Tag

Seleções

Gastronomia

Apresentamos nosso novo serviço de bordo!

2 de julho de 2014 5 Comentários

Capa

Entre os dias 2 e 13 de julho,  serviremos um menu temático em homenagem aos países que chegaram às oitavas de final: quem voar na ponte aérea após às 11h00, irá degustar dez guloseimas típicas de países que passaram da fase de grupos. A cada dois dias, o menu será trocado, tanto nos voos que saem do Rio de Janeiro (SDU) quando naqueles que partem de São Paulo (CGH).

“O menu temático de ‘seleções’ é nosso jeito de homenagear a todos os estrangeiros que estão no país para celebrar o principal evento futebolístico do mundo.

Entre as delícias gastronômicas que serão servidas, há pratos típicos da Holanda (croquete de carne com mostarda), França (croque Monsier), Argentina (empanada argentina) e, claro, Brasil (empanada de carne seca). Confira abaixo o cronograma do menu temático de seleções na ponte aérea Avianca:

Voos que partem do Rio de Janeiro (SDU) para São Paulo (CGH) após 11h00:

2 e 3 de julho –– Empanada Chilena (Chile)

4 e 5 de julho – Burritos de Frango (México)

6 e 7 de julho – Pão Colombiano com Linguiça (Colômbia)

8 e 9 de julho – Croquete de Carne com Mostarda (Holanda)

10 a 13 de julho – Croque Monsier (França)

 

Voos que partem de São Paulo (CGH) para Rio de Janeiro (SDU) após 11h00:

2 e 3 de julho – Empanada Argentina (Argentina)

4 e 5 de julho – Hamburguer (Estados Unidos)

6 e 7 de julho – Croissant de Queijo (França)

8 e 9 de julho – Empanada de Carne Seca (Brasil)

10 a 13 de julho – Hot Dog Alemão (Alemanha)

 

Gastronomia

As Cervejas e o futebol

26 de junho de 2014 1 Comentário

Não sou nenhum grande bebedor ou conesseur de cervejas. Mas sou um aficionado, tarado, viciado por outras culturas, suas características e as suas sutis (ou nem tanto) diferenças que dão toda a graça a esse vasto planeta onde vivemos. Uma de minhas grandes paixões está diretamente ligada a isso: o futebol (como deve ter ficado claro pelas últimas colunas). Meu foco e interesse durante os dias de jogos não consegue ser em nada que não seja esse adorável confronto desportivo entre nações. Cancelo compromisso, atraso a entrega de colunas e dou um jeitinho de acompanhar não só as partidas mas tudo que cerca esse grande evento: o dia-a-dia das delegações, os destaques das torcidas, o divertido intercâmbio de povos da Europa, África e Américas… enfim, tudo!

 

Recentemente, percebi alguns amigos atentando para um aspecto bem curioso e interessante que está diretamente ligado aos jogos (pelo menos do lado das torcidas): as cervejas prediletas de cada grupo de torcedores. Resolvi então pesquisar e listar algumas delas. Tentando, quando possível, dar o meu insight (menos etílico do que cultural) sobre algumas delas.

 

MÉXICOCorona é a tradicional cerveja da galera do surfe, mas dizem que a Tecate é a favorita entre os torcedores de futebol.

 

HOLANDA– Impossível não citar a tradicional Heineken, que também está diretamente ligada ao futebol.

 

EUA– Ruins de bola mas gênios do marketing, os americanos já colocaram a Budweiser como patrocinadora oficial do maior evento de futebol do mundo. Presença maciça nos jogos, anúncios e estádios.

 

CHILE- A Cristal é a mais popular e patrocina até time de futebol chileno.

 

AUSTRÁLIA- A Victoria Bitter é característica com sua garrafinha gorducha e simpática. Apesar de ter um gosto meio estranho pros padrões brasileiros.

 

ARGENTINA– A Quilmes é o grande nome. Patrocina times por lá e faz os anúncios mais emocionantes da seleção Argentina.

 

GRÉCIA- Mythos, nome perfeito para uma cerveja grega. Já tomei uma apreciando o por do sol da Acrópole. Momento inesquecível, apesar da cerva ser bem ruinzinha.

 

IRÃ- A grande favorita dos muçulmanos no Irã é a Behnoush! Cerveja não alcoólica, claro. 😉

 

JAPÃO- A clássica Asahi é o supra-sumo do experimentalismo japonês. E tem um dos rótulos mais legais.

 

ALEMANHA- Warsteiner, Pilsner, Paulaner, Lowenbrau… O país das cervejas tem muitas brigando pelo posto de melhor. Tem para todos os gostos. E uma Oktoberfest por lá é o evento especial para qualquer cervejeiro que se preze.

 

INGLATERRA- O pint é característico na terra da Rainha. Servido quente, é mole? A favorita é a Carlsberg, mas quando servida em latinha é meio renegada. O ideal é um pint em um pub.

 

BÉLGICA- Stella Artois é o nome da fera. As surpresas, nas cervejas e no futebol atual, vem da Bélgica.

DestinosInternacionais

Está Chegando Parte 3 – Final

5 de junho de 2014 0 comentário

Foto AF copa

Continuando as duas últimas colunas, chego ao capítulo final desse passeio pelos países que conheci e que estão chegando ao Brasil. Uma análise totalmente pessoal e nada futebolistica. Um pouquinho do que vi de alguns cobiçados destinos turísticos e outros nem tanto.

