Tag

Dicas André Fran

capa_1_andrefran

 

A melhor maneira de conhecer um país a fundo é interagir com os locais. Em tempos antigos, isso era quase que uma parte intrínseca do ato de viajar. Você invariavelmente tinha que pedir informações, direções, tinha que conhecer pessoas da área para saber os melhores detalhes de seus roteiros, muitas vezes entrava em contato com um guia para apresentar um roteiro especial… Mas, com o advento da tecnologia, especialmente da internet móvel, todas essas necessidades e funções começaram a caber na palma da mão. Mapas, roteiros, dicas locais, informações de trânsito, moeda, idioma… Tudo isso estava disponível através de apps nativos de qualquer aparelho ou gratuitos e a distância de um clique.

Hoje em dia você pode comprar sua passagem, reservar o hotel, criar um mapa de atividades, calcular o troco, traduzir placas.. tudo isso de forma quase instantânea com seu aparelho celular pessoal. A praticidade foi ganhando lugar da interação pessoal tão importante e necessária. Uma viagem de mochilão em que você não precisa falar com ninguém, um jantar romântico em que o casal não tira os olhos de suas telinhas iluminadas, um roteiro dos sonhos registrado em muitas fotos no Instagram e poucas memórias de verdade. Mas eis que, para nossa surpresa, a própria tecnologia começa a tentar buscar a solução para essa questão.

Alguns sites e apps estão sendo criados para promover essa interação pessoal que tanto faz falta no mundo acelerado, otimizado, prático e insensível de hoje.

Swap and Surf- troca de casas no estilo airbnb só que entre surfistas. A ideia é não só ter um local para ficar em sua viagem mas também contra com um amigo para lhe apresentar os melhores picos para pegar onda no local.

EatWith- sensacional ideia onde em vez de ir comer em um restaurante tradicional, você pode escolher jantar na casa de um chef local, cozinhando em sua própria cozinha e apresentando alguns dos menus típicos de sua cidade.

Spinlister quer fazer trekking, andar de bicicleta, fazer snowboard? Alugue o equipamento direto de um local que vai poder te dar dicas, orientar detalhes do que você vai usar e mostrar onde e como melhor fazer uso desses.

Meet2Talk- pratique uma língua estrangeira conversando com um local sobre os seus interesses reais. Você seleciona no site o país, seu estilo, temas favoritos, assuntos que gosta de debater e encontra alguém com essas características e fluente no idioma que você quer aprender.

A tecnologia, as redes sociais, os aplicativos e sites são ferramentas, quem escolhe se isolar ou interagir é você. Faça o esforço, sobretudo em viagens, vale muito a pena. Sempre!

Relatos

Resoluções de Viagem para 2015

8 de janeiro de 2015 1 Comentário

tuvalu

Destinos, roteiros, experiências, dicas… Em vez de separar e listar cada uma dessas resolvi juntar tudo em um Top 5 imperdível. Um apanhado de coisas daquele tipo que você sempre olha e pensa: “Um dia ainda vou fazer isso…”. Só que a vida é agora! Você prefere olhar pro seu feed do Instagram daqui a alguns anos e relembrar momentos incríveis ou ficar imaginando o que poderia ter sido? Prefere ficar na segurança do Netflix em casa ou arriscar voar em busca daquele lugar mágico que salvou no seu board “Travel” do Pinterest?  Seguem então uma lista para você olhar e decidir: desse ano não passa! E viajar em busca de seus sonhos.

 

  • Praia Paradisíaca: não pode faltar na lista. Bora-Bora, resorts caríssimo nas Maldivas que valem cada centavo (de dólar), aquele passeio de barco pelo chique e belíssimo Mar Adriático não precisa ser só de jet-setters europeus e do Galvão Bueno, go for it! Ou então busque areias brancas e mar azul mais exclusivos, rústicos e distantes como a pequena e encantadora Tuvalu no Sul do Pacífico.

 

  • Natureza: cenários e visuais incríveis não se limitam às praias, e até tem quem prefira o campo. Que tal ignorar a distância, tempo de voo e orçamento e finalmente reservar um tempo na agenda para conhecer a Nova Zelândia, por exemplo? Montanhas incríveis, verde sem fim, passeios, trilhas e escaladas em cenários dignos de “Senhor dos Anéis”.

 

  • Eventos raros: esse ano eu tive a felicidade de testemunhar dois dos mais raros eventos da natureza: uma aurora boreal e uma erupção vulcânica. No mesmo dia! Viu? Não é tão difícil. Basta que você escolha a época certa e esteja disposto a conhecer um destino incrível, maravilhoso e meio fora dos roteiros tradicionais, como a Islândia no Inverno.

vulcao

  • Cenário de filme: porque em vez de selecionar seu destino em revistas de turismo, sites de viagem ou blogs de amigos você não tenta algo inovador. Lembra aquele filme que te encantou mais pelos cenários do que pelo roteiro, trilha sonora ou atuações? Busque reviver as cenas que te impressionaram ao vivo. A dois, melhor ainda!

 

  • On the road: nada melhor para se sentir um autentico viajante do que encorar a estrada. Alugue um carro… Ou, melhor ainda: uma motor home e escolha um roteiro que tenha várias paradas interessantes mas que também permita que a estrada em si seja parte da atração. Rota 66 nos EUA, Provence na França, Toscana na Itália…. Todas essas opções farão com que você se sinta descobrindo um território novo por si mesmo.
DestinosInternacionais

Irã

21 de agosto de 2014 0 comentário

ira2

Depois de fazer roteiros sobre o Campeão da Copa do Mundo de Futebol (Munique, na Alemanha), de listra meus programas alternativos favoritos de nossa vizinha Argentina (Buenos Aires) e de voltar ao meu país realizando um outro sobre a cidade de Salvador, Bahia, percebi que era hora de radicalizar. Ninguém espera de um “viajante radical” roteiros tradicionais ou caretas, e acho que quanto a isso eu estava cumprindo bem meu papel. Apesar dos destinos não serem assustadores ou impressionantes, fiz questão de manter a originalidade nas sugestões . Pontos turísticos e atrações manjadas não entram nas minhas colunas. Mas estava sentindo falta de apresentar um roteiro totalmente inovador ao meu querido leitor. Então, se você também estava esperando por isso prepare-se, vem aí: um roteiro para o Irã.

 

Confesso que antes de conhecer o lugar a minha imaginação flertava com termos como terroristas, fundamentalistas, extremistas… Mas, depois de conhecer a fundo a capital e rodar bastante pelo país, me sinto totalmente a vontade para inclui-lo entre meus roteiros recomendados. A pérsia (eles fazem questão de frisar que não são árabes e que inclusive sua língua principal é o farsi) tem uma variedade intensa de atrações e é um oásis no deserto para quem curte culturas diferentes e história. E o povo iraniano talvez seja um dos mais hospitaleiros que já conheci! Um passeio incrível e porta de entrada perfeita para um delicioso, diferente e encantador mundo.

ira3

Teerã– ponto inicial de sua viagem. O trânsito é intenso e a cidade é meio caótica, mas é o ponto de partida ideal para se acostumar com as diferenças culturais. Sobretudo para as mulheres. Para os homens, não é legal andar de bermuda ou camisa de manga curta. Mulheres: roupas compridas também e um lenço cobrindo a cabeça (não é necessária a burka, como muitas podem pensar). O grande bazar é um mercado oriental incrível com tapetes persas clássicos a preço de banana! A simpatia dos vendedores um caso a parte (você vai ser convidados para vários tchais). Outro ponto de interesse é a antiga embaixada americana protagonista do sequestro aos embaixadores, hoje cheia de pichações anti-EUA.  A Azadi Tower, ou Torre da Liberdade, é um dos marcos principais do inicio da cidade. Muito interessante!

 

Persepolis– era a capital do império Persa. Hoje, um amontoado de ruínas muito bem conservadas dá a dimensão do tamanho do lugar! Patrimonio da Humanidade dos mais fantásticos que já conheci. É de encher os olhos de quem ama história. Imperdível!

 

Shiraz– a cidade dos poetas tem como destaque justamente o túmulo de Hafez.

 

Isfahan- uma viagem no tempo. A praça grandiosa Imã Khomeini com seus jardins vastos situados entre mesquitas e palácios é arrebatadora!

 

Yazd- é a cidade oásis. Toda cor de barro no meio do deserto. O lema é: “se perca em Yazd”. O que não é difícil de acontecer passeando por suas pequenas ruas e vielas.