Tag

História

Relatos

We Love – Gisele Conceição

9 de agosto de 2014 2 Comentários

045 (1)

Me lembro muito bem, 21 de dezembro de 2011, estava trabalhando e o telefone toca.
Era a ligação que eu estava esperando, que ia mudar a minha vida.

Tenho uma doença rara, chamada Mucopolissacaridose – falta da proteína Enzima no organismo – E por conta dela, preciso de alguns tratamentos especiais.

Do outro lado da linha estavam médicos e pesquisadores da minha doença. Eles me disseram que a partir de fevereiro do próximo ano, eu deveria morar em Porto Alegre para começar um tratamento experimental.

Eu moro em Florianópolis e desde que eu desliguei o telefone, comecei a pensar na minha vida longe da minha família e dos meus amigos.

Eu nunca tinha andado de avião, pensava que era coisa de gente rica e fina, além disso, tinha muito medo de voar. Esse medo me fez morar durante 1 ano em Porto Alegre, longe das pessoas que eu mais amo.

Foi ai, em fevereiro de 2013, que eu conheci a Avianca! Percebi que tinha perdido a oportunidade de continuar morando perto da minha família e amigos, e decidi que a partir daquele momento ia começar a ir e voltar de Porto Alegre sempre que precisasse, mas moraria em Florianópolis.

Viajo semanalmente a Porto Alegre e hoje posso dizer que fui adotada pelos excelentes profissionais que viajam comigo, desde os comandantes, os comissários, amigos do check-in até a turma que despacha a minha mala. Me sinto verdadeiramente dentro de uma família.

Afinal, foi graças a esse carinho e atenção que eu recebo desde a minha primeira viagem, que eu não vou para Porto Alegre sem a Avianca!

Poderia citar o nome de alguns desses meus amigos, mas não vou fazer isso, pois são muitos
e não quero me esquecer de ninguém.

Hoje em dia eu me considero uma pessoa muito feliz, e tenho o avião como a minha segunda casa!

É difícil falar da Avianca sem me emocionar, afinal foi graças a ela que consegui me manter mais próximo da minha família, e foi nela que eu descobri pessoas incríveis que me ajudam e me tratam com todo carinho.

Agradeço por todo cuidado e atenção de vocês, e pela oportunidade de contar a minha historia de vida e o amor a essa grande Empresa.

 

Atenciosamente,

 

Gisele Conceição

 

Relatos

We Love – Roseli Lopes

17 de fevereiro de 2014 1 Comentário

We Love

Adoro o nordeste. Há pouco tempo tive o prazer de conhecer Salvador e seu povo adorável, bem como a Praia do Forte, o Projeto Tamar e Morro de São Paulo, que são como um presente de Deus. Realizei também um sonho antigo que era andar pelo Pelourinho e visitar a Igreja do Senhor do Bonfim. Na minha opinião, todo bom passeio começa quando escolhemos a companhia de viagem. E nada melhor que sair de casa para viajar, a trabalho ou passeio, com a certeza de um atendimento  de primeira que a Avianca sempre nos presta.

We Love2

Minha sogra mora em Natal, cidade especial, onde sempre que posso vou respirar aquele ar saudável e me deleitar nas suas praias maravilhosas.  Em nossas idas e vindas para lá,  ou quando providenciamos passagens para minha sogra vir nos visitar, sempre escolhemos a  Avianca. Afinal, queremos sempre o melhor para quem amamos.

Tenho um projeto antigo e que acredito ser o sonho de muitos: conhecer todos os cantinhos do nosso Brasil. Nesse projeto uma coisa é certa: irei bem acompanhada pelo marido e  pela Avianca, que fará parte de mais esse momento especial em nossas vidas.

Minha história com a cia vai além das cidades do Brasil que pude conhecer nas viagens que já fiz.  Com a Avianca também pude viajar sem sair do chão. E a última delas vou contar agora: sou apaixonada por teatro, especialmente pelos musicais. Viajei longe com as emoções que vivi assistindo ao maravilhoso espetáculo “Crazy For You” como convidada da Avianca. A peça estreou em Dezembro em São Paulo e tem no elenco Claudia Raia, Jarbas Homem de Mello e muitos outros atores queridos que, sempre que posso, faço questão de prestigiar nos palcos paulistanos. Fico muito feliz em saber que, assim como eu, a Avianca também aposta na cultura do nosso País. E ela vai além, apoiando essas montagens para que possam chegar até todos nós.

We Love 3

Obrigada Avianca por me proporcionar mais esse prazer. Desejo imensamente que esse apoio continue e seja duradouro porque um país com cultura é um país próspero e feliz.

 

 

Roseli Lopes

Relatos

We love – José Antonio

19 de novembro de 2013 1 Comentário
Capa We Love
Quero dividir com vocês as férias que tive com a minha família, e claro que foi com a Avianca!
Embarcamos de Chapecó para Natal e tivemos muitos momentos prazerosos e marcantes. Foi a primeira viagem de avião meu filho, e fiquei impressionado com o atendimento que tivemos desde o check-in até a nossa chegada em Natal. A tripulação do A318, avião que voamos de Chapecó à Brasília, fez todos a bordo se sentirem em casa. Foram todos muito simpáticos e prestativos. O serviço de bordo também estava excelente, meu filho adorou os lanches, mas o melhor de tudo foi poder contar com o entretenimento de bordo. Nesse voo estava sendo exibido o filme Monstros S/A 2. Com os fones de ouvido, o meu pequeno esqueceu que estava em uma aeronave e viajou, literalmente,  no filme, um dos seus favoritos! Chegando em Brasília, nós trocamos de aeronave. Dessa vez viajamos em um A319, que é um pouco maior do que o A318. Meu filho aproveitou ainda mais a viagem e as telas individuais que esse avião oferece. Eram tantos jogos e desenhos que ele nem viu o tempo passar.
Chegando em Natal, fizemos vários passeios turísticos, passeamos de buggy, curtimos as praias e nos divertimos muito! Deem uma olhada nas fotos que tiramos:
Recomendo a todos irem conhecer as belezas desse lugar!
Depois de muitas aventuras em Natal, chegou a hora de voltar para casa, e claro que a Avianca estava lá de asas abertas para nos levar de volta!
Muito obrigado
José Levandoski
Relatos

TOP 3 às avessas

14 de novembro de 2013 0 comentário

AAAAAAAAAF

O pessoal curte uma lista, né? Os melhores passeios, os melhores restaurantes, as melhores dicas,… Mas, nem sempre, o que marca uma viagem são as vitórias. Muitas vezes o perrengue, a tensão,  a ansiedade são apenas o impulso necessário para a realização e a autodescoberta. Momentos intensos geralmente são excelentes catalisadores de emoções capazes de transformar o ser humano em sua essência. Aquelas tais experiências transformadoras. E estas são muito mais comuns quando você está ajudando a resgatar baleias no meio do Oceano Atlântico do que passeando em um shopping de New Jersey.

 

Por realizar um tipo bastante incomum de viagens, resolvi listra aqui algum desses “Top” momentos. Uma lista as avessas onde nem sempre o pior é o melhor. E vice-versa.

 

3- Manifestação do COP15: Quando iria imaginar que, cobrindo uma conferência da ONU sobre aquecimento global, na fria e pacata Dinamarca, iria tomar um sufoco? A passeata que levantava bandeiras das mais interessantes e positivas iniciativas sustentáveis transcorria tranquila. Crianças, idosos, carros de som, cartazes e fantasias faziam a coisa parecer mais uma rave do que uma manifestação. Até que um grupo de anarco-punks criados a leite ninho resolveu fazer arruaça e sair em fileira desembestada empurrando todos que viam pela frente. Ao avistarem nossas câmeras deram logo um tapão. Motivo? Objetivo? Vai saber…

AAAAAAAAAAAAAF 2

2- Protesto na Palestina: Viajando por uma terra onde os termos jihad, intifada, são parte do cotidiano, nada mais justo do que conhecer um dos aspectos mais arraigados dessa cultura do que fazendo parte de uma manifestação de palestinos marchando para demonstrar sua insatisfação com o que eles consideram a ocupação de sua terá pelo exército israelense. Tudo ia bem até que atira-se uma pedra daqui, dispara-se uma bomba de lacrimogênio de lá e, quando menos espero, me vejo correndo por um barranco envolto em uma nuvem tóxica. Saldo final, o alívio de escapar ileso e o aprendizado de testemunhar em primeira mão o quanto a falta de diálogo pode ser nociva a qualquer lado de qualquer causa.

aaaaaaaf

1- Bagdá, Iraque: Fui conhecer o Iraque em um momento em que, após a invasão das tropas da coalizão para depor Sadam Hussein, a propaganda oficial estadunidense era de que o país voltava a se normalizar e que, pouco a pouco, o turismo podia voltar a ser parte do cotidiano e do processo de reconstrução iraquianos. Fomos ver para crer e dar nossa humilde colaboração e posso dizer. Nos vimos em um cenário de filme de guerra! Bombas, check-points, violência e insegurança por toda a parte. Um povo triste e escondido em suas casas. Seja na foto do sanduíche do cardápio da lanchonete que é sempre mais bonito que a versão real, ou no Iraque: nunca acredite em propaganda.

 

André Fran é um dos apresentadores do programa “Não Conta lá em Casa” cuja temporada em Israel e Palestina vai ao ar toda 5a feira às 21h30 no canal Multishow.

Relatos

We Love – Dona Maria

25 de setembro de 2013 3 Comentários

we love 6

Desde criança, e olha que minha infância já vai longe, lá em Agudos do Sul (interior do Paraná), eu olhava para o céu, via aquele enorme risco branco nas nuvens e meu avô dizia; olha o avião!!!!!!!!!!  Corríamos todas as crianças para ver o avião. Mesmo que fosse só risco no céu, era um avião.

Minha filha mais nova, Maria Carolina, hoje com 20 anos deu nome para esse risco branco deixado no céu pelo avião, quando tinha 3 anos mais ou menos, isso em 1996, olhou para o céu e gritou: – Mãe,olha o lapizão!!!!!! E de lá para cá, cada vez que vejo um avião deixando seu rastro já grito, mesmo que para mim mesma “olha o lapizão!”. Diga-se lá de passagem, sou apaixonada por voar, ainda mais quando descobri a Avianca.

Mas voltando à minha infância, ver um avião no céu era muito raro acontecer e só fui entender depois de grande que ali não era rota de aviões e se passassem, era muito alto, além dos nossos pequeninos olhos.

Mas como o tempo passa e ainda bem que passa, porque assim como as coisas boas ficam para trás assim as ruins também, as fases passam, cresci, mudei pra cidade grande, estudei muito, aprendi pouco, porque, por mais que se passe uma vida inteira estudando ainda assim, se sabe muito pouco.

Mas, graças ao bom DEUS consegui embarcar num avião… E que avião!

O tempo passou, foram muitas idas e vindas e meu desejo mesmo, era levar minha mãe pra voar junto. Esse assunto era divertido quando eu contava das minhas viagens, e só isso bastava para vir aquele “DEUS me livre”. Este ano dona Maria Leocádia fez 78 anos.

Foi muito difícil conseguir convencê-la, pois o medo do desconhecido e o medo das alturas eram maiores. Mas de tanto eu falar de avião, falar de Salvador (adoro Salvador), ela tomou coragem e em julho de 2012 quando eu voltei de férias com minha filha Maria Carolina ela falou: Bem que eu poderia ter ido junto! E de imediato já respondi: Não seja esse o problema mãe. Vou de novo a Salvador! Finalmente ela decidiu e mesmo sem dinheiro, consegui marcar as passagens porque a AVIANCA opera com cartões a perder de vista, é uma maravilha. Marquei para setembro. E lá fomos nós.

Começaram os preparativos e ela preocupada com a viagem. De julho a setembro todas as vezes que eu ligava pra ela o assunto era a viagem e ela me dizia: – Tenho perdido o sono por causa disso, pensando nessa viagem!

Eu sabia que esse pensar na viagem não era imaginando os passeios, os lugares diferentes, as novidades, mas sim o medo do avião.

Os dias se aproximando e a ansiedade aumentando. Confesso que algumas vezes fiquei preocupada, achando que ela poderia passar mal ou algo assim… Bobagem se saiu melhor do que eu.

Na semana anterior à partida, desci a serra e fui busca-la no litoral onde ela mora, a 100 km de Curitiba.

O horário do voo era 08:30 e o aeroporto fica a 15 minutos da minha casa mas, 5 horas da manhã eu já podia ouvir o caminhar dela dentro de casa. Levantei às 6 horas e ela já estava no banheiro, arrumada.

Não quis nem tomar café antes de ir para o aeroporto. Disse que comeria no avião aquele sanduíche gostoso que eu falava tanto.

Fomos então para o aeroporto. Fiquei admirada com a confiança que ela estava, afinal, esteve tão ansiosa por quase dois meses.

Fizemos o check-in, despachamos as bolsas, nos despedimos da Marina, Artur e Maria Carolina que foram nos levar e adentramos o corredor de embarque.

As crianças ficaram longe olhando para a avó e ansiosos também.

Dona Maria parecia muito íntima daqueles corredores do aeroporto, caminhava rápido, desembaraçada pelo tubo que leva ao avião, como diz ela.

Ela subiu antes as escadas com todo o carinho e atenção dispensado pelos colaboradores da Avianca.

Nos instalamos na nossa poltrona do MK 28, no fundo da aeronave porque eu gosto de viajar na traseira. Ela estava atenta a tudo, mas não deixava transparecer a ansiedade. De imediato procurou o cinto de segurança, a ajudei a colocar e observava tudo como criança.

As pessoas foram subindo e se acomodando em seus lugares e finalmente estava pronta a partida. No momento da decolagem ela ficou apreensiva com os ruídos os movimentos, mas aos poucos fui explicando e ficou tudo bem.

Após atingir altura, o som da campainha tocou e uma moça da poltrona da frente levantou.

Mãe então falou alto, e todos que estavam próximos puderam ouvir: – Mas nem bem embarcou e já vai descer? E virou tudo risada. No momento que a campainha da aeronave soou, que alguém solicitou a comissária, minha mãe achou que era como no ônibus circular, onde os passageiros que querem descer acionam uma campainha e o coletivo para no ponto. Depois mais tarde ela me disse que estava tão ansiosa que nem tinha se dado conta que estava nas alturas.

Tomou o lanche, comeu o sanduíche dela e o meu também, tomou suco, café, tudo que tinha, ela experimentou. Depois perguntou: – Onde que paga isso, é lá quando descer? E eu respondi: Não mãe, na Avianca a gente não paga o lanche, é cortesia.

E ela achou tudo muito chique.

Viajamos em torno de 1h40 minutos até Brasília e desembarcamos para troca de aeronave. Mais uma vez fiquei agradecida ao pessoal da Avianca que foram muito atenciosos com ela em especial, porque são sempre atenciosos com todos, mas aquele dia era um dia diferente, pois era a primeira viagem de minha mãe.

Em Brasília saímos do aeroporto, respirar um pouco o ar de Brasília como disse ela.

Já logo voltamos e embarcamos na aeronave maior. A318 se não me engano. Que AVIÃO!!

Em pouco tempo estávamos desembarcando em Salvador.

Passeamos no Bonfim, no Pelourinho, aliás eu gosto de ficar hospedada no Pelourinho quando vou a Salvador. As praias maravilhosas, Elevador Lacerda, tantas maravilhas e o povo é muito acolhedor.

Mamãe adorou tudo, mas tínhamos que voltar porque eu tinha que trabalhar. Assim voltamos para ao aeroporto depois de 4 dias. Embarcando no A318 ela me disse que preferia o pequeno porque o grande era muito grande. Nos acomodamos na penúltima poltrona e ela já parecia familiarizada com tudo. Depois da decolagem ele começou a comentar que meu Irmão tinha que fazer uma viagem e parece que ia de carro, só de medo de voar. Dai eu falei para ela; “AH mãe, vamos fazer um vídeo então daqui de dentro do avião e a senhora conta pra ele como é gostoso voar”. E assim, depois de tantas fotos fizemos um videozinho dentro da aeronave onde ela conta como gostou de voar pela AVIANCA.

Graças a esse vídeo meu irmão finalmente decidiu voar também.

Em Brasília embarcamos no MK 28 e como eu não tinha marcado as poltronas foi nos dado a poltrona que tem a saída de emergência. Maior espaço e tudo mais, mas eu já imaginei que iriam nos trocar os assentos devido a idade dela e a impossibilidade de operar a saída de emergência caso necessário.

Novamente virou em risadas quando, a comissária solicitou que trocássemos de lugar com o casal do assento da frente e ela agarrou à porta e disse que estava tão bom ali e brincando disse que não iria sair. Tirei até foto desse momento. Aliás, a viagem toda foi motivo de tantas fotos e satisfação.

Hoje, aquele termo “Deus me livre” transformou-se em “Vamos com Deus” e “obrigada meu Deus por mais essa viagem maravilhosa”.

Fizemos uma ótima viagem tanto de ida como de volta e de lá pra cá Dona Maria não parou mais de voar. Fomos para outros lugares maravilhosos, mas essa viagem ficou marcada como a Especial. Agradeço a Avianca e todos os colaboradores, pelo respeito com os usuários e em especial com os idosos como a minha mãe e pela atenção dispensada.

 

Maria do Rocio de Cristo

 

Nós que agradecemos “Marias”!! Estamos muito felizes em fazer parte desse momento tão especial.

Relatos

We Love – Adriana de Melo Rocha

2 de setembro de 2013 0 comentário

z4

 

Oi, Avianca…

 

Voar com vocês foi um momento especial.

Minha viagem foi completa com esse atendimento de qualidade. Fiz o trecho Rio de Janeiro – Brasília.

Não escondo que já viajei em quase todas as empresas aéreas e não imaginei que a Avianca fosse tão especial.

Além do preço bem em conta, tive uma viagem super tranquila onde a pontualidade foi presença marcante, juntamente com o ótimo atendimento dos funcionários.

Confirmo também o conforto regado a lanche super gostoso e filme muito interessante (sou cinéfila e me distraí com essa oferta).

Espero que esta empresa continue fortalecendo e estreitando os laços com seus clientes, onde todos têm a ganhar.

E posso dizer sem medo: Quando viajar quero dar preferência para essa empresa.

Sou agora mais do que uma cliente, sou uma fã.

 

Abraço!

 

z6

 

Adriana de Melo Rocha

 

Muito obrigado pela sua história Adriana! esperamos encontrá-la sempre a bordo de nossos aviões.

Mande você também a sua história para marketing@avianca.com.br, quem sabe a sua história não aparece por aqui!

Relatos

We Love – Catharina e Isabel

15 de julho de 2013 9 Comentários

We Love - Catharina 3

 

“Três meses e três dias de vida. Muito jovem para muita coisa, mas idade suficiente para voar! Foi o primeiro vôo da nossa filha, Isabel, e escolhemos voar com a Avianca por ser uma empresa que preza pelos detalhes, é confortável acima da média e ainda oferece mais espaço entre as cadeiras – fundamental para quem está viajando com criança de colo.

Sou mãe de primeira viagem estava nervosa por estar viajando só com minha filha e preocupada com a reação dela. Mas a equipe da Avianca facilitou tudo: do embarque com prioridade, a atenção no vôo, ajuda com a bolsa, cuidado para nos acomodar em um assento melhor e até mesmo no desembarque fomos bem atendidas!

A Isabel não chorou e dormiu durante a maior parte do vôo. A viagem foi tão tranquila que deu a impressão que Brasília nem é tão longe assim de Fortaleza. Ainda bem que o primeiro vôo dela foi assim, a vovó da Isabel, que nos recebeu em Fortaleza, também ficou muito feliz!

Obrigada a tripulação da Avianca do vôo 6374 (10/07/13), vocês fizeram a diferença na primeira experiência de vôo da Isabel e claro, ajudaram muito a esta mãe de primeira viagem também. Vamos voar mais vezes com vocês, em agosto já estamos agendados, até breve!

Mande você também a sua história para a gente, através do email: marketing@avianca.com.br . Quem sabe ela não aparece aqui no nosso blog!

Relatos

We Love – Kamila Nascimento

3 de maio de 2013 0 comentário

Foto Kamila Nascimento

 

Minha “história” com a AVIANCA é bem recente. Sempre viajo para Congressos apresentando trabalhos de pesquisa e dessa vez fui com mais duas amigas (Elga Batista e Ivanilda Augusta), rumo à Gramado. Já havia ido ano passado, mas nada se compara a experiência dessa viagem. A princípio fiquei ansiosa, era a primeira vez voando pela Avianca.

Entretanto, ao fazer check-in fomos muito bem atendidas. WE LOVE

Já no avião, nos acomodamos em poltronas confortáveis de couro, com serviço de bordo impecável, com um lanche saboroso e de qualidade.

Ficamos tão à vontade que nem percebemos a viagem passar. Assim podemos avistar da janela um lindo entardecer, além de ter sido muito bem acolhida por toda a tripulação. Parabéns pela qualidade do serviço, nos surpreendeu!!!

 

Muito obrigado pela sua história Kamila! esperamos encontrá-la sempre a bordo de nossos aviões.

Mande você também a sua história para marketing@avianca.com.br, quem sabe a sua história não aparece por aqui!

GastronomiaRelatos

A Melhor Lista de Viagem

25 de abril de 2013 1 Comentário

Comida vegetariana mais deliciosa que comi na vida!

 

(as escolhas revelam as minhas opiniões pessoais e não necessariamente as preferências de meus companheiros de viagem e programa)

Nada melhor para gerar material para uma lista (ou várias) do que viajar com o “Não Conta lá em Casa”. Sempre adorei fazer listas. Dessas de Top 10, tipo do David Letterman. Na adolescência, brincava de fazer Top 10 desde os melhores cafés da manhã da semana até das meninas mais gatinhas da sala. Já listei os tops filmes que já vi na vida, as tops músicas, os tops gols do Botafogo… Com o NCLC, percebi que tinha material não só para uma lista gigante (Top 100), mas para várias! Os melhores países, os piores, melhores hotéis, perrengues… mas preferi juntar tudo e criar o Top do Top (claro que com uma pitada de nonsense).

1. Melhor Hotel

Nunca nos hospedamos em hotéis cinco estrelas. O orçamento e os destinos em questão não permitem. Por isso, o Hotel Konak, em Sarajevo, capital da Bósnia, se destaca entre as opções de baixo custo com qualidade! O destaque pra mim no hotel era a internet projetada na televisão que você controlava da cama através de um teclado sem fio. Obviamente botei um vídeo de pornografia gay para rolar na TV do quarto de meus colegas de viagem e escondi o teclado. J

2. Melhor Refeição

Almoço vegetariano em Berat, na Albânia. O restaurante nem tinha nome. Era a sala da casa do dono, onde ele colocou umas três mesas e deu uma decorada bem charmosa até. Apresentação impecável e sabor delicioso em um cenário de castelo medieval no interior de um dos países mais pobres da Europa. Surreal!

3. Melhor Aeroporto

Não podia ser outro. O Melhor Aeroporto do Mundo, é o de Kuala Lumpur. Principalmente por sua internet WiFi grátis que permitiu navegar no iPhone até mesmo durante as longas viagens em um trenzinho automático que interligava as plataformas. O lugar tem cinema de graça, massagem, lounges, e até showzinhos ao vivo para que estiver esperando longas conexões.

4. Maior Perrengue

Sem dinheiro por três dias na Etiópia. Spray de pimenta na cara durante um treinamento na Itália. 12 horas no aeroporto do Chile pós-terremoto. Ilhado na Nova Zelândia por conta de um tornado. Nada disso chega perto do terror e pânico vivido na Chechênia, quando resolvi encarar o Barco Viking de um amistoso Parque de Diversão. Link para video desse episódio: https://vimeo.com/31937147 – at=0

5. Maior Fome

Ramadã no Iraque. Se não bastasse o Ramadã (só pode comer à noite) ainda rolava a escassez de alimentos pelo estado de guerra em que se encontrava o país ainda em 2009. Teve um jantar que comemos pão com tomate e cebola.

BONUS: Melhor Viagem!

Impossível eleger. Porque aí entram fatores por demais subjetivos. Do ponto de vista da hospitalidade (Irã, Japão, Cáucaso…), beleza natural (Tuvalu, Mianmar…), história (Etiópia, Bálcãs…), comida (Japão, Ossétia do Sul…), diversão (Indonésia, Coréia do Norte…). É legal fazer essas listas até para perceber que nesses anos foram muitas as histórias e momentos inesquecíveis com o “Não Conta lá em Casa”.

 

André Fran é um dos criadores/apresentadores da série de TV “Não Conta lá em Casa” (Multishow), onde quatro amigos encaram os roteiros mais polêmicos do planeta e semanalmente escreve aqui no nosso blog!

Crédito Guilherme Pupo

 

Aos 39 anos, Artur Grynbaum assumiu a presidência executiva do Grupo Boticário.

A carreira precoce no varejo começou como guardador de banca aos oito anos. Logo depois, foi promovido a porteiro de loja em dias tumultuados de feriado e, aos 12 anos, virou Office boy. Todas as funções foram exercidas na Samuca Modas, loja do pai e do tio localizada no centro de Curitiba.

Antes mesmo de iniciar a faculdade de administração e economia na FAE, Grynbaum foi contratado pelo Boticário como assistente financeiro. “Tem gente que diz que sou ‘costa quente’, mas essa visão é errada. Na verdade, eu precisava ralar o dobro para provar que era bom. Do contrário, as pessoas diriam: ‘ah, está aqui porque é parente” conta Grynbaum.

Grande parte do seu conhecimento e talento vem da experiência do dia a dia com consumidores e da certeza de que o que está bom sempre pode ficar melhor.

A trajetória de sucesso completa de Artur Grynbaum, escrita pela jornalista Camila Balthazar, está na nossa revista de bordo desse mês. Não percam!

Relatos

We Love – Daniela Bacconi

9 de abril de 2013 0 comentário

We Love - Daniela Bacconi Campeche

Minha “parceria” com a AVIANCA se iniciou em 2012, quando iniciei meu programa de doutorado na UFPE.

Ainda estava morando em Petrolina e toda semana eu viajava para Recife. Isto foi durante todo o primeiro semestre de 2012. Findadas as disciplinas, passei o restante de 2012 em Petrolina.

Em fevereiro de 2013 me mudei para Recife junto com minhas duas filhinhas e minha mãe. Mesmo assim a “parceria” da minha família com a AVIANCA continua, pois é meu marido quem vem todos os finais de semana para nos ver!

Escolhemos a AVIANCA pela excelência no serviço prestado, pelo programa AMIGO, pela pontualidade no voos, pelo serviço de bordo e entretenimento, cordialidade dos comissários e pilotos e pelo espaço interno nas aeronaves. Enfim, para nós a AVIANCA é hoje a melhor!

Essa foto foi tirada No último dia 02, estava embarcando de Petrolina para Recife, quando observei no céu do semiárido este arco-íris.

Não pude deixar de registrar a paisagem, pois foi perfeita! Toda vez que voo Avianca (90% das vezes!), embarco feliz, agora este arco-íris coroou o meu voo!

Daniela Bacconi Campeche

 

Lindo arco-íris, Daniela!! Muito obrigado por dividir sua história com a gente.

Mande você também sua história para marketing@avianca.com.br, quem sabe ela não aparece por aqui?

Relatos

We Love – Patrícia da Silva

26 de março de 2013 2 Comentários

Morar no mundo e passar de vez em quando em casa. Estar longe dos problemas da terra. Sonhar mais alto. Conhecer novas culturas, lugares e pessoas. Acordar no Sul e dormir no Nordeste. Voar sempre mais alto! Sair dessa rotina! Ter estado ontem em Porto Alegre , estar hoje em Fortaleza , Amanhã em São Paulo , depois de amanhã em casa e sentir saudade daquelas poltronas lotadas de gente, daquelas turbulências onde tudo para e os olhares arregalados só focam os seus movimentos.

Ter bom senso, confiança. Ser equilibrado, sério e gentil ao mesmo tempo. Ser médico, psicólogo , pai, neto, amigo, central de informações. Saber separar a razão do coração na hora de uma emergência. Sorrir quando se tem vontade de chorar. Poder chegar ao final de um voo e receber de volta o sorriso de cada pessoa durante a despedida no desembarque.

Deixar do lado de fora do avião as nossas particularidades. Fazer de tudo para prestar o melhor atendimento. Nunca se esquecer do seu papel fundamental em representar a empresa, pois é o comissário quem passa a maior parte do tempo com o principal elemento da aviação comercial, o passageiro.

Ter amor ao que se faz, não saber quando voltar pra casa e lidar com o imprevisto. Sorrir paro o passageiro na pior das turbulências.

Ter um eterno amante: O céu.

 Contudo posso resumir que esta definição condiz com a minha vida profissional e parte da pessoal. 

E é com grande satisfação que publico que ver a felicidade de alguém não tem preço, uma vez que trabalho a 11 anos na aviação sendo 10 anos na Avianca, e somente agora acompanhei meus avós paternos para Juazeiro, sendo o 1º vôo deles. Ver um sorriso por um momento que se torna simples para nós, profissionais da aviação, e para eles uma realização é  algo gratificante. Obrigada Avianca por me proporcionar momentos inesquecíveis.

Comissária

 

Nós que agradecemos Patrícia!!

Relatos

We Love – Jacqueline Matte

7 de março de 2013 0 comentário

“Tenho ido mensalmente a São Paulo, nesta última viagem comprei passagens da Avianca. Tive sinceramente, a grata surpresa que gostaria de compartilhar:

A Avianca me passou a imagem de ser uma companhia no tamanho certo para as minhas necessidades e com um ótimo serviço.

Para começar, no balcão de check-in, fui super bem atendida e nem precisei perguntar se eu podia escolher meu assento, a atendente se antecipou e me perguntou se eu queria corredor ou janela. São pequenos gestos como esse que fazem eu me sentir em casa!

Outro fato que me surpreendeu foi o cuidado que tiveram em acomodar minha bagagem!

O que encontrei ao embarcar foi pontualidade, comissários gentis, lanche delicioso… E o principal: segurança.

Viajei nos dias 01/03 e 03/03/2013. E todas as boas impressões do primeiro voo se repetiram no retorno.

Gostaria de mencionar que viajar recebendo um belo sanduíche quentinho, servido com um sorriso gentil, foi muito bom. Pude perceber que o serviço desde o balcão é feito com a intenção de realmente atender o passageiro que está ali.

Obrigada pelos voos e até breve.”

Jacqueline Matte

 

Ficamos muito felizes com a sua história Jacqueline, obrigado por dividi-la com a gente e até breve!

Relatos

We Love – Juarez Passos de Araujo Junior

25 de fevereiro de 2013 2 Comentários

We Love - Juarez Passos

“Nada melhor do que ficar e estar super satisfeito com uma empresa que me deixou uma das melhores impressões.

Assim é a Avianca…

Em 12 de Janeiro de 2013, pela primeira vez entrei em um lindo avião.

Foi a minha primeira experiência, foi meu primeiro voo e fiquei super satisfeito com toda tripulação, com as acomodações, assim como todo serviço de bordo.

Dava-se início a Operação Canudos – Projeto Rondon – Lição de Vida e Cidadania, O MAIOR MOVIMENTO VOLUNTÁRIO DO PAÍS, patrocinado pelo Ministério da Defesa.

Mais de 400 acadêmicos de todo o país estavam participando dessa jornada de cidadania e solidariedade.

Tive a oportunidade de embarcar em Salvador-BA com destino a Petrolina-PE e escala em Recife, e para minha satisfação retornei no dia 27 do mesmo mês pela mesma empresa.

Quero parabenizar a Avianca pelas belas e modernas aeronaves, assim como a gentileza e atenção de toda tripulação responsável por cada voo.

Vocês não conquistaram um cliente, vocês conquistaram um fã…

A partir de hoje, passeios, férias, cursos, simpósios, seminários, congressos existe uma empresa de minha preferência e ela tem nome: AVIANCA.”

Sds,

Juarez Passos de Araujo Junior.

Acadêmico de Medicina Veterinária

 

Ótima história, Juarez, obrigado por dividi-la com a gente!

Mande você também a sua história para marketing@avianca.com.br, quem sabe a sua história não aparece por aqui!