 

GRUPO G

 

Alemanha- Berlim é a grande referência. Passa por ali a história da Segunda Guerra e algumas das principais referências do país. Mas a Alemanha que me encantou mesmo foi Munique. Com seus parques, rios, centrinho bem pacato e cervejarias a céu aberto. Bem menos urbana, industrial e bem mais agradável de visitar.

 

Portugal- Um país a parte na Europa. Bem diferente de seus co-irmãos e claramente visível a semelhança e ligação entre nossas raízes e povos. Pra quem gosta de história, um prato cheio.

 

EUA- Muita gente pensa que por ter visto em primeira mão algumas das atrocidades cometidas pelos EUA em nome de motivos pouco convincentes eu torceria contra sua seleção e odiaria o país como um todo. Ledo engano. Ser contra o “grande império capitalista” é tão infantil como temer a ameaça comunista em pleno 2014. É bem possível separar a política externa Americana de seu país e seu povo. Adoro o país e já viajei por grande parte de seu território. Beleza natural, inovações tecnológicas e mestres no entretenimento. É uma delícia e super agradável viajar de carro pelas suas estradas e cidades perfeitamente fabricadas.

 

GRUPO H

 

Bélgica- Tirando a Grand Place de Bruxelas, não vi grandes coisas na capital do país. Talvez a má impressão de uma cidade fria e pouco atraente seja em parte causada por um drama pessoal. Símbolo máximo do Botafogo, meu time do coração, o Manequinho é uma estátua de um menininho fazendo pipi e cuja original está justo em Bruxelas. Fui lá dar uma rezada pra que meu time fosse bem no Brasileirão: pois este foi justo o ano que meu alvinegro querido acabou rebaixado.

 

Russia- Em Moscou vi as mulheres mais lindas do mundo. Mas, pra compensar, as mais cafonas. Deve ser parte de alguma espécie de equilíbrio natural. Ou, mais provavelmente, consequência da abertura repentina ao capitalismo na maior nação comunista da história. Loiras monumentais de dois metros de altura, mas trajando agasalhos de marca esportiva em cores fosforescentes. Monumentos grandiosos e magníficos, ao lado de mercados populares coalhados de produtos falsificados e mais desorganizados que um camelódromo na Índia.

DestinosInternacionais

Está chegando – Parte 2

29 de maio de 2014 0 comentário

Estádio

Continuando a Coluna anterior, uma análise totalmente pessoal e nada futebolística do restante dos países que eu conheci e que estão chegando ao Brasil para o evento máximo do futebol.

 

GRUPO D

 

Uruguai- Um dos últimos países que conheci. Bem na época que o novo e já famoso presidente Jose Mujica move uma série de mudanças radicais e super elogiáveis no país. Montevideo me lembrou uma Buenos Aires menor e mais pacata. Mas o destaque foi a cidade histórica de Colônias del Sacramento a beira do Rio da prata que lembra uma viagem no tempo.

 

Inglaterra- Não curti. Talvez pelo clima quase sempre feio, chuvoso e fechado. E talvez por isso também eu sempre torça contra eles.

 

Itália- O mais brasileiro dos países europeus.Aquele povo expansivo, barulhento, afeito a uma confusão, mas que sabe receber com uma alegria contagiante. As belezas naturais também estão lá, talvez menos exuberantes mas compensadas por cenários rústicos e idílicos a beira do mediterrâneo, como Cinque Terre.

 

GRUPO E

 

Suíça- Lembro de saltar do trem em Genebra e me imaginar em um cartão-postal. Eram relógios suíços, chocolates suíços e aqueles montes nevados cercando a paisagem. A ONU tava por ai, a FIFA tava por ali… Se a tranquilidade não indicava ser a capital do mundo, a Suíça parecia o local onde “o mundo” escolheu para morar.

 

França- A grandiosidade histórica que está presente em cada monumento de Paris transmite um ar de imponência épica à Franca. Por isso, nas Copas, sempre espero deles performances magistrais. O problema é que, assim como seu campeonato nacional, a performance em campo é sempre pra lá de razoável.

 

GRUPO F

 

Argentina- Nossos queridos hermanos! Adoro o país e posso afirmar que nunca conheci um argentino que não fosse gente boa. Mas também posso afirmar que nunca deixei de sacanea-los por isso. Da capital Buenos Aires as estações de esqui em Bariloche, a Argentina, por mais que nos doa afirmar, é o que mais perto de Europa temos aqui na América do Sul.

 

Bósnia- Vi em vídeos do YouTube, em imagens coloridas, a guerra rolando nas ruas de Sarajevo. Anos depois vi uma cidade marcada pela guerra mas em franca recuperação. Marcas de tiros em todas as paredes, mas uma cidade limpa, organizada cheia de vida e historia. Um dos lugares mais legais de se visitar no leste europeu. Em sua primeira participação no campeonato, contam com minha torcida.

 

Irã- Talvez o povo mais hospitaleiro que já conheci. O que me fez quebrar paradigmas religiosos, culturais, históricos e alguns preconceitos que tinha sobre o país dos aiatolás. Foi uma experiência incrível, agradável, segura e pacifica conhecer o Irã. Só por pensar que o mundo os vê de uma maneira totalmente deturpada já me faz solidarizar com meus amigos muçulmanos e torcer sempre para que surpreendam na competição. Quem sabe aqui no Brasil!