esse procedimento reduz o tempo para a compra e a emissão de passagens, já que não é necessário comprar voos separados para chegar até o destino.

Outra vantagem é que o passageiro acumula pontos no programa de fidelidade e pode emitir passagens pela companhia brasileira, ou para voar com membros da aliança para diversos países.

Dessa forma, não deixe de conferir os destinos de viagem em cada companhia e nas empresas parceiras antes de fazer a compra da passagem.

Credibilidade da companhia aérea

credibilidade das empresas reas também deve ser avaliada. É recomendado verificar o histórico delas em relação à qualidade dos serviços prestados, satisfação dos passageiros, índice de reclamação, entre outros pontos.

Além disso, quando a companhia faz parte de uma aliança de linhas aéreas globais, por exemplo, ela precisa seguir uma série de padrões para assegurar a credibilidade e a qualidade dos serviços.

Qualidade no atendimento

Quem já teve algum problema durante o voo sabe como isso pode se tornar uma grande dor de cabeça se a companhia aérea não realizar um atendimento de qualidade.

A empresa deve ter uma equipe eficiente, tanto dentro do avião quanto nos canais de atendimento. Sendo assim, avalie a diversidade de canais de comunicação, o tempo de solução e a cortesia dos profissionais.

Há pesquisas e prêmios de reconhecimento, como o Prêmio Consumidor Moderno e o Melhores Serviços, do Jornal Estadão, que investigam o setor para identificar as linhas aéreas com excelência em serviços ao cliente.

Estrutura da aeronave e conforto

Esses dois fatores fazem a diferença em uma viagem, especialmente em voos mais longos. Por isso, é necessário analisá-los antes de escolher a companhia aérea.

As aeronaves modernas, geralmente, apresentam mais espaço no corredor e entre as poltronas, o que melhora a experiência durante a viagem, tanto em voos internacionais quanto domésticos.

A ANAC conta com um Programa de Avaliação Dimensional para analisar a distância entre as fileiras de assentos, e a Avianca é a única companhia brasileira classificada na faixa A.

Ou seja, os aviões apresentam um espaço maior entre as poltronas. Além disso, a empresa tem a frota mais jovem da América Latina, com aviões da Airbus.

Pontualidade

Embora a condição climática seja a principal causa de atrasos e cancelamento de voos, ainda existem outros fatores que contribuem para essa situação. Portanto, verifique a pontualidade da empresa.

Um atraso no voo pode comprometer sua viagem e resultar em problemas relacionados a compromissos com horário marcado, tanto em viagens a trabalho quanto a lazer.

Serviço de bordo

Também é importante pesquisar sobre os serviços de bordo. Afinal, eles podem representar um diferencial na viagem e tornar o período mais agradável.

Verifique a alimentação oferecida, analisando a qualidade, a diversidade dos alimentos e bebidas e se há tarifas pelo serviço. Caso você precise seguir uma dieta vegetariana ou restritiva, veja se a companhia aérea conta com cardápio alternativo.

Para ter uma boa experiência durante o voo, confira se há um serviço diferenciado, com comidas e bebidas de qualidade, sanduíches quentes e frios, além de refeições especiais, como cardápio no padrão VLML (ovo-lacto-vegetariana).

Entretenimento de bordo

Esse item pode parecer dispensável para algumas pessoas, mas contar com entretenimento de bordomelhora muito a experiência durante a viagem. Antes de escolher uma companhia aérea, verifique se ela oferece esse serviço.

Além disso, analise a qualidade do entretenimento. Observe se há tela individual na poltrona, programação de áudio e vídeo atualizada e variada, revistas, carregador USB, entre outros aspectos.

2Se o voo for longo, sem dúvida, você vai se beneficiar ainda mais dessas comodidades.

As empresas apresentam diferentes características e serviços, por isso, é importante avaliar os fatores listados acima antes de escolher uma companhia aérea para sua viagem. Assim, você garante que sua experiência seja a melhor possível!

Que tal voar com a Avianca Brasil na sua próxima viagem? Acesse o site e conheça nossos destinos!

As viagens em família são ótimas oportunidades para passar momentos ao lado de quem se ama. No entanto, é preciso tomar alguns cuidados ao montar um roteiro de viagem com crianças, a fim de que elas aproveitem melhor o período.

A definição do destino e do hotel é uma etapa essencial durante o planejamento, que deve priorizar locais interessantes, seguros e, se possível, com uma boa infraestrutura para a criançada.

Outra dica é estabelecer um roteiro tranquilo, com horário para refeições e períodos maiores dedicados aos passeios, de forma que as atividades não se tornem cansativas.

No texto de hoje, separamos algumas dicas que podem garantir o sucesso de sua viagem em família. Continue a leitura e saiba mais!

Como montar um roteiro de viagem com crianças

Ao estabelecer a programação da viagem com as crianças procure conciliar o interesse dos membros da família para que o período seja agradável a todos.

Além de definir as atrações turísticas, é importante pensar em outros fatores. Veja alguns abaixo.

Considere o tempo de deslocamento

O meio de transporte e o tempo de deslocamento são elementos relevantes em toda viagem, ainda mais com crianças, já que períodos longos podem deixá-las entediadas e irritadas.

Em trajetos de avião, geralmente há entretenimento de bordo. No entanto, uma recomendação é levar itens como jogos e livros para minimizar a espera no embarque e em outros trechos do itinerário.

Além disso, programe a chegada aos compromissos com horário definido e certa antecedência. Assim, se houver algum imprevisto no momento da saída ou durante o trajeto — uma parada para as crianças irem ao banheiro, por exemplo — você evita problemas como atrasos.

Escolha bagagens adequadas

Quem viaja com filhos pequenos carrega muitos itens, não é mesmo? E além de tudo isso, precisa ter as mãos livres para apresentar documentos e cuidar das crianças.

Uma dica significativa é escolher bem as bagagens — malas grandes e pesadas podem se tornar um incômodo durante os deslocamentos. Pensando nisso, procure montar malas práticas e com um tamanho adequado.

Para evitar o excesso de roupas e objetos, analise a temperatura do local, a duração da viagem e leve apenas a quantidade suficiente para esse período.

Outra recomendação é levar uma mochila ou bolsa pequena para armazenar os itens que a família poderá precisar durante as atividades turísticas, como água, boné, lenço de papel, protetor solar etc.

Defina os passeios

Algumas cidades contam com inúmeras atrações e pontos turísticos. Assim, para não haver discussões durante a estadia, a dica é definir o roteiro de viagem antes de embarcar.

Também é importante conversar com as crianças e explicar que haverá períodos específicos para atividades infantis, como passeios em parques e praias, e momentos voltados aos adultos, com visitas a museus, por exemplo.

Procure não incluir muitas atividades ao longo do dia, especialmente para locais mais distantes, pois no fim da tarde a criançada ficará cansada e irritada com o passeio.

Deixar alguns dias livres durante a viagem é outra excelente estratégia. Dessa forma você poderá adaptar o roteiro caso haja imprevistos que atrapalhem a programação, como dias chuvosos.

Estabeleça horários para almoço e jantar

Defina horários para as refeições e verifique as opções de estabelecimento na região. Assim, você não precisará entrar no primeiro restaurante do caminho e correr o risco de ter uma experiência negativa.

Outra dica é levar frutas, água, suco e biscoitos para que as crianças se alimentem nos intervalos das refeições ou em locais sem muita infraestrutura, como em praias mais afastadas e desertas.

Reserve um tempo para aproveitar as áreas de lazer do hotel

Se o hotel escolhido tiver boa infraestrutura, com piscina, salão de jogos e playground, inevitavelmente seus filhos vão querer aproveitar essas atrações. Portanto, ao montar um roteiro de viagem com crianças, reserve um período do dia para que elas consigam se divertir na hospedagem.

Sugestões de destinos para viagem em família

Há diversos destinos nacionais e internacionais que contam com atrações para adultos e crianças. Confira algumas ótimas opções para viagens em família.

1. Salvador

Salvador tem boa infraestrutura hoteleira e ótimas opções de resorts com atrações para toda a família, entre eles o Catussaba Resort Hotel e o Gran Hotel Stella Maris.

Além disso, a cidade guarda uma parte da história do Brasil, o que faz do destino uma excelente escolha, especialmente para as crianças em idade escolar.

A Praia do Forte, próxima à Salvador, também é uma alternativa para viagens em família, pois tem mar calmo, com água quente e cristalina, e bons hotéis, como o Iberostar.

2. Florianópolis

A capital de Santa Catarina é outro destino interessante para um roteiro de viagem com crianças. A cidade tem praias para diferentes públicos, e as crianças mais aventureiras podem se divertir nas Dunas da Joaquina, um dos cartões-postais da região.

Se a ideia for fazer uma viagem de férias, você pode aproveitar a período mais longo para visitar o parque Beto Carrero World, no município de Penha, que fica a menos de 2 horas do centro de Florianópolis.

3. Gramado

Gramado fica a cerca de 100 km de Porto Alegre e é famosa pelas atrações natalinas durante o fim do ano, mas também é uma boa opção para as férias de julho e feriados.

Entre os atrativos turísticos estão o GramadoZoo, o Museu de Cera Dreamland, o Snowland (parque com pista de patinação no gelo e neve artificial) e o parque de diversões Alpen Park, localizado em Canela, cidade vizinha.

4. Valle Nevado

Uma boa opção para uma viagem internacional em família é o Valle Nevado, que fica a aproximadamente 60 km de Santiago, capital do Chile.

De junho a setembro, a temporada de neve está aberta. Assim, é possível esquiar e se divertir nas montanhas do local, que também conta com opções de hospedagem. Além disso, você e sua família podem aproveitar a estadia para conhecer o centro histórico da capital chilena e outras atrações da região.

Essas foram nossas dicas para montar um roteiro de viagem com crianças. Escolha o destino do passeio e aproveite os dias com a família!

Gostou do texto? Então, compartilhe-o em suas redes sociais e ajude seus amigos que precisam planejar uma viagem com crianças!

As diferenças entre viajar de carro ou de avião causam dúvidas em muitos turistas. E não é para menos, afinal, as duas modalidades apresentam vantagens.

O planejamento da viagem deve ser feito com atenção para que o período resulte em boas experiências e lembranças. Por isso, além de definir a hospedagem e o roteiro, é importante escolher o meio de transporte adequado.

viajar de carro ou de avião

Pensando nisso, no post de hoje, vamos mostrar o que você deve considerar antes de escolher viajar de carro ou de avião. Continue a leitura e saiba mais!

Quando a viagem de carro é mais indicada?

As viagens de carro, geralmente, são mais indicadas para trajetos de curta duração. Assim, o motorista e os acompanhantes não ficam cansados com o percurso.

Para viagens organizadas em cima da hora, essa modalidade também pode ser mais interessante. Como nesses casos é um pouco mais difícil encontrar assentos livres em voos com horários convenientes, o trajeto terrestre se torna uma boa opção.

Quem deseja visitar mais de uma cidade, e tem um tempo longo para o passeio, pode optar pela viagem de carro para apreciar a paisagem e ter mais flexibilidade no percurso. Contudo, antes de planejá-la, é importante pesquisar sobre a situação das rodovias e fazer um levantamento dos custos com pedágio e gasolina, além da manutenção do veículo.

Algumas pessoas preferem viajar de carro para facilitar o deslocamento no destino, contudo, é preciso avaliar bem esse fator. Em determinadas regiões o trânsito é intenso, o que pode prejudicar o passeio. Em muitos casos, a melhor alternativa é optar pelo transporte público ou aplicativos de táxi.

Quando a viagem de avião é a melhor opção?

A principal diferença entre viajar de carro ou de avião é a rapidez, já que com o transporte aéreo é possível chegar em um tempo menor ao destino.

Para você ter uma ideia, o deslocamento entre São Paulo e Salvador por via terrestre dura cerca de 26 horas, sem considerar o período de pausas para refeições, pernoite e etc. Já o percurso de avião dura aproximadamente 2 horas e 20 minutos.

Além da viagem de avião ser a melhor opção para longas distâncias, ela também é indicada em outros casos. Confira!

Viagem solo

Se você pretende viajar sozinho, o deslocamento aéreo pode apresentar melhor custo-benefício e mais comodidade.

Para saber se essa opção é a mais vantajosa, é preciso calcular os custos com combustível, pedágios e desgaste do carro. Como não haverá amigos para dividir a conta e o volante, dependendo da distância, viajar de avião será mais econômico.

Além disso, você pode parcelar o valor da passagem para tornar a viagem mais acessível, ou ainda utilizar um programa de milhas.

Período curto para a viagem

Conseguiu uma folga ou tem poucos dias de férias? Nesses casos, a viagem de avião é a melhor alternativa. Assim, você pode aproveitar o tempo livre para passear pela cidade, conhecer os atrativos da região, entre outras atividades.

Em feriados, por exemplo, a movimentação nas estradas é intensa, por isso, o avião é mais vantajoso para quem não quer perder o tempo de folga no trânsito.

Baixa temporada

Planejar uma viagem na baixa temporada é bastante positivo, pois você encontra locais mais vazios, além de hospedagens e voos com bom custo-benefício.

Antes de definir viajar de carro ou de avião, verifique os preços das passagens aéreas. Em muitos casos, elas podem ser mais econômicas que os custos de um trajeto de carro.

Promoção de passagens

As tarifas promocionais também tornam a viagem de avião economicamente mais vantajosa. Cadastre-se no site da companhia aérea para receber informativos sobre descontos e fique atento às promoções.

Outros diferenciais da viagem de avião são a segurança e a tranquilidade para o deslocamento, já que muitos trechos rodoviários têm estradas de má qualidade e excesso de caminhões.

Como escolher a melhor modalidade?

Acima listamos as principais características de cada modalidade. No entanto, a escolha entre viajar de carro ou de avião dependerá de seus interesses, do perfil da sua viagem, além do tempo e orçamento disponíveis.

Faça um levantamento dos custos e veja o que é mais importante no seu caso. Se você não teve tempo de planejar o passeio, mas o local é próximo, o carro pode ser uma boa alternativa.

Agora, se você quer priorizar o tempo no destino ou ter mais conforto para o deslocamento, por exemplo, a viagem de avião será a melhor opção.

Como se preparar para uma viagem de avião?

Você analisou as principais diferenças entre viajar de carro ou de avião e optou pelo transporte aéreo? Essa modalidade tem algumas particularidades e recomendações. Veja, a seguir, como se preparar para a viagem:

  • pesquise as passagens. Analise o valor das passagens com antecedência para conseguir bons horários e valores;
  • prepare a bagagem. As bagagens da viagem de avião devem ter peso e dimensões adequadas. A mala de mão, por exemplo, não pode ter mais de 10kg. Se você adquirir franquia de bagagem, poderá despachar uma mala de até 23kg;
  • separe a documentação. Para o embarque em voos domésticos é preciso apresentar um documento original com foto;
  • planeje a chegada ao aeroporto com antecedência. Em voos nacionais, o recomendado é chegar cerca de 1 hora antes do horário de embarque para realizar o check-in e despachar as malas;
  • faça o check-in online. Para facilitar os procedimentos de embarque, você pode realizar o check-in online a partir de 72 horas antes do voo;
  • prepare sua mala de mão. Cada passageiro pode embarcar com uma mala de mão e um item pessoal. Separe os produtos que podem ser necessários durante o voo, como blusa de frio, itens de higiene e remédio, e coloque-os nesse acessório;
  • cuidado com a alimentação antes do voo. Se você tem enjoo em viagens de avião, evite consumir alimentos pesados ou bebidas alcoólicas antes de embarcar.

Esses são os pontos que devem ser considerados antes de decidir viajar de carro ou de avião. Esperamos que o texto tenha esclarecido suas dúvidas e que você tenha uma boa experiência em sua próxima viagem!

E que tal começar a organizar sua viagem de avião hoje mesmo? Acesse o site da Avianca e conheça nossos destinos nacionais!

Os procedimentos para viajar de avião com crianças causam dúvidas em muitos pais, principalmente pelo fato de que muitas delas ficam entediadas e irritadas durante o trajeto.

Contudo, não dá para fugir de situações como essa, especialmente se você planeja organizar uma viagem em família para destinos mais distantes e precisa do transporte aéreo.

A boa notícia é que algumas atitudes podem facilitar a organização da viagem, tornando o período mais agradável. Quer saber quais são elas? Confira o texto e veja as nossas dicas sobre o assunto!

Viajar de Avião com Crianças

Conheça as regras para viajar de avião com crianças

O primeiro passo para uma viagem de sucesso é se informar sobre as regras e valores para embarcar com crianças.

Valor das passagens

O preço da passagem depende da política de cada companhia aérea. Geralmente, nos voos nacionais, em classe econômica, é cobrada uma taxa simbólica para crianças com menos de 2 anos, que devem viajar no colo de um adulto.

Já em voos internacionais é cobrada uma porcentagem do valor total da passagem, mais as taxas de embarque e impostos. As passagens para crianças entre 2 e 12 anos, em rotas domésticas, costumam ter 25% de desconto sobre a tarifa do adulto.

Documentação

A documentação varia de acordo com o destino da viagem. Em geral, é necessário levar:

  • certidão de nascimento ou documento de identidade, para voos nacionais;
  • documento de identidade em boas condições, para destinos da América do Sul;
  • passaporte e visto (se necessário), para outros destinos internacionais.

Se a criança tiver menos de 12 anos e for viajar com um adulto sem comprovação de parentesco, é preciso apresentar uma autorização assinada pelos pais, com firma reconhecida.

É possível contratar o serviço de Assistência a Menores Desacompanhados para jovens de 5 a 18 anos incompletos, sendo que para menores de 12 anos o serviço é obrigatório.

Já em voos internacionais, caso o jovem (menor de 18 anos) viaje apenas com um dos pais, com parentes de até 3 º grau ou com pessoas sem parentesco, os responsáveis devem emitir uma autorização.

Embarque e acomodação no voo

Ao viajar de avião com crianças de colo, você terá preferência no embarque, o que é positivo para acomodar as bagagens mais facilmente. No entanto, se conseguir entrar por último é melhor, pois assim você evita que os pequenos fiquem irritados antes mesmo da decolagem.

Outro ponto importante é que a maioria das aeronaves oferece berços para bebês com até 10 kg. Verifique a disponibilidade do serviço, as regras de uso, os assentos específicos e o período de reserva — normalmente, isso é feito em até 24 horas antes do embarque.

Mala de mão

Ao viajar de avião com crianças de até 23 meses é preciso organizar a mala de mão com cuidado e levar os itens necessários para qualquer imprevisto.

A dica é dividir a bagagem. Organize uma mala de bordo para seus pertences e uma mochila ou bolsa com os produtos do bebê, contendo lenços umedecidos, mudas de roupa, fraldas, trocador, mamadeiras, remédios, termômetro digital, alimentos, brinquedos, cobertor etc.

Além da bagagem de mão, você também terá direito a levar, gratuitamente, um bebê conforto ou um carrinho, que poderá ser despachado na porta da aeronave, facilitando o deslocamento dos pequenos por todo o trajeto.

Já as crianças acima de 2 anos têm direito a mala de mão e franquia de bagagens, conforme o serviço contratado.

Alimentos na bagagem de mão

A ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) esclarece que os alimentos para bebês e líquidos de dietas especiais podem ser transportados em quantidade satisfatória para o período total do voo.

O embarque com líquidos é bastante rígido em voos internacionais, a dica é levar o leite em pó em potes com as medidas exatas para a duração da viagem, ou em uma embalagem lacrada, e solicitar água mineral durante o voo para preparar as mamadeiras.

Checklist: 9 dicas para fazer o tempo voar

Agora que você já conhece os principais procedimentos para viajar de avião com crianças, continue a leitura e veja algumas dicas para tornar esse período mais agradável para os pequenos e para toda a família.

1. Opte por voos noturnos

Se o destino for distante, a melhor alternativa são os voos noturnos e, se possível, sem escalas. Assim, a chance da criança dormir em grande parte do trajeto é maior, minimizando o desconforto com a viagem.

2. Coloque alguns brinquedos na mala de mão

Livros, itens para desenho, brinquedos ou jogos eletrônicos sem som são ideias interessantes para entreter as crianças durante a viagem — e não incomodam os outros passageiros.

3. Utilize o entretenimento de bordo

Algumas companhias aéreas oferecem entretenimento de bordo, inclusive com filmes infantis. Sendo assim, ao viajar de avião com crianças, opte por empresas que ofereçam essa comodidade.

4. Vista as crianças com roupas confortáveis

Opte por vestir as crianças com peças confortáveis e que sejam fáceis de trocar. Assim, se cair algum líquido ou comida na roupa, a substituição será mais simples.

Embora as aeronaves contenham trocadores nos banheiros, a dica é trocar a fralda dos bebês um pouco antes do embarque para reduzir esse processo dentro do avião.

5. Ofereça refeições leves antes da viagem

Comidas leves são a melhor alternativa para não causar mal-estar ou enjoo durante o trajeto. Leve alimentos que as crianças gostem e com os quais estejam acostumadas, como frutas secas, biscoitos, leite em pó e outros itens que não necessitam de refrigeração.

6. Veja se há refeições especiais para crianças

Normalmente, em voos internacionais há comidas específicas para bebês e crianças. Veja se isso se aplica no seu caso e solicite a refeição especial no momento da compra da passagem ou pela central de atendimento.

7. Dê algo para a criança sugar ou mastigar durante a decolagem e o pouso

Os momentos de decolagem e pouso podem causar incômodos no ouvido devido à diferença da pressão atmosférica. Para aliviar a situação, a dica é amamentar o bebê nesse período ou dar algo para que ele possa sugar, como uma chupeta.

8. Separe os medicamentos necessários

Se seu filho faz uso de algum medicamento, separe os itens necessários e a receita médica para acomodar na mala de mão.

Outra recomendação é levar a criança ao médico alguns dias antes da viagem para se informar sobre os medicamentos de primeiros socorros mais adequados para ela, como antitérmico, antialérgico e remédio para enjoo.

9. Procure manter a calma em caso de choro

Se seu filho começar a chorar durante o voo, procure manter a calma. O nervosismo dos pais pode aumentar a irritação das crianças.

O melhor a se fazer em situações como essa é oferecer algo para comer ou um brinquedo para se distrair.

Essas são as principais dicas para viajar de avião com crianças e fazer com que o período seja agradável para todos. Depois dessa etapa, é só aproveitar o destino e os dias de lazer e descanso com a família.

Está em busca de passagens aéreas para sua próxima viagem em família? Entre em contato conosco e conheça nossas rotas.

Seja para frequentar belas praias, aproveitar os preços convidativos dos outlets ou mesmo sair da rotina em um país de primeiro mundo, viajar para Miami é sempre uma experiência inesquecível.

É possível deixar o passeio ainda mais especial, escolhendo um hotel que atenda a suas necessidades e ainda ofereça um ótimo custo-benefício. Para ajudar você a decidir onde ficar em sua próxima estadia nos Estados Unidos, apresentamos os 10 melhores hotéis em Miami na avaliação dos hóspedes. Confira!

1. Aloft Coral Gables

Esse hotel é um dos preferidos em Miami por turistas de todo o mundo. E os motivos não são poucos.

Com wi-fi gratuito em todas as dependências, o Aloft Coral Gable ainda conta com piscina, academia e lounge. Os quartos são muito elogiados pelos hóspedes e todos têm banheiro privativo, mesa de trabalho, ar-condicionado e TV.

Mas a grande vantagem do Aloft Coral Gable é a localização. Fica a apenas 500 m da Miracle Mile Miami — parada obrigatória para quem deseja fazer compras — e a 5 km do Aeroporto Internacional de Miami.

2. Homewood Suites by Hilton Miami Dolphin Mall

Quem preza por uma boa relação custo-benefício não pode deixar de considerar essa opção. Isso porque, além de alguns dos quartos terem cozinha equipada com micro-ondas e geladeira, o Homewood Suites by Hilton Miami Dolphin Mall também serve diariamente um café da manhã continental. Outras vantagens são a piscina, a academia e o minigolf.

Se a ideia é aproveitar a viagem para ir às compras, esse hotel é um dos mais indicados, uma vez que fica a 500 m do shopping Dolphin Mall, que conta com alguns dos melhores outlets da cidade. O Aeroporto Internacional de Miami, por sua vez, está a 10 km do Homewood Suites.

3. EB Hotel Miami Airport

Se a ideia é aproveitar a estadia nas terras do Tio Sam para relaxar com muito conforto, você não pode deixar de conhecer o EB Hotel Miami Airport.

A apenas 4 km do Aeroporto Internacional de Miami, esse hotel conta com amplos apartamentos com TV de tela plana, wi-fi e mesa de trabalho. Os banheiros são um dos grandes diferenciais, já que são equipados com box espaçoso e chuveiro duplo.

Os hóspedes também podem usufruir de academia 24 horas totalmente equipada, bar e piscina. Há opções de diária com café da manhã e também serviço de traslado para o aeroporto.

4. Element Miami Doral

Se a sua viagem a Miami será em família, considere fazer uma reserva no Element Miami Doral. As acomodações são equipadas com TV, wi-fi e cozinha com geladeira, micro-ondas e utensílios. O banheiro privativo dispõe de secador de cabelo.

Entre as outras vantagens desse hotel estão o serviço de lavagem a seco, a facilidade de um mercadinho e a disponibilização de bicicletas. É perfeito para quem quer aproveitar a viagem para compras, já que fica a 5 minutos de carro do Dolphin Mall e de vários outlets.

5. SpringHill Suites by Marriott Miami Doral

Quando estamos de férias, nada melhor do que experimentar novos sabores e aproveitar a gastronomia local. O SpringHill Suites by Marriott Miami Doral é muito elogiado pelos hóspedes por seu café da manhã completo, com itens frescos. Além disso, nas proximidades há várias opções de restaurantes e outros comércios, como o Dolphin Mall (a 2,8 km de distância).

As acomodações também merecem destaque, já que contam com sofá-cama, TV de tela plana e cozinha compacta, com micro-ondas e geladeira pequena. Outra vantagem é a lavanderia self-service.

6. Hampton Inn & Suites by Hilton Miami Downtown/Brickell

Essa opção é a ideal para quem quer ficar no coração de Miami e aproveitar a vida noturna. O Hampton Inn fica a 1 minuto da estação Brickell do Metromover, em área cercada de ótimos bares e restaurantes. Para repor as energias, é possível desfrutar de um café da manhã completo e gratuito.

As acomodações são confortáveis e equipadas com TV de tela plana, secador de cabelo, cofre, entre outras facilidades.

7. Hyatt Centric Brickell Miami

Se para você um hotel em Miami precisa contar com uma bela vista, o Hyatt Centric Brickell Miami pode ser exatamente o que você procura!

Localizado em uma das melhores áreas da cidade (próximo ao Bayfront Park e a 2,3 km do Porto de Miami), esse hotel oferece acomodações confortáveis e com várias facilidades, além de servir diariamente um delicioso café da manhã continental.

Para quem gosta de passeios culturais, outra vantagem é a proximidade do Adrienne Arsht Center for the Performing Arts e da Villa Vizcaya.

8. SLS LUX Brickell

Conforto, sofisticação e praticidade. Tudo isso você encontra no SLS LUX Brickell, localizado no coração da cidade — a 15 minutos a pé do Bayfront Park.

O grande diferencial desse hotel é a beleza dos jardins e da piscina, que oferecem um ambiente perfeito para renovar as energias e relaxar. As acomodações são modernas, confortáveis e, além do café da manhã, o hotel também oferece um excelente restaurante com pratos da culinária japonesa.

9. EAST, Miami

Para elevar a sua experiência na cidade a outro nível, conheça o EAST, Miami. Isso porque ele está localizado no Brickell City Center — um mall com lojas premium, restaurantes, cinema, bares, spas etc.

Além disso, o EAST conta com 4 piscinas (incluindo olímpica e de hidromassagem) e suítes modernas, com TV 50″ e varanda. No 40º está o rooftop, onde os hóspedes podem curtir as baladas apreciando a bela vista da cidade.

10. Hotel Beaux Arts

Não podíamos finalizar a nossa lista de hotéis em Miami sem citar uma opção bem perto da praia — mais precisamente a 11 minutos a pé! Além disso, o Hotel Beaux Arts conta com quartos espaçosos equipados com TV, sofá, Apple iPad e máquina de café expresso. Outro grande diferencial é o Bistro Modern, que oferece pratos da culinária francesa, e o Met Café and Bar, especializado em cozinha internacional.

Como você viu, o que não faltam são hotéis em Miami que esbanjam conforto, praticidade e ainda cabem no bolso. Então, está esperando o que para fazer a sua reserva?

E para continuar planejando cada detalhe da sua viagem, confira o nosso post sobre o que fazer em Miami Beach.

Garanta agora mesmo a sua passagem área para Miami!

São tantos tipos de mala que fica difícil definir qual é a melhor, não é mesmo? As principais diferenças estão no tamanho e nos materiais dos produtos. Mas, há ainda outros fatores que devem ser analisados para a escolha da mala perfeita!

É fundamental ter um equipamento apropriado para suas necessidades e para o porte de sua viagem. Do contrário, isso pode gerar transtornos, como dificuldades para locomoção, peso e tamanho acima do permitido, Além de confusão com a bagagem de outros passageiros, entre outros imprevistos.

Se você precisa comprar uma mala para sua viagem e está com dúvidas sobre qual modelo escolher, acompanhe o texto e veja quais critérios considerar antes de tomar sua decisão. Boa leitura!

Quais as principais diferenças das malas?

Tanto as viagens mais curtas quanto as mais longas, como férias ou destinos internacionais, precisam de uma bagagem adequada. Afinal, ela é essencial para levar os itens que você utilizará no passeio. Evite transtornos como a falta de peças de frio ou de um tênis para atividades esportivas.

Além de ficar atenta para não esquecer nada importante, é necessário investir em malas com boa estrutura. Para armazenar seus objetos pessoais de forma segura e evitar que elas quebrem durante a viagem. Veja a seguir as principais características das malas:

Tamanhos

Normalmente, as malas de viagem são classificadas em P, M ou G, mas pode haver variações na dimensão e na capacidade, de acordo com cada marca.

O tamanho da mala ideal dependerá da duração de seu passeio e da temperatura do local. Quem embarca em um feriado para destinos de praias pode adquirir uma mala menor. Já em viagens para destinos de inverno, como o Chile, é necessário investir em um produto maior para acomodar casacos e botas.

Entretanto, é preciso tomar um certo cuidado com malas muito grandes, a não ser que você realmente precise, pois elas podem ficar muito pesadas e difíceis de carregar.

Materiais

Hoje em dia, as principais malas encontradas no mercado são de tecido semiflexível ou rígidas. A grande diferença está na proteção, já que as malas tipo “caixa” asseguram maior integridade dos objetos durante o transporte das bagagens. Contudo, para ter essa vantagem é necessário escolher uma mala de boa fabricação e com material adequado.

Por outro lado, as malas de material semiflexível geralmente apresentam custo-benefício mais atrativo e se ajustam melhor aos itens que você precisará levar.

Rodas

As malas de rodinhas são as mais indicadas para as viagens de avião, pois facilitam a locomoção nos trajetos dentro do aeroporto, que geralmente são longos.

Hoje em dia, a maioria das bagagens conta com quatro rodas, permitindo o deslocamento delas em diferentes direções. Há ainda aquelas com oito rodas, o que dá mais mobilidade ao produto, sendo indicada para quem costuma viajar com malas pesadas.

Cores

Há uma diversidade de cores e estampas para as malas de viagem e a decisão varia de acordo com o perfil de cada um. A escolha de uma cor mais chamativa é positiva para identificar a mala na esteira do aeroporto e evitar confusões com a bagagem de outros passageiros. Já quem prefere cores mais sóbrias, mas deseja fugir do preto, pode apostar em azul-marinho, cinza ou marrom.

Divisórias

A divisão do compartimento interno também é um fator relevante na escolha da mala, pois permite uma melhor organização dos itens. Há produtos que apresentam bolsos para pequenos objetos, dois compartimentos separados — o que é positivo para organizar roupas e sapatos —, entre outras características. Sendo assim, avalie aquele que for mais adequado no seu caso.

Segurança

Os tipos de malas disponíveis no mercado apresentam dois modelos de segurança, com o cadeado separado ou embutido. Este garante maior segurança a sua bagagem, uma vez que o puxador do zíper é preso junto ao cadeado. Além disso, evita-se que ele seja esquecido em casa ou no hotel.

Como escolher a mala mais adequada?

A escolha da melhor mala depende do perfil de cada viajante. Há pessoas que gostam de ter todos os itens organizados. Nesses casos, a mala com mais divisórias será uma boa alternativa. Para quem utilizará a mala para viagens de negócio, a melhor opção talvez sejam os produtos com tons mais sóbrios. Já as malas rígidas podem ser úteis para quem gosta de trazer lembrancinhas da viagem — como alguns presentes são mais frágeis, esse tipo de mala apresenta mais utilidade.

Dessa forma, analise seu perfil e os fatores que listamos acima antes de escolher sua bagagem. Para quem viaja com frequência, uma boa sugestão é investir em kits de mala, assim você terá tamanhos adequados para cada estilo de viagem.

Qual mala levar dentro da cabine?

Além da bagagem despachada (quando a passagem incluir franquia para esse serviço), os viajantes podem levar uma mala de mão dentro da cabine e é comum haver dúvidas quanto ao tamanho dela.

O peso máximo é de 10 kg e a mala não pode ter mais que 115 cm, considerando a soma de comprimento, altura e largura. Essas especificações são importantes para que a bagagem caiba no compartimento do avião. Se esse limite for ultrapassado, a companhia aérea poderá solicitar que ela seja despachada.

O que levar na mala de mão

A mala de mão é um item imprescindível para todo viajante e quem não for despachar a bagagem precisa organizar todos os itens da viagem dentro dos limites de peso e dimensão.

Para otimizar o espaço, a dica é dar preferência aos produtos de higiene em tamanhos menores ou utilizar embalagens específicas para viagem. A escolha das roupas e sapatos também deve ser feita com atenção para garantir que você tenha uma quantidade adequada para os dias de passeio e com diferentes possibilidades de combinação.

Se você for despachar sua bagagem, a recomendação é levar na mala de mão itens que você poderá precisar dentro da aeronave, como uma blusa de frio e produtos de higiene pessoal, além de documentos e eletrônicos.

Outro ponto fundamental é verificar as regras quantos aos produtos proibidos dentro do avião: objetos pontiagudos, armas de fogos e substâncias inflamáveis não são permitidas. Além disso, não se esqueça de conferir os limites e regras para o embarque com líquidos.

Como você viu, existem diversas características que devem ser analisadas antes de escolher um produto para armazenar seus pertences. Agora que você já sabe quais são os principais tipos de mala, poderá escolher e organizar sua bagagem com mais facilidade!

Além de escolher as malas, quem vai viajar com animal de estimação também precisa de um compartimento adequado para levá-lo. Veja nosso próximo artigo e saiba quais os procedimentos para o transporte de pets!

 

A Baixa Temporada é a época do ano em que um destino é menos procurado pelos viajantes. O período é perfeito para quem quer aproveitar melhor o lugar visitado e economizar na viagem. Confira as vantagens de viajar na baixa temporada:

#1 Passagens aéreas em promoção

As companhias aéreas costumam realizar grandes saldões de passagens aéreas para a Baixa Temporada. Com exceção dos feriados, esse é geralmente o período de embarque determinado nas tarifas promocionais. Ideal para quem está “paquerando” aquele destino mais distante.

#2 Lugares mais vazios

Se você não gosta de pegar filas gigantes em atrações turísticas, disputar espaço na praia, não tem paciência de esperar para conseguir uma mesa no restaurante e prefere conviver mais com os moradores locais do que com outros turistas, essa é a época perfeita para você viajar!

#3 Fotos melhores

As fotografias ficam bem melhores quando não tem um monte de pessoas disputando espaço com os monumentos, as paisagens ou os edifícios. Será mais fácil conseguir capturar as imagens desejadas e achar o melhor ângulo para o clique.

#4 Refeições mais baratas

Os preços das comidas e bebidas geralmente aumentam na Alta Temporada. Sendo assim, na Baixa, é possível gastar menos nas refeições, comer nos restaurantes mais disputados e economizar nesse que é um dos maiores gastos de uma viagem.

#5 Economia na hospedagem

Hotéis, pousadas, aluguel de casas e até hostel ficam mais baratos na Baixa Temporada. O preço das diárias podem cair até 50% em comparação à época de grande procura por hospedagem.

#6 Queda no preço dos passeios

Os passeios turísticos ficam bem mais baratos quando a procura não é tão grande. Sem contar que é possível fazer melhores negociações de preço. Ideal para quem quer conhecer mais lugares, gastando menos.

Quando é a Baixa Temporada?

No Brasil, a Baixa Temporada acontece nos meses de março, abril, maio, agosto, setembro, outubro e novembro. Já a Alta Temporada ocorre nos meses de férias escolares: dezembro, janeiro, fevereiro, junho e julho.

 

Para onde viajar na Baixa Temporada?

Veja alguns exemplos de destinos que valem a pena ser visitados na Baixa Temporada: Porto de Galinhas, Maceió, Natal, Bonito, Serra Gaúcha, Fortaleza, Foz do Iguaçu, Balneário Camboriú, Caldas Novas, Campos do Jordão, Minas Gerais e Santiago.

Aproveite as ofertas de passagem aérea para Baixa Temporada!

Escolha o seu próximo destino!

Dicas para agilizar o embarque

Férias escolares, datas festivas, feriados, eventos locais e datas especiais fazem com que os aeroportos recebam um fluxo de passageiros maior do que o do dia a dia. Por isso, reunimos algumas dicas para agilizar o check-in e o embarque de passageiros na alta temporada. Confira!

Recomendações para agilizar o embarque:

  1. Revise todos os dados do seu bilhete, veja se eles estão corretos e atente-se aos horários e aos terminais de embarque e desembarque.
  2. Faça o check-in antecipado pela internet ou pelo aplicativo da companhia aérea.
  3. Organize a sua bagagem, confira se está levando os itens permitidos e dentro da franquia de bagagem determinada pela empresa para a rota comprada.
  4. Se necessário, contrate antecipadamente o excesso de bagagem.
  5. Verifique e separe os documentos necessários para o embarque.
  6. Chegue com antecedência ao aeroporto.
  7. Nos aeroportos, utilize preferencialmente os totens de atendimento para fazer o check-in (caso não tenha feito online).
  8. Fique atendo aos dados do cartão de embarque e dos painéis de informações para o caso de possíveis mudanças no voo ou no número do portão de embarque.
  9. Acesse a área de embarque com antecedência.
  10. Retire antecipadamente os acessórios que precisam passar na esteira no momento do raio-x, como: cintos, pulseiras e chaves ou outros objetos que podem interferir no detector de metais. Separe o notebook.
  11. Atente para o seu grupo de embarque nas filas de embarque.
  12. Esteja com os documentos para o embarque em mãos.
  13. Se precisar, peça ajuda aos comissários de bordo para localizar o seu assento.

Depois é só curtir a viagem!

Faça seu check-in online na Avianca Brasil!

Confira as dicas para arrumar a mala de viagem!

Saiba o que permitido e o que proibido na bagagem de mão!

Como é feito o transporte de pets na Avianca Brasil

Dúvida muito comum para quem tem um pet é se ele pode viajar na cabine com o dono durante o voo. Pode sim!

Mas existem alguns procedimentos que devem ser feitos antes para que a viagem dele e dos outros passageiros seja segura.

Confira:

Transporte de pets

🐕🐇 Idade:

  • Filhotes com mais de 8 semanas
  • Menos de 12 semanas só com certificado veterinário

 

🐶🐱 Fêmeas grávidas, no cio ou amamentando:

  • Até 63 dias de gestação e com certificado veterinário
  • Não transportamos animais no cio ou amamentando

 

⏹🐩 Transportar no Pet Contêiner que deve:

  • Ser de plástico rígido ou tecido resistente
  • Ser totalmente fechada e com ventilação
  • Ter beiradas arredondadas
  • Permitir que o animal se movimente
  • Ser limpa e à prova de vazamentos
  • Tamanho:
Altura – 25 centímetros
Largura – 26 centímetros
Comprimento – 40 centímetros
  • O peso do animal + contêiner deve ser de até 10kg

 

📄📑 Documentos:

  • Certificado de vacinação (> de 3 meses de idade) com:

– nome do laboratório produtor,

– tipo de vacina

– número de vacina/ampola utilizado

  • Atestado sanitário emitido pelo veterinário (validade de 10 dias da data de emissão)

 

🐺😎 Cão-guia:

  • É transportado gratuitamente na cabine, no chão da aeronave, perto do dono
  • O cão deve viajar com coleira e sob controle do dono
  • Apresentar a mesma documentação pedida para transporte de animais

Para mais informações, consulte-nos através da Central de Vendas nos telefones 4004-4040 (principais capitais) e 0300-789-8160 (demais localidades).

Dicas de ViagemPreparativos

Como organizar a mala de viagem?

29 de setembro de 2016 1 Comentário

Viagem planejada, passagens compradas, hotel reservado. Chega a hora de fazer a mala e… por onde começar? Como organizar a mala de viagem?

como_arrumar-a-mala

Arrumar a mala nem sempre é sinal de facilidade. Momento incerto para muitos, resulta na maioria da vezes em roupas amassadas e objetos desnecessários na bagagem.

Com a ajuda das meninas do Bem Disposto, montamos um passo a passo perfeito para você não se perder mais quando for fazer as malas e deixar tudo bem organizado e sem apertos.

Veja nossas dicas:

1- Primeiro passo é começar a preparar a mala de viagem com alguns dias de antecedência, assim é possível revisar o conteúdo que será levado, tanto na mala maior como na de mão.

2- Considere o tempo que vai ficar fora, clima e tipo de viagem (negócios, aventura, praia, montanha…). Separe peças básicas que podem ser combinadas várias vezes, assim não precisa levar o armário inteiro no passeio.

3- Itens pesados ficam no fundo da mala, perto das rodinhas, assim não amassam o resto das roupas.

4- Forre as laterais da mala com os sapatos guardados em saquinhos.

Como organizar a mala de viagem

5- Itens pesados como a necessaire (não esqueça do kit de primeiros socorros também) e o secador de cabelo devem ser colocados no fundo da mala.Como organizar a mala de viagem

6- Por cima dos itens pesados coloque as calças com as pernas esticadas para fora.

Como organizar a mala de viagem

7- Em caso de frio, dispor os casacos volumosos guardados em sacos à vácuo. Estes produtos também podem ser usados para guardar as roupas sujas no fim da viagem.

8- Inclua as jaquetas, casaquinhos, blusas, camisetas, saias, vestidos, shorts e pijamas.

9- Peças íntimas, meias e cintos podem ser distribuídos nos vãos entre as roupas ou guardados em saquinhos caso a mala esteja mais vazia.

Como organizar a mala de viagem

10- Dobre as pernas das calças e em cima delas coloque as roupas delicadas.

11- Pronto! Agora não se esqueça de identificar suas malas e, na bolsa de mão, tenha uma troca de roupa, passagem e documentos.

Tenha uma boa viagem! 🙂

 

Gostou? Quais dicas você gostaria de ver aqui no Blog da Avianca? Deixe nos comentários